Toquinho – A Sombra De Um Jatobá (1989)

Um cantor, compositor e violonista notável, de longa e vitoriosa carreira no cenário musical brasileiro. Assim é Antônio Pecci Filho, o Toquinho, hoje posto em foco pelo Toque Musical. Ele veio ao mundo no dia 6 de julho de 1946, em São Paulo, e ganhou da mãe o apelido que o acompanharia em toda a sua trajetória . Interessado pelo violão, começou a tomar aulas desde os primeiros anos de sua adolescência. Aprendiz de outro grande violonista, Paulinho Nogueira, acumulou conhecimento para o solo e o acompanhamento, após buscar outras influências, como as de Oscar Castro Neves, Isaías Sávio e Léo Peracchi. A partir da experiência técnica acumulada, começaram suas apresentações públicas, em colégios, faculdades e clubes. O primeiro a colocar letra em uma composição de Toquinho foi Chico Buarque, daí nascendo a música “Lua nova”. Em 1966, lança seu primeiro LP, “O violão de Toquinho”, um trabalho totalmente instrumental. Aproveitando a visibilidade da época, apresenta-se em programas musicais da televisão, inclusive os famosos festivais de MPB da antiga Record. Em 1969, compõe e grava, em dupla com Jorge Ben (depois Ben  Jor), dois grandes sucessos: “Que maravilha” e “Carolina Carol bela”. No mesmo ano, novamente ao lado de Chico Buarque, fez uma turnê pela Itália, durante a qual gravou o álbum “La vita, amico, é l’arte dell’incontro”, com poemas de Vinícius de Moraes musicados e gravados por artistas italianos como Giuseppe Ungaretti e Sergio Endrigo. Entusiasmado com a homenagem, o próprio Vinícius convidou Toquinho para uma temporada de shows na Argentina, ao lado da cantora Maria Creuza. Assim nasceu a dupla Toquinho e Vinícius, sucesso absoluto no Brasil e no exterior, tanto em discos quanto em shows, e que só terminaria em 1980, com a morte do Poetinha. Ao longo da década de 80, Toquinho continuou com grande prestígio, participando do Festival de Jazz de Montreux, Suíça, e tendo sua arte reconhecida internacionalmente. Mais de 65 álbuns gravados, cerca de 260 composições musicais (como esquecer sucessos tipo “Na boca da noite”,  “Aquarela”, “Ao que vai chegar”, “Era uma vez”, “O caderno”, “Tarde em Itapoã”, “Morena flor”, “Coisas do coração” e tantos outros?), e mais de 2.000 shows realizados no Brasil e no exterior, estão no respeitável currículo de nosso Toquinho. E dessa extensa e expressiva discografia, o TM oferece hoje a seus amigos cultos, ocultos e associados, o quadragésimo-segundo LP de sua carreira, “À sombra de um jatobá”, lançado em 1989 pela RCA/BMG, atual Sony Music. Produzido pelo próprio Toquinho em parceria com Ed Wilson, também cantor e compositor, que ficou famoso no tempo da Jovem Guarda, este trabalho tem dez faixas, a maior parte  assinadas por ele próprio, sozinho ou com parceiros, instrumentadas por arranjadores conceituados, tipo Lincoln Olivetti, Jotinha e Ivan Paulo. Nele, Toquinho mescla gêneros musicais diversos, da balada ao samba rasgado, e não faltam convidados especiais, caso de Eliana Estevão (na faixa “Prêmio e castigo”) e Fagner (“Lindo e triste Brasil”). A faixa de abertura, “Linho e flanela”, é versão do próprio Toquinho para uma música do dominicano Juan Luís Guerra, de quem Fagner também verteu “Borbulhas de amor” (“Burbujas de amor”), posteriormente. O saudoso Vinícius de Moraes assina com Toquinho “Planta baixa”, originalmente lançada em 1974 pelo cantor Betinho, na trilha sonora da novela global “Fogo sobre terra”, e os parceiros de Toquinho em “Nosso amor” são o co-produtor deste disco, Ed Wilson, e Paulo Sérgio Valle. Ele ainda assina, com o irmão João Carlos, “Doce martíro”, e com Mutinho , sobrinho do imortal Lupicínio Rodrigues, “Canção pra Mônica”, que encerra o disco. Todo esse conjunto reafirma a qualidade do trabalho musical de Toquinho, e mostra porque ele é, ainda hoje, importantíssima referência para novos intérpretes e instrumentistas em início de carreira.

