Vamos Dançar? – Vol. 1 (1957)

Olá a todos! Hoje eu estou trazendo um disco bem interessante, um lp dos mais raros entre os raros postados aqui. Trata-se de uma coletânea da Sinter reunindo oito de seus artistas em gravações originalmente lançadas em 78 rpm. O lp do qual eu extraí as gemas, infelizmente não estava lá grandes coisas, precisei de paciência para limpa-lo, ‘na unha’. Acho que agora está um pouco mais aceitável. Por outra, a qualidade desse microssulco é também questionável. Este é um raro exemplo entre os primeiros lp de 12 polegadas onde podemos encontrar mais do que 12 faixas. Eles aqui aproveitaram ao máximo o espaço do vinil para colocarem 16 músicas, ou seja, 8 bolachas num só lp. Ficou tão apertadinho que mal se percebe a pausa entre uma faixa e outra.. Suponho que entre os sulcos também, o que, no meu entendimento, prejudicou uma melhor captação do som pela agulha. Mesmo apesar disso, achei de posta-lo para que os amigos possam conhecer, ou reconhecer. Há aqui alguns fonogramas raros, como é o caso do primeiro disco gravado por Johnny Alf, trazendo as duas faixas: “De cigarro em cigarro”, de Luiz Bonfá e “Falseta”, de sua própria autoria. No álbum não há muitas informações, inclusive a data de lançamento, que eu acredito que seja de 1957 ou 58. Apenas no selo, de forma confusa, é que podemos identificar música e artista. Entre essas há uma que não consta o intérprete, o choro “Atraente”, de Chiquinha Gonzaga (faixa 7). Suponho que seja a música do outro lado do 78 onde tem a faixa “Zulu”, com Irany Pinto. Nesta, só quem pode nos ajudar é o nosso pesquisador Samuel Machado Filho. Aliás, dar um geral em todas, hehehe… Fala aí Samuca!

fuchico – os copacabana

tenderly – donato e seu conjunto

eu vou partir – jamelão

teus olhos entendem os meus – steve bernardes

maria candela – carioca e sua orquestra

de cigarro em cigarro – johnny alf

atraente – os copacabana

eu quero um samba – os namorados

mambo do turfe – carioca e sua orquestra

falseta – johnny alf

zulú – irany pinto

mora no assunto – Jamelão

invitation – donato e seu conjunto

três ave maria – namorados

blue canary – steve bernardes

perereca – os copacabana

PS.: Através de nosso amigo Salvador identificamos o intérprete da 7ª faixa, “Atraente”. Trata-se do conjunto Os Copacabana. Esta gravação foi relançada no disco “Quincas E Os Copacabana”, em 1958, pelo selo Odeon (e pode ser encontrado no Vinyl Maniac).

João Donato – Sambou, Sambou (1965)

Hoje está sendo o primeiro dia em que o nosso blog se coloca fechado para todos. A razão para isso não foi apenas o ‘fuzuê’ criado em torno da postagem da fita do João Gilberto. Devo confessar a vocês que apesar da minha paixão por tudo isso, ando meio cansado. Há tempos venho precisando tirar umas férias, dar uma relaxada e ficar sem compromissos. Gosto muito da minha atividade no blog, a ponto de tê-lo criado com postagens diárias. Fazer uma postagem é algo relativamente simples e rápido, porém, num blog como este a coisa não é bem assim. Carece de um certo preparo e conhecimento sobre o álbum que se está publicando. Isso para não falar do trabalho de bastidores. É mesmo um trabalho complexo, quando buscamos algo consistente. Por essas e por outras, achei que agora foi um bom momento para eu dar uma pausa.
Estou pensando numa maneira diferente de manter o blog sem muitos riscos. Longe dos olhos daqueles que vão contra à minha jornada diária. No que depender de mim, farei o possível para continuar levando até vocês um pouco dos sonhos perdidos.
Apesar dos pesares, não deixarei nos próximos dias de manter diária as nossas postagens.
Para hoje temos o genial João Donato em um álbum importado de 1965. Com ele tocam Tião Neