Leci Brandão (1985)

Cantora, compositora, atriz e política. Assim é Leci Cristina Brandão da Silva, ou simplesmente Leci Brandão, que o Toque Musical põe em foco no dia de hoje. Ela nasceu no Rio de Janeiro, em 12 de setembro de 1944, e começou sua carreira no início dos anos 1970, tornando-se a primeira mulher a participar da ala de compositores da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira. Começou a chamar a atenção do grande público em 1975, ao participar do festival Abertura, da TV Globo, defendendo seu samba “Antes que eu volte a ser nada”, mais tarde faixa-título de seu primeiro LP. Uma das mais importantes intérpretes de samba da MPB, Leci Brandão gravou, ao longo da carreira, 13 LPs, 8 CDs, 2 DVDs e 3 compactos, um total de 26 obras. É também madrinha da Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé, bicampeã do carnaval de São Paulo. Em 2010, elegeu-se deputada estadual por São Paulo, pelo PCdoB, reelegendo-se em 2014 e 2018. Como parlamentar, Leci Brandão dedica-se à promoção da igualdade racial, ao respeito às religiões de matriz africana e à cultura brasileira. Também levanta a questão das populações indígena e quilombola, da juventude, das mulheres e do segmento LGBTQ+. Na televisão, atuou na novela “Xica da Silva”, da extinta TV Manchete (1996/97), como a líder quilombola Severina, e foi ainda comentarista dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo pela Globo.  No cinema, participou dos filmes “Antônia” (2007), “Tropa de elite 2” (2010) e “O samba” (2015). Este álbum que o TM nos oferece hoje é talvez o melhor trabalho da carreira de Leci Brandão. Lançado pela Copacabana em 1985, o disco foi puxado pelo hit “Isso é fundo de quintal”, dela própria em parceria com Zé Maurício. Porém, é óbvio, tem mais a destacar. É o caso de “Zé do Caroço”, uma das músicas mais regravadas de Leci, e de uma versão de Martinho da Vila para “Gracias a la vida”, da chilena Violeta Parra. Martinho ainda assina “Tá quase odara”, parceria com Zé Catimba, e a própria Leci, “Belém meu bem”, “Deixa, deixa”, “Assumindo” e a adaptação de “Saudação ao rei das ervas”. Com direito até a um forró (“Entra no forró”). Tudo isso e muito mais fazem deste disco uma verdadeira joia que o TM oferece com a grata satisfação de sempre. Confiram.

papai vadiou

isso é fundo de quintal

tá quase odara

zé do caroço

belém meu bem

quero eu

agradeço a vida

deixa deixa

entra no forró

maria de um só joão

quebra-queixo

assumindo

saudação ao rei das ervas



*Texto de Samuel Machado Filho

Vários – Momento Especial Vol. 4 (1979)

Amigos cultos e ocultos, bom dia! Segue aqui, enfim, o último disco que tenho da série “Programa Especial”, o volume 4. Nele, como podemos ver, temos Alcione, Chico da Silva, Jair Rodrigues e Leci Brandão. Uma coletânea, desta vez, voltada para o samba. Confiram…

não deixe o samba morrer – alcione
o conde – jair rodrigues
ombro amigo – leci brandão
na beira do mangue – jair rodrigues
não chore não – alcione
pandeiro é meu nome – chico da silva
ela- jair rodrigues
o surdo – alcione
marias – leci brandão
o barba azul – chico da silva
lá vem você – alcione
pout pourri de samba – jair rodrigues
.

Leci Brandão – Essa Tal Criatura (1980)

Olá amigos cultos e ocultos! Finalmente achei um tempinho para a nossa postagem. O dia hoje tá puxado, mas eu chego lá… 😉 Não sei porque, mas a semana pede samba e eu vou mandando ver, e ouvir principalmente 🙂
Temos aqui uma jóia de disco, de uma outra jóia que é Leci Brandão. Taí uma cantora e compositora da melhor qualidade. Nascida e criada no samba, foi descoberta pelo jornalista Sérgio Cabral. Gravou seu primeiro disco em 1973, um compacto, pelo selo Discos Marcus Pereira. Nunca foi uma artista muito badalada, porém sempre teve o apoio da crítica e emplacou alguns sambas de sucesso. Dos diversos discos que ela gravou (e vem gravando, felizmente), “Essa tal criatura” é um dos seus álbuns mais bonitos e que eu mais gosto, claro! Um disco bem construído, com boas músicas e excelentes arranjos. No ano de lançamento deste disco, Leci foi uma das (merecidas) finalistas no Festival da Globo, concorrendo com a música que dá nome ao disco. Sem dúvida, esse samba é demais e ficou melhor ainda com esse arranjo de Ivan Paulo. Mas o lp não se resume em apenas uma canção de sucesso, afinal estamos falando de Leci Brandão. Temos aqui a apaixonada “Que será”, de Marino Pinto e Mário Rossi. Essa música tem a cara da Angela Maria. Tem também “Cantarerê” de Paulo Diniz. Outro destaque interessante é “Fim de festa”, uma parceria com Rosinha de Valença, aqui interpretada ao lado da cantora Alcione. Como vocês poderão ver e ouvir, essa tal criatura nota 10 não faz por menos, principalmente estando cercada por uma dezena de músico notáveis, gente como Antonio Adolfo, Dino Sete Cordas, Wilson das Neves, Cidinho, Paulo Moura e até Jackson do Pandeiro. Tem que ler a ficha técnica… tem outros mais. Confira o toque 😉

essa tal criatura
que será
cantarerê
lugar garantido
prece a seu joão
dobrando as cobertas
fim de festa
sem vingança
margot
nas águas do rio negro
chantagem
não cala o cantor