Celso Murilo – Sambas Na Passarela (1961)

Olá amigos cultos e ocultos! Amanhã o Toque Musical estará completando 8 anos de postagens. Desta vez não vai ter bolo e nem festa, mas a música continua. Com a maturidade chegando, a gente começa a deixar a vaidade de lado. E o encanto que era celebrar mais uma data, hoje é só uma lembrança.
Para hoje temos este disco bem legal do organista mineiro, Celso Murilo. Ao que entendi, este foi seu disco de estréia. Um lp recheado de bons sambas, em interpretações das mais simpáticas.
Curiosamente, hoje em dia não se ouve mais falar neste artista. Parece que ele resolveu sair do mapa, do cenário musical. Não há registros dele a partir dos anos 70. Descobri que Celso está vivo e mora em sua cidade natal, Baepenti, em Minas Gerais. E pensar que ele já esteve ao lado de outros grandes artistas, chegando inclusive a ser convidado para morar e tocar nos ‘States’ , acompanhando João Gilberto e Astrud. O ‘mineirão’, como era chamado por João Gilberto, vacilou… Ainda muito novo, recusou o convite. Ficou por aqui, gravou diversos discos, fez lá a sua fama, mas depois se recolheu. Seus discos só voltaram a tona graças a ação de blogs de música, como o Toque Musical.

boato
atire a primeira pedra
murmúrio
jarro da saudade
samba triste
samba na passarela
guarde a sandália dela
volta
dizem por aí
fica comigo
a fonte secou
zelão

The Cuban Boys – Cha Cha Cha (1962)

Boa tarde, amigos cultos, ocultos e associados! Não sei se vocês já perceberam, mas estamos com mais um agrado no Toque Musical. Refiro-me ao nosso tocador de músicas, que agora passa a fazer parte do blog, trazendo semanalmente uma lista de músicas extraídas de diferentes postagens. Como o Toque Musical é por excelência um blog variado, teremos também uma programação sortida, agradando aos gregos, troianos e romanos 🙂 Por enquanto, ainda estamos em fase da adaptação e teste, mas mesmo assim já é possível conferir a programação musical. Basta clicar no quadro da Web Rádio Toque Musical e uma nova janela se abrirá para o tocador. Esta por sua vez não depende de estar nas páginas do TM. Obrigatoriamente ninguém precisa estar no blog para ouvir a WRTM. Fiquem a vontade para comentar. Tenho certeza que muitos farão desta, sua web rádio favorita.

Ainda  não está na programação, mas logo chega: The Cuban Boys, vocês conhece? Não estou me referindo ao grupo cubano de rap. Os garotos cubanos aqui são outro. Na verdade, nem cubanos eles são. O time aqui é mesmo de brasileiros. Um grupo criado e produzido para o selo Pawal, que naquele início dos anos 60 era também responsável pelos lançamentos de Celso Murilo e Seu Conjunto. Bom…, na verdade o The Cuban Boys e Celso Murilo e Seu Conjunto é a mesma coisa. A Pawal, como diversas outras gravadoras e selos, usavam desse artifício, criando pseudônimos para seus artistas, de maneira que esses pudessem atuar com sendo outros artistas. Para a Pawal isso era bom, pois ampliava o seu catálogo fonográfico.

Mas como eu dizia, temos aqui The Cuban Boys, uma produção feita para atender a demanda do mercado da época. A onda era então o Cha Cha Cha e Pawal mais que depressa lança lá o seu conjunto. Realmente, mataram a pau, um p… disco para se ouvir de cabo a rabo. Desfilam aqui alguns clássicos desse gênero delicioso, assim como também composições do organista, aqui chamado pelo nome real de Celso Pereira. Imperdível!

los marcianos

september song

carinito

esto es el ritmo

love for sale

cha cha celso

tea for two

rico vacilon

mirage

ritmo sabroso

cha cha cha na passarela

cha cha cha en copa

 

Luiz Humberto – Temas Para Dançar (S/D)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Como eu havia comentado ontem, aqui vai mais um bom exemplo dessa história de discos relançados com nomes trocados pelo selo Paladium. Assim como o Rubens Bassini se tornou Raul Ferreira, o organista Celso Murilo se transformou em Luiz Humberto. E olha que pela selo mineiro ele saiu em dois disco, este e o “Dançando nas nuvens”, postado aqui em agosto do ano passado. “Temas para dançar” foi apresentado há tempos atrás pelo excelente blog Bossa Brasileira. Foi de lá que eu busquei mais este exemplo, o qual, como poderemos constatar era antes o “Ritmos na passarela”, lançado à uns três ou quatro anos antes, também pelo selo Pawal. Se formos pesquisar a fundo, veremos que talvez, muitos lançamentos da Pawal se tornaram novos discos nas versões da Paladium, Coledisc, Beverly e outros selos considerados obscuros ou de segunda linha. Ao contrário do que anunciou nosso amigo do blog Bossa Brasileira em sua postagem, “Luiz Humberto, Orgão & Ritmos – Temas para dançar (1962)”, o álbum foi lançado pela Paladium por volta de 64 ou 65. Foi nessa época que a Paladium começou a trabalhar com ‘as matrizes intercambiáveis’. Conforme me contou o Dirceu Cheib, o que era produzido de verdade na Bemol, muitas vezes era também relançado com outros nomes e em outras gravadoras. Este era um procedimento aparentemente normal entre as pequenas editoras (e nas grandes também!).
Bom, quanto ao conteúdo musical deste disco, não é preciso falar muito. Temos uma seleção com temas dos mais agradáveis e já bem conhecidos do público, principalmente através do Loronix, que foi quem o publicou a primeira vez. São sambas, boleros, bossa, cha cha cha e outros ritmos dançantes da época. Seja como Celso Murilo ou Luiz Humberto, o disco é ótimo! 🙂
.
poema do adeus
look for a star
fiz o bobão
carinito
falsa baiana
halen nocturne
chora tua tristeza
palhaçada
quem manda na minha vida
se meu apartamento falasse

Luiz Humberto – Dançando Nas Nuvens (1965)

Olá amigos cultos e ocultos, pelo Brasil e o mundo a fora, boa noite! Só agora estou conseguindo colocar a postagem do dia. Depois de 3 horas de viagem, estou em casa! Lar, doce lar! Embora eu não tenha comentado, estive fora a semana inteira, ganhando o meu quinhão. Minhas últimas postagens foram retiradas da gaveta, previamente estocadas para momentos que estou em trânsito. Bendito seja o computador daquele hotel que pelas manhãs sempre esteve liberado, salvando os dias. Isso até a chegada de uma família, cujos filhos grudaram na internet com seus malditos orkuts, twitters e fotologs. Na concorrência matinal eu acabei desistindo. Pelo jeito, eu vou ter mesmo que comprar um ‘notebook’ para mim. Tenho resistido porque sei que esta será mais uma corrente que eu terei de arrastar. Mais um peso, mais uma preocupação…

Bom, vamos ao que interessa. Vamos, ainda na salada mista, desta vez com um disco especial. Ótimo para a noite de sábado. “Dançando nas nuvens” é o título deste álbum lançado nos anos 60 pelo selo mineiro Paladium. Ele faz parte do pacote com seis lp’s do “Esquema Musical 65”, uma série vendida à domicílio pela Bemol na época. Temos aqui Luiz Humberto, mais conhecido como Celso Murilo. Ou, o pseudônimo do organista Celso Murilo. No disco temos um repertório variado e de qualidade, com pinceladas de samba e bossa, apresentando uma sonoridade extremamente agradável inclusive para os dias de hoje. As faixas aqui selecionadas fazem parte de alguns dos discos do artista, lançados pelo selo Pawal. Achar informações sobre essa história de pseudônimos é uma coisa tão difícil quando falar da Paladium. Precisaríamos de mais tempo para uma pesquisa detalhada. Mas essa eu deixo para vocês, com direito a comentários, correções e complementos ao que foi postado.
Aqui é assim… eu faço o esboço e deixo a arte final para vocês. Cada um lapida a pedra ao seu gosto. Isso é que é interação, não é mesmo? 😉
samba triste
chorou, chorou
rosa morena
volta
boato
menino desce daí
corcovado
zelão
teleco-teco nº1
arrivederci roma
almost like being in love
silbando mambo