Trio Espacial – Trio Elétrico Dodô & Osmar (1988)

Olá amigos cultos e ocultos! Enfim, vamos dando uma pausa nas guitarras e focando no momento que é de carnaval. Estrategicamente escolhi para hoje um disco para marcar a transição do rock para o som da folia, a música inspirada no Trio Elétrico de Dodô e Osmar. A guitarra continua, mas dessa vez ela é baiana. Vamos no embalo de dois trios. De um lado o Trio Espacial e do outro o Trio Elétrico Dodô & Osmar. Não confundir como o original, o Trio Elétrico de’ Dodô & Osmar. Este é um trabalho dos irmãos Aroldo e Armandinho Macedo, filhos de Osmar. Os dois, integrantes do grupo A Cor do Som (que foi oque faltou aqui em nossa mostra de influencias rock’n’roll). Uma produção de Aroldo Macedo, com participação especial de Armandinho e Moraes Moreira.
Neste lp, lançado em 1988 pelo selo SBK vamos encontrar um trio elétrico ‘remodelado’. Uma releitura musical que eleva o trio elétrico a um estilo próprio, caracterizado principalmente pela tal guitarrinha baiana, a qual não há melhores representantes e interpretes que os irmãos Macedo. A música do trio elétrico, aqui, ultrapassa a um simples gênero carnavalesco. Vai além dos dias de Carnaval.

trio espacial
paz de espírito
um beijo na vitória
é carnaval o ano inteiro
deus do fogo e da justiça
baticum do olodum
aquidabã
fases
manda dizer
amar é
.

Trio Elétrico Dodô & Osmar – Incendiou O Brasil (1981)

Olá foliões cultos e ocultos! Espero que todos tenham chegado inteiros após a jornada carnavalesca de ontem. Se tiverem com ressaca, tomem um sal de fruta com água tônica, costuma ser muito bom. Eu já tomei e melhorei :)
Hoje eu vou mandar cedo. Na sequência da folia, temos um disquinho curioso. Quem vê pela capa, estampando uma belíssima gravura de Fayga Ostrower, não imagina que por trás, ou melhor, por dentro, vamos encontrar o Trio Elétrico de Dodô & Osmar. Muito menos se pensaria em um disco de carnaval. Porém tudo se justifica (justifica?). Na verdade, trata-se de um lp que faz parte de uma série criada pela Funart para o então Departamento de Cooperação Cultural, Científica e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, a partir de 1978. A ideia era a de propagar a diversidade musical brasileira pelos cinco continentes, em vários países, dando a esses a oportunidade de conhecer melhor o variado leque musical produzido originalmente em nosso país. Ao que tudo indica, esse trabalho teve bons resultados, o que acabou gerando uma segunda versão, a qual passou-se a chamar “Projeto Ary Barroso” e sendo coordenado por Hermínio Bello de Carvalho. Se tratando de uma coleção promocional, esses discos pouco foram vistos (e ouvidos) por aqui. Da série, temos o disco 4, celebrando os baianos do Trio Elétrico. E Trio Elétrico é sem dúvida sinônimo de carnaval. Assim sendo, mesmo com uma gravura que mais caberia à música erudita, a temática aqui é carnavalesca. Até que pensando bem ela tem tudo a ver com o espírito baiano de ser, incorporando o improvável, misturando ‘Pires de Oliveira com pratinho de azeitona’. Uma simpática e estranha combinação que sempre acaba em alegria. Salve a Bahia! Viva o Carnaval!

saravá lennon
incendiou o brasil
é massa
trajetória do trio
dia de carnaval
de lá da bahia
turmalina
viva o rei nagô
besouro quente
granadinho
ladeira da lenha
dodô no céu, osmar na terra

Armandinho – Trio Elétrico Dodô & Osmar (1977)

Vamos aproveitar essa passagem pela Bahia e seguir o Trio Elétrico de Dodô & Osmar, afinal, “atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”. E salve a Bahia!
Aqui temos então este álbum histórico, lançado três anos após o retorno do Trio Elétrico ao carnaval baiano em 1974, depois de um período de ausência. Nesta retomada, Osmar reúne os filhos e também Moraes Moreira que entra como o primeiro cantor do grupo. Antes o Trio só fazia instrumental. Armandinho, genial guitarrista da banda A Cor do Som, filho de Osmar, juntamente com Moraes Moreira dão vida nova a este grupo que surgiu nos anos 50.
Em sua originalidade, o Trio Elétrico virou uma tradição e se tornou um sinônimo de carnaval não apenas na Bahia, mas em todo o Brasil.
Neste álbum temos uma seleção de frevos e marchinhas já bem conhecida do público. Além das composições cantadas de Moraes Moreira que trazem uma nova roupagem ao grupo. A partir daí começariam a surgir, no estilo, outros carros elétricos e grupos pela cidade de Salvador.

hino do bahia
novo é o povo
cornetas do além
a lira e a jandira
com mil demônios
um pedacinho de tudo
frevo pesado
baiana brejeira
santos dumont, dodô e osmar
estrepolia elétrica
frevo dobrado n.2
bozó
saia do caminho
gostosão
vassourinha
vassourinha II