Fred Williams – Ritmo Alegre (1957)

Olá amigos cultos e ocultos! Carnaval está chegando aí, mas eu daqui vou me guardando até que a festa comece. Vou deixar algumas postagens carnavalescas para o momento da folia. Amanhã começa a festa e teremos uma edição extra do GRB, apresentado pelo nosso amigo Samuca, o Samuel Machado Filho, abrindo aqui oficialmente o Carnaval. Hoje e por enquanto vamos nos segurando…
Tenho aqui para vocês o gaitista Fred Williams, figura que sempre fez muito sucesso em nosso blog. Vez por outra eu estava sempre repondo links dos seus discos. Como já não faço mais reposição de links, o jeito é ficar esperto e acompanhar o Toque Musical. Como eu já disse, a fila anda… Mesmo assim e para compensar, vou trazendo sempre uma velha e boa novidade. Pois bem, está aqui o tão esperado álbum de 10 polegadas do gaitista, “Ritmo Alegre”, lançado em 1957 pela RCA Victor. Este foi o seu primeiro álbum. Antes disso ele só havia gravado as bolachas de 78 rpm. Segue aqui essa belezinha, enquanto o Carnaval não vem. Divirtam-se

ritmo alegre
uma farra da orquestra
balança a roseira
baião da serra grande
mexe bem
uma gaita no baile
volte pra mim
um paulista na gaita
.

Fred Williams – Ritmo Quente (1960)

Bom dia amigos cultos e ocultos! Hoje é sexta-feira, mas não será dia de disco/artista independente. Temos ainda uma gaita para tocar. Na verdade até teríamos mais, porém as que ainda estão na manga vão ficar para uma outra vez. Percebi que algumas delas ainda podem ser encontradas facilmente nos melhores blogs do ramo, hehehe… Quem sabe numa próxima oportunidade possamos também trazer outros Omar Izar, Edu da Gaita, Tavares da Gaita, Maurício Einhorn, Rildo Hora e inclusive o Fred Williams. Além do mais, para a próxima semana eu pretendo engrossar o caldo…

Seguindo em nossa jornada musical temos, como prometido, mais um disco de Manoel Xisto, o Fred Williams. “Ritmo Quente” é um álbum de 1960. Eu acredito que este veio a ser o seu quarto lp. Penso ainda que as músicas desses lp são relançamentos, reunidas de diversas bolachas gravadas por ele na RCA Victor, nos anos 50. Aqui encontramos as seguintes músicas…

rapasiada alegre
barrigudinha
horas de prazer
baião da serra do mar
menina romântica
pagode bom
pulo do gato
ritmo quente
baião das moreninhas
mambo para milhões
xote dos carecas
amor e gaita

Fred Williams – O Mágico Da Gaita Em Hi-Fi (1959)

Trocando figurinha com o gaitista baiano Luiz Rocha, numa pesquisa que ele está fazendo sobre o instrumento no Brasil, acabei adotando a ideia de termos aqui uma semana temática com alguns discos disponíveis. Como sei que vai render, vou começar a partir de hoje mesmo. Vamos levar a semana na gaita 😉

Temos aqui, e mais uma vez, o gaitista carioca Fred Williams, um dos maiores nomes do instrumento, ao lado de Edú da Gaita. Eu já havia postado no TM um disco dele, de 1971, “Fred Williams e Dalila” (Uma coisa que eu acho curiosa é que nesse primeiro disco ele aparenta mais jovem, assim como o Waldir Calmon em “E seus multisons“que também estampa uma cara mais jovial, hehehe…). Agora vamos com este álbum pela RCA Victor, lançado em 1959. Um disco que atraí logo a atenção, vejam a variedade de gaitas do cara! Mas tem que ouvir também. O repertório é quase todo autoral, explorando ritmos como maxixe, choro, valsa, bolero, entre outros…
.
um pagode no rio
saudades da paulicéia
lembranças do sertão
suspirando
recordações de minas
barril de chopp
uma noite em porto alegre
manhãs de sol
tarde feliz
na casa da filhinha
enconsta moreninha
um chorinho para aniversário

Fred Williams E Dalila (1971)

Ao lado de Edú da Gaita, o carioca Fred Williams, nome artístico de Manoel Xisto, foi um dos grandes gaitistas do Brasil. Autodidata, iniciou-se na harmônica ainda bem jovem. No final dos anos 30 foi para o rádio como integrante de um conjunto musical. Seus primeiros discos vieram a partir dos anos 50. Suas composições faziam muito sucesso. Dominava os diversos tipos de gaita e, veladamente, rivalizava com o célebre Edú. Segundo as escassas e duvidosas fontes, o gaitista gravou dezenas de bolachas em 78 rpm e apenas um lp, encerrando sua carreira no inicio dos anos 60 (eu cá, tenho as minhas dúvidas). Infelizmente não há na rede informações precisas ou detalhas sobre Fred Williams. Acho que só mesmo recorrendo aos universitários e acadêmicos de plantão.
“Fred Williams e Dalila” é um álbum que nos mostra o contrário do que foi dito. Este disco foi lançado em1971 (e eu conheço dele pelo menos mais uns dois lps). O repertório é composto por alguns temas gravados anteriormente, possivelmente regravação, pois o disco ainda nos apresenta coisas inéditas e de outros autores. Quanto à Dalila, não adianta perguntar ou procurar. Ela não toca e nem canta, apenas encanta a capa. Possivelmente seria a esposa do gaitista. (ou não?)

meu pequeno cachoeiro
dorinha meu amor
lampeão de gaz
prá começo de assunto
não vou nessa cascata
maricota do cajú
uma farra em porto alegre
balança tudo
mâezinha do coração
briguinha de amor
viajando pra fazenda
ilusão de um grane amor