Grupo Fundo De Quintal – O Mapa Da Mina (1986)

Olá amigos cultos e ocultos. Todos nós temos as nossas fases ruins, momentos em que as coisas na vida da gente parece andar para trás, momentos trágicos, momentos difíceis, momentos de chorar. Este blog começou há três anos atrás, num momento muito difícil da minha vida, quando eu acompanhava os últimos dois meses de vida da minha mãe. Foi uma fase dura e sofrida, na qual eu me refugiei na Internet e para distrair criei o blog. A única coisa que eu podia fazer para ajudar a minha mãe era ficar ali com ela, acompanhá-la, dar carinho, conforto e também música que era uma coisa que ela gostava muito. Daí nasceu a ideia do Toque Musical. Ao longo do tempo de existência do blog, por certo, outros tantos momentos difíceis eu passei, mas nada tão grave. Eu já estava até começando a desconfiar de que a primavera e o verão estivessem se prolongando demais. E não deu outra… Estou eu agora às voltas com outros problemas de saúde na família. Tenho agora a minha ‘tia-mãe’ internada num hospital e com seus dias contados. Desculpem, eu sei que este não é um assunto para o nosso blog, mas como seu autor, acho que tenho o direito de desabafar e mesmo porque preciso também dar a vocês alguma satisfação, caso de repente as postagens deixem de ser diárias. Para piorar um pouco mais a minha situação, tive o hoje o meu carro roubado, com documentos e coisas importantes lá dentro. Estou me sentido péssimo e por mais que eu tente, acho que hoje não vou conseguir falar de música e discos. Mesmo assim, já que cheguei até aqui, vou postar este disco de samba para ver se espanta essa coisa ruim. Vamos com o Grupo Fundo de Quintal e seu álbum “O mapa da mina”, lançado em 1986. Eu sou do tipo que desconfia do samba de uns 30 anos pra cá. Desde que o samba de partido alto virou pagode e que o pagode virou sabão (eu disse sabão e não sambão). O fato é que como já dizia uma música, “o samba deixou de ser uma música negra… o samba passou a ser música de gente ‘sastisfeita'”. Entre as excessões, felizmente, existem coisas boas como o Grupo Fundo de Quintal. A gente pode até não conhecer o disco e os artistas, mas se tem a assinatura do Rildo Hora, podemos ter certeza de que é coisa boa. Confiram…

seleção de pagodes:
chuá chuá
fui passear no norte
moemá morenou
baiana serrana
serei teu iô iô
nem lá nem cá
só pra contrariar
ô irene
o mapa da mina
no calor dos salões
nem lá nem cá
sorriu pra mim
receita da sorte
primeira dama
cansei de esperar você
força, fé e raíz
mais uma aventura