Elomar & Arthur Moreira Lima – Parcelada Malunga (1980)

Dando sequência à semana dos digitalizados mas difíceis de serem encontrados, estou trazendo o “Parcelada Malunga”, um álbum de encontro do pianista Arthur Moreira Lima com o cantador, compositor e violeiro Elomar Figueira. Este disco até que não é tão difícil de achar, já se tornou um clássico popular e até já foi bem divulgado em outros blogs. Mesmo assim, vai tendo o seu lugar garantido aqui no Toque Musical. Pessoalmente, eu adoro este disco.

Gravado ao vivo no Teatro Pixinguinha em São Paulo, este álbum registra o encontro de dois músicos aparentemente distintos ou de extremos opostos, um erudito e o outro popular. Mas a ouvirmos, fica claro o quanto esses dois mundos têm em comum, além da simpatia recíproca entre os músicos. O show “Parcelada Malunga” contou ainda com as participações especiais de Heraldo do Monte, Xangai e Zé Gomes. Minha única queixa é fato de ser este um disco simples. Pelo que contam do show, bem que merecia um álbum duplo. Mesmo assim é uma jóia de se ouvir com outros olhos.
o violeiro
as curvas do rio
louvação
cantiga de amigo
chula no terreiro
peão na amarração
cantada
estrela maga dos ciganos
puluxias
clarió

Heraldo Do Monte – Cordas Vivas (1983)

Olás! Esta semana eu procurarei ser bem variado, conforme anda o meu espírito eclético musical. No último fim de semana acho que ouvi mais música que o de costume. Talvez até prolongue por mais tempo, afinal quando falamos de música popular brasileira temos um leque de possibilidades que não se limita apenas à bossa e samba. Assim, se ontem fomos de Dick e Claudette, hoje iremos com o instrumental do Heraldo do Monte. E que instrumental, diga-se de passagem!

“Cordas Vivas” é um álbum muito bonito, a começar pela capa ilustrada com a pintura do artista plástico Michinori Inagaki. Tinha que ser, afinal um disco do Heraldo merece uma capa a altura de sua música, ainda mais neste disco onde temos a participação especial do ‘Mago do Som’, Hermeto Pascoal e do não menos mágico Edson José Alves que segura no ‘ovation’ da primeira à última faixa do lp. A música de Heraldo do Monte é recheada de sotaques nordestinos e ao mesmo tempo é universal. Não tem como errar. Não há como desagradar, é mesmo linda. O álbum traz apenas Heraldo, Edson, Hermeto (em duas faixas) e Pernambuco no triângulo e percussão. É difícil, para mim, destacar esta ou aquele música. Posso dizer com certeza, “Cordas Vivas” é um disco bom de cabo a rabo. Confiram aí…
caboclo elétrico
mordida de abelha
moreneide
valsa pra tutuca
mareado
esperando a feijoada
pingo a pingo
coisa de lá
teia de aranha
um cantinho e dois violões
fugidinha pro d’alma
giselle
lágrima nordestina
dois na brncadeira

Heraldo Do Monte E Seu Conjunto – Dançando Com O Sucesso N. 2 (1962)

Ao abrir o baú onde encontrei a Rosana Toledo, achei também este disco do Heraldo do Monte. O cara toca tudo que é de corda, multinstrumentista famoso e super premiado. Já tocou com os mais diversos artistas nacionais e internacionais. Fez parte do lendário Quarteto Novo, ao lado de Hermeto Pascoal, Airto Moreira e Téo de Barros. O disco que temos aqui é seu terceiro álbum, lançado em 1962. Um disco para fans.
01- Cinderela (Paul Anka)
02- Castiguei (Jorge Cosata – Venâncio)
03- Cavaleiros do céu “Ridere in The shy” (Stan Jones)
04- Fiz o bobão (Haroldo Barbosa – Luiz Reis)
05- Hernando’s hideaway (Richard Adler – Jerry Ross)
06- Brigitte Bardot (Miguel Gustavo)
07- Samba que eu quero ver (Djalma Ferreira – Juvenal Fernandes)
08- Nena nenita (Joaquin Prieto)
09- Chora, coração (Danie Brean – O.Guilherme)
10- Lady of Spain (Tolchard Evans – Erell Reaves)