lindo e trriste brasil
nosso amor
caminhado juntos
planta baixa
a sombra de um jatobá
prêmio e castigo
doce martírio
misturando idiomas
canção pra monica
linho e flanela

*Texto de Samuel Machado Filho

Vários – Levanta A Poeira (1977)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Unindo o útil ao agradável (ou coisa assim), aqui venho eu trazendo para vocês a postagem desta sexta feira. Digo isso, poque estou postando hoje um disco de doação, feito pelo amigo Fáres, que gentilmente nos ofertou e eu, como prometido, fiquei de digitalizar o lp para ele. Nessas horas, todos saem ganhado. Até porque, o disco de hoje é uma interessante coletânea, com algumas faixas que vale a pena relembrar. “Levanta a poeira” foi lançado em 1977, trata-se de uma coletânea daquelas tipo ‘salada mista’, onde a gravadora junta um pouco de tudo aquilo que tem de sucesso e faz isso, um mexidão. Como podemos ver aqui, temos uma relação de músicas e artistas bem diferentes entre si, embora todos rezem da mesma missa, a música popular brasileira. Temos Geraldo Vandré, Helena de Lima, Toquinho & Vinícius, Maria Creuza e entre esses, outros nomes como Mutinho, Luiz Carlos, Clovis de Lima, Beto Scala, Diomedes e Mauro Silva, artistas que com seus fonogramas complementam esta curiosa produção. Gosto de coletâneas como esta, confusas e mal trabalhadas. Sempre rola algo que estava me faltando ouvir.
No mesmo ano de 1977 a Som Livre também lançou um disco (de samba) como título bem parecido, “Levanta Poeira”, o qual, também já foi postado aqui no Toque Musical. Pensei até que fosse continuação da saga

levanta a poeira – mauro silva e sua banda
sabendo usar, não vai faltar – luiz carlos
oi lá – mutinho e toquinho
mas que doidice – maria creuza
porta estandarte – geraldo vandré
ri – barracão – chorou, chorou – helena de lima
recado ao samba – diomedes
meu panamá – mutinho
marcha da quarta feira de cinzas – toquinho e vinícius
rosa flor – geraldo vandré
moça do cabelo cacheado – beto scala
volta por cima – clovis de lima
.

Toquinho, Vinícius & Amigos (1973)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Contrariando as expectativas, por aqui, realmente, não vai ter Copa! Não adianta nem pedir ajuda à Fifa, ao Lula ou à Dilma. Adoro futebol, mas aqui ninguém é idiota. Vai que o Joseph Blatter e sua gang resolvem começar a fazer exigências… querer deixar isso aqui parecido com o Loronix, tudo em inglês, texto perfeito padrão Fifa… sem chance! Aqui, faço eu!
Vamos então rodando o nosso disco do dia. Vamos com este célebre lp de Toquinho & Vinícius lançado pela RGE/Fermata em 1973. Um álbum cheio de convidados, como se pode ver logo pela capa: Chico Buarque, Maria Bethania, Maria Creuza, o italiano Sergio Endrigo e Ciro Monteiro, que aparece aqui em suas últimas gravações.

apelo – toquinho, vinincius e maria bethania
que martírio – toquinho, vinícius e ciro monteiro
tomara – toquinho, vinícius e maria creuza
poema degli occhi – toquinho e sergio endrigo
samba da rosa – toquinho e vinicius
você errou – toquinho, vinícius e ciro monteiro
e se esqueça de mim – toquinho
la cada – toquinho, vinícius e sergio endrigo
viramundo – toquinho e maria bethania
lamento no morro – toquinho, vinícius e maria creuza
desencontro – toquinho e chico buarque
.

