Ritmos E Melodias Na Música Popular – Discoteca Dançante(1966)

Olá amigos cultos e ocultos! Cumprindo aqui o prometido, segue hoje mais um disco da caixa “Ritmos e Melodias na Música Popular. Este é o disco 4. O 3, 5 e 6 eu não irei postar porque são temas e artistas internacionais, que de uma certa forma não nos interessa, pelo menos não aqui no Toque Musical. O lp “Discoteca Dançante” é sem dúvida um dos discos mais interessantes da caixa, trazendo um repertório de sucessos internacionais variados, assim como são variados os interpretes e orquestras. Alguns inclusive inéditos em nossas listas.

cundo calienta el sol – sandoval dias
around the world – steve bernard
o trovador de toledo – carlos piper
love is a many splendored thing – cipó
tequila – don pepito
tornerai suzie wong – sandoval dias
tarde fria – steve bernard
the green leaves the summer – sandoval dias
mutiplication – carlos piper
tender is the night – exodus – sandoval dias
cachito – sexteto plaza
serenade in blue – boneca
noites de moscou – gerson flinckas
el manisero – don pacheco
i can’t stop loving you – sandoval dias
murmúrio – paulo roberto
.

Cipó And His Authentic Rhythm Group – Brazilian Beat (1965)

É, acho que preciso colocar mais tempero no rango. Naturalmente, sei que comentários só aparecem quando a coisa está muito boa ou muito ruim. Pelo jeito, as postagens desta semana estão num meio termo. E eu que pensava que teríamos uma semana quente. Mas vamos dar um jeito nisso, o caldo vai engrossando, vejam só… Temos aqui uma jóia de rara beleza, coisa que já não se ouve mais. Um disco que está na lista dos meus 3 mil da MPB. Mais um belíssimo trabalho do Maestro Cipó que vem agora fulgurar nossa semana, chamando a atenção e comentários do amigos cultos e ocultos.
Depois de dois discos do Maestro já postados aqui, acho desnecessário uma nova apresentação. Como já deve ser do conhecimento da maioria, Orlando Silva de Oliveira Costa, o Cipó, foi um dos mais destacados músicos brasileiros. Grande arranjador e orquestrador de fama e atuação internacional. Dono de uma sensibilidade singular. Mais uma prova disso é ouvir o seu “Brazilan Beat”, um álbum que só pelo título já sabemos ser um produto tipo exportação, ou importação se considerarmos que nessa época, Cipó trabalha na Europa. Salvo o engano, este lp, lançado em 1965 pela Odeon, foi produzido no intuito de solidificar a arte musical brasileira na Europa, mais exatamente na Inglaterra. Cipó na terra da Rainha é quase um rei. Com este álbum ele deve ter feito o povo da Ilha pirar, pois é tudo de bom. Um trabalho marcado pelo ritmo autêntico do samba, um tipo de batucada que hoje não se ouve mais. Acho que nem as escolas de samba e seus ritmistas fazem hoje coisa igual. Eu acho que nem a famosa frigideira, como a que podemos ver na foto da capa (por sinal muito fraquinha, senhor Chico Pereira!), faz parte da instrumentação do samba atual. Me parece que as baterias de escolas de samba hoje em dia só usam o instrumento para friar ovo. Pois é, deu saudades do Luciano Perrone… Por isso mesmo e para quem gosta, agora é a vez de “Cipó and his authentic rhythm group”. Infelizmente o álbum que apresento a vocês é o da edição nacional. Se fosse o importado poderíamos ouví-lo na melhor qualidade ‘stéreo’. Mas está valendo, né não? 😉

implorar
general da banda
eu brinco
recordar
pastorinhas
cai cai
estão voltado as flores

Maestro Cipó – A Fantástica Orquestra De Stúdio De Cipó (1964)

Segue aqui mais uma postagem especial da semana natalina. Vamos agora com o maestro Cipó e sua fantástica orquestra de estúdio. Este disco, só pela capa já merece a nossa atenção. Simplesmente maravilhosa, né não? Representa bem o que é o mundo maravilhoso da música no vinil. A agulha pousada sobre o sulco do disco numa quase micro paisagem de ficção científica, um ‘close’ que surpreende e sugere. Bacana! Quanto ao conteúdo musical, também não há muito a dizer sabendo que a contracapa já nos dá uma ficha completa deste trabalho onde desfilam diversos ‘standards’ da música internacional. O maestro Cipó (Orlando Silva de Oliveira Costa) foi um dos grandes arranjadores e orquestrador brasileiro dos anos 60 e 70, reconhecido internacionalmente. Talvez mais conhecido lá fora do que aqui, em seu próprio país. Atuou ao lado do trompetista americano, Dizzy Gillespie. Na Inglaterra lançou vários discos de bossa nova. Trabalhou por muitos anos na televisão (Tupi, Globo e outras) como diretor musical, criando diversas trilhas, orquestrando e arranjando para os mais diversos artistas.

rei dos reis
that old black magic
i’ve got youn ander my skin
i love you samantha
blue gardenia
caravan
days of wine and roses
what’s new
answer me
my funny valentine

O Brasil Canta Por Um Mundo Melhor – Brazilo Kantas Por Pli Bona Mondo (1970)

Hoje o dia foi foda! Desculpe-me a expressão. Mas só agora estou conseguindo construir e publicar a postagem do dia. E mesmo assim terei que ser breve, pois tenho ainda uma estrada pela frente. Alguém aqui fala Esperanto? Então escuta…
Mais um trabalho fonográfico interessante e curioso temos para esta sexta-feira. Um disco gravado em Esperanto. “Brazilo kantas por pli bona mondo” (O Brasil canta por um mundo melhor), foi um álbum idealizado pelo professor Sylla Chaves, um dos mais importantes esperantistas brasileiros, membro da Academia de Esperanto, jornalista, escritor e poeta. O lp apresenta ao público uma amostra do que é o Esperanto, através de uma seleção de poemas e clássicos musicais de consagrados autores brasileiros, vertidos para esta língua por Sylla Chaves. Participam do álbum Franca Fenatti, Antonio João e Aurora Miranda. Os arranjos e regência são do maestro Cipó.
Para aqueles que não sabem, o Esperanto é uma língua neutra auxiliar e internacional, criada por Lázaro Zamenhof, na Polônia em 1887. Seu objetivo principal é facilitar a comunicação entre povos de idiomas diferentes. Embora pouco divulgado, ele está presente em mais 120 países pelo mundo. Dizem que é uma língua relativamente fácil de se aprender. No Brasil existem muitos adeptos e sua atuação é constante. Saiba mais a respeito do Esperanto através do site Liga Brasileira de Esperanto.

esperanto – apresentação
cinco náufragos / kvin dronintoj – syllas chaves
ave maria do morro / avemaria en la monto – franca fenati
hino / himno – syllas chaves
cai, cai, balão / tuj, tuj, balon – aurora miranda
josé / jozefo – sylla chaves
quero que vá tudo pro inferno / iru cio al la inferno – franca fenati
luar do sertão / internlanda luno – antonio joão
ninguém me ama / neniu amas min – aurora miranda
maringá – antonio joão
a banda / la muzikistaro – franca fenati
chão de estrelas / planko stelplena – antonio joão
tico tico no fubá / zonotriko en la faruno – aurora miranda