Vicente Barreto – Nação Brasileira (1985)


Vicente Barreto, cantor e compositor que o Toque Musical põe em foco no dia de hoje, é o legítimo “tabaréu”, caipira do Nordeste. Nasceu em Salgadália, distrito de Conceição do Coité, no interior da Bahia, em 5 de abril de 1950, mas foi criado no município de Serrinha. Autodidata na arte de tocar violão, é parceiro de diversos artistas da MPB, tais como Alceu Valença (“Morena tropicana”, “Cabelo no pente”, “Pelas ruas que andei”), Tom Zé (“Hein!”, “Esteticar”, “Vaia de bêbado não vale”), Vinícius de Moraes (“Eterno retorno”), Celso Viáfora (“A cara do Brasil”, “A notícia”, “Por um fio”) e Paulo César Pinheiro (“Na volta que o mundo dá”), e tem dez álbuns lançados, o mais recente, “Cambaco”, de 2015. Suas músicas também foram gravadas por intérpretes do porte de Elba Ramalho, Ney Matogrosso, Alaíde Costa e Mônica Salmaso, entre outros. “Nação brasileira”, que o TM oferece hoje a seus amigos cultos e ocultos, é o quarto disco de Vicente Barreto, e foi lançado em 1985. Aqui, o destaque fica por conta de “Amor de papel”, uma parceria com Raul Ellwanger, que foi tema da primeira versão da novela global “Sinhá Moça”. Ambos também assinam “Moça do Leblon” e “Cangaíba”. Há ainda parcerias com Jaguar (“Beijo de lua” e “Teias do coração”), Hermínio Bello de Carvalho (“Gaiola”), Alceu Valença (“Pirapora”) e Zé Rocha (“Mudança do tempo” e “Maracatu, nação brasileira”).  Tudo resultando em mais um disco que vale a pena conferir. 

moça do leblon
gaiola
beijo de lua
o sanfoneiro
teias do coração
pirapora
amor de papel
mudança de tempo
cangaíba
maracatu nação brasileira


*Texto de Samuel Machado Filho

 

Vinicius de Moraes – Eterno Retorno (1986)

Eis que chegamos ao final de 2009. Apesar de vários pesares, eu não posso reclamar e dizer que foi um ano ruim. Teve chuva e teve sol, alegrias e tristezas. Mas a vida é isso, uma sequência ao acaso num caso sempre sequente. Entre tantas coisas que nos deixam para baixo, tivemos por aqui e diariamente, a música e as boas lembranças para nos por para cima. Um alento em dias tão tumultuados. Estar a frente deste blog tem sido para mim, uma terapia, um exercício de cultura musical, de relacionamento e principalmente um grande prazer. O que eu ganho em contrapartida ao apresentar diariamente uma nova postagem é mesmo a satisfação, alguns bons amigos cultos e outros ocultos. Um relacionamento agradável com pessoas com as mesmas afinidades. Isso é prazer 🙂

Bom, deixemos o resto das considerações finais para amanhã. Vamos com o álbum do dia. Temos aqui esta coletânea dedicada ao poetinha Vinícius de Moraes. Pessoalmente, eu gosto bem de coletâneas. Elas geralmente trazem surpresas, gravações raras ou artistas inesperados. “Eterno Retorno” é um disco assim, com um variado leque de artistas interpretando músicas de Vinícius de Moraes e seus parceiros. A coletânea foi idealizada e produzida pelo radialista e escritor Simon Khoury. Tive a impressão, pelo subtítulo “Homenagem ao autor”, de que este disco faz parte de alguma série. Porém não encontrei nenhum outro nas mesmas condições, embora conste que Simon produziu outros grandes nomes como Johnny Alf, Carmen Costa e Sebastião Tapajós. Pela capa deste lp já podemos saber quem são os intérpretes, o que dispensa a convencional listagem com a relação das músicas. Taí, mais um disco bacana para se ouvir no fim de ano. Boas festas!