Seleção 72 (1972)

Olá amigos cultos e ocultos, do Brasil e do mundo! A Copa está começando e eu nem me preparei devidamente para acompanhá-la aqui no Toque Musical. Eu bem que poderia ter separado alguns discos relacionados ao futebol e ao Campeonato Mundial, mas sinceramente, estou com preguiça. Preguiça de futebol e dessa seleção brasileira. Vou torcer, é claro, pelo meu Brasil, mas com o mesmo tesão que tenho torcido pelo meu glorioso Galo. Digo glorioso porque um dia ele já foi para mim. Porém, o futebol já não é mais o mesmo. Hoje em dia não temos mais jogadores e craques. O que existe são profissionais do futebol. Uns jogam bem, outros são estrelas, mas muito poucos são mesmo bons de bola. Aliás, o que se vê hoje é apenas um espetáculo. O show não pode parar. Tô com o Dunga, mas prefiro mais a Branca de Neve, essa pelo menos se dá bem no final da estória.
De qualquer forma, apenas para celebrar uma tradição, vou postar aqui alguma coisa que pelo menos lembre o futebol. Na falta de tempo e do tesão, vou postando aqui algo que sobre esse assunto só se vê na capa. Temos aqui um disco promocional do Grupo Microlite, detentores das marcas Ray-O-Vac, Saturnia e Lipasa. Nem sei se essas famosas marcas do passado ainda existem. A da pilha sim, até comprei umas alcalinas um dia desses.
O certo é que este disco promocional, feito pela Fermata, traz doze faixas mistas, contendo músicas de artistas brasileiros, trilhas de filmes, jazz e alguns outros temas internacionais, como podemos conferir logo a baixo. Dos artistas brasileiros, todas as faixas fazem parte de discos já bem conhecidos e baixados no universo musical dos blogs. Os temas internacionais também são bem populares e bastante agradáveis. A “Seleção 72”, embora não tenha ido à Copa, tem uma bola cheia no gramado, esperando o artilheiro que possa fazer um gol. Vai nessa que a parada é da boa! 🙂

eu sei que vou te amar – maria creuza
este seu olhar – dick farney
we’ve only just begun – lawrence welk
l’ultimo romantico – pino donaggio
por causa de você – maria creuza
theme from “borsalino” – claude bolling
maria vai com as outras – toquinho e vinícius
somos dois – dick farney
theme from “summer of 42” – lawrence welk
here, there & everywhere – tony osborne
a time for us – bob ralston
lady bird – gerry mulligan e chet baker

Toquinho – Toco-Tóca (1978)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Entramos finalmente no espírito natalino. Para brindar o momento e durante os próximos dias até o Natal, teremos ao invés de uma, duas postagens diárias. Assim será o meu presente para vocês.
Começamos com Toquinho em um lp raro. Como no caso do Chico Buarque, este álbum também foi gravado na Itália em 1976 sob o título de “Toquinho – Il Brasile Nella Chitarra”. No Brasil ele saiu em 1978 pelo selo italiano Arlequim e relançado em cd pela Movieplay em 1997. É como outros tantos discos do violonista/compositor, uma beleza. Um trabalho que acabou ficando um pouco escondido, talvez pelo fato de ter sido um lançamento estrangeiro ou conter músicas de um repertório do artista já conhecido por nós em outros momentos. Porém o disco nos reserva um algo mais, as participações especiais de Azeitona na música “Garota de Ipanema” e de Mutinho na música de sua autoria “Meu Panamá”. Toquinho é sem dúvida um excelente instrumentista. Neste sentido eu destacaria, entre outras, “Asa Branca” de Luiz Gonzaga e “Bachianinha nº1” de Paulinho Nogueira, duas belas interpretações solo. Confiram já este primeiro presente 😉
amor em paz
marina
asa branca
garota de ipanema
ai quem me dera
bachianinha n. 1
samba de orly
o vento
berimbau
chuva na praia de juqui
meu panamá
chorando prá pixinguinha

Juca de Oliveira – Recita Drummond E Vinicius (1973)

Para complementar mais o dia e não ficarmos com aquela sensação de “quero mais”, estou incluíndo mais uma postagem. Desta vez temos um compacto com o ator Juca de Oliveira recitando poemas de Vinicius de Moraes e Carlos Drummond de Andrade. O fundo musical é feito pelo violonista Toquinho. Este disquinho foi oferecido como brinde pela revista Mais. Alguém aqui se lembra? Temos aqui o seguinte…

resíduo (fragmento) – drummond
elegia na morte de clodoaldo pereira da silva (fragmento) – vinicius
cidadezinha qualquer- drummond
poema das sete faces – drummond
ternura – vinicius
resíduo – drummond
conjugação da ausente – vinicius
anedota búlgara – drummond
elegi desesperada – vinicius
quarto em desordem – drummond
resíduo (fragmento) – drummond

Toquinho & Vinicius – São Demais Os Perigos Desta Vida… (1972)

Aqui está finalmente Toquinho & Vinicius! Inicio assim porque este disco eu já havia procurado em inúmeros blogs. Tinha certo que seria fácil de encontrar. Que nada… Ninguém ainda o postou, incrível! Será que nos esquecemos desta pérola? Pelo jeito parece que sim.
Então está aí… “São demais os perigos desta vida”, um álbum maravilhoso que sela (formalmente) a parceria de Vinicius de Moraes com Toquinho. Foi o segundo disco da dupla e é nele que encontramos as seguintes composições:

cotidiano n.2 (como dizia o chico…)
tatamiro (em louvor de mãe menininha de gantois
são demais os perigos desta vida…
chorando prá pixinguinha
valsa para uma menininha
para viver um grande amor
menina das duas tranças
regra três
no colo da serra
canto de oxalufã

Apoteose – O Show Dos Shows (1991)

Hoje não vou prolongar… Além do mais, o sono já vem me pegando de jeito.
Sobre este disco não é preciso falar muito, tá na capa! Uma seleção de artistas de primeira linha que passaram pela RGE. É isso aí… a gravadora se mantém com nomes de peso. Nada como uma coletânea, reunindo o que de melhor o selo ofereceu ao longo dos tempos. Neste, lançado somente em vinil e cassete (lembra da fitinha?), temos apresentações ao vivo de shows e festivais, realizados em 1964 e 65. Faixas retiradas de outros álbuns da gravadora.
chove chuva – jorge ben
terra de ninguém – elis regina e marcos valle
maria moita – nara leão
sem deuz com a família – césar roldão vieira
primavera – toquinho
tem dó de mim – quarteto em cy
aleluia – edu lobo e yvette
pedro pedreiro – chico buarque
garota de ipanema – zimbo trio
nós e o mar – maysa
onde está você – alaíde costa
mulher sempre mulher – vinícius de morais

Toquinho – O Violão De Toquinho

Eis aí mais um toque para aqueles que aqui procuram. Não quero ser exclusivo, nem pioneiro por vaidade. Com certeza o que ofereço também se encontra em outras praças. Sou apenas mais uma alternativa musical. E dessa vez, o que trago é um disquinho muito interessante, o debut do parceiro maior de Vinícius, Toquinho. Seu primeiro disco lançado pela Fermata em 1966.

1 Marcha da quarta-feira de cinzas (Carlos Lyra – Vinicius de Moraes)
• Sonho de um carnaval (Chico Buarque)
2 Triste amor que vai morrer (Elis Regina – Walter Silva)
3 Deixa (Baden Powell – Vinicius de Moraes)
4 Réquiem para um amor (Ruy Guerra – Edu Lobo)
5 Zambi (Edu Lobo – Vinicius de Moraes)
6 Valsa de Eurídice (Vinicius de Moraes)
7 Antes e depois (Oscar Castro Neves)
8 Canto de Ossanha (Baden Powell – Vinicius de Moraes)
9 Pequeno concerto que virou canção (Geraldo Vandré)
10 Allemande (J. S. Bach – Toquinho)
11 Dá-me (Adylson Godoy)
12 Olê olá (Chico Buarque)

Vinicius De Moraes, Clara Nunes E Toquinho – Poeta, Moça E Violão – A Historia Dos Shows Inesqueciveis (1973)

Este é mais um disco que merece a nossa atenção. Um álbum triplo com o registro de um show de Clara Nunes, Vinícius de Moraes e Toquinho. O espetáculo entitulado “Poeta, moça e violão”, aconteceu no Teatro Castro Alves, de Salvador, em 1973. No show, obviamente, há um pouco dos três, mas principalmente a poesia de Vinicius. Um disco imperdível!

01 – Pátria Minha (Vinicius de Moraes) Poema
02 – O Poeta Aprendiz (Toquinho / Vinicius de Moraes)
03 – Canção de Amor (Elano de Paula / Chocolate)
04 – Olhe Aqui Mr Buster (Vinicius de Moraes) Poema
05 – Lamento (Pixinguinha / Vinicius de Moraes)
06 – Mundo Melhor (Pixinguinha / Vinicius de Moraes)
07 – Chorando Pra Pixinguinha (Toquinho / Vinicius de Moraes)
08 – O Rancho das Namoradas (Ary Barroso / Vinicius de Moraes)
09 – Eurídice (Vinicius de Moraes) – Toquinho (Violão) e Franklin (Flauta)
10 – A Felicidade (Tom Jobim / Vinicius de Moraes)
11 – Garota de Ipanema (Tom Jobim / Vinicius de Moraes)
12 – Marcha da Quarta-feira de Cinzas (Carlos Lyra / Vinicius de Moraes)
13 – Berimbau (Baden Powell / Vinicius de Moraes)
14 – Consolação (Baden Powell / Vinicius de Moraes)
15 – Canto de Ossanha (Baden Powell / Vinicius de Moraes)
16 – Se Todos Fossem Iguais a Você (Tom Jobim / Vinicius de Moraes)
17 – Como Dizia o Poeta (Toquinho / Vinicius de Moraes)
18 – Veja Você (Toquinho / Vinicius de Moraes)
19 – Regra Três (Toquinho / Vinicius de Moraes)
20 – Cotidiano Nº 2 (Toquinho / Vinicius de Moraes)
21 – Cotidiano Nº 2 (Toquinho / Vinicius de Moraes) Versão francesa
22 – Gente Humilde (Garoto / Vinicius de Moraes / Chico Buarque)
23 – Paiol de Pólvora (Toquinho / Vinicius de Moraes)
24 – Clarice (Caetano Veloso / Capinan)
25 – Morena do Mar (Dorival Caymmi)26 – Opção (Gisa Nogueira)
27 – Tributo aos Orixás (Mauro Duarte / Ruben Tavares / Noca da Portela)
28 – São Demais os Perigos Desta Vida (Toquinho / Vinicius de Moraes)
29 – Tatamirô (Toquinho / Vinicius de Moraes)
30 – Tarde Em Itapoã (Toquinho / Vinicius de Moraes)

Toquinho & Guarnieri – Botequim (1973)

Este disco reúne as trilhas musicais de três peças escritas por Gianfrancesco Guarnieri. Em parceria com Toquinho, eles compuseram músicas para “Castro Alves Pede Passagem”, “Um Grito No Ar” e “Botiquim”. No álbum há também a participação da cantora Marlene. Um disco altamente recomendável. Toque esse toque.

1 Quem sabe mais
2 Esperando por você
3 Canção do medo
4 Meu tempo e Castro Alves
5 Sou assim
6 Um grito parado no ar
7 Quanto vale uma criança
8 Embolada no carrapato
9 Mesa de bar
10 Dane-se
11 Vem amor, vem vingança
12 Bobeou, não vai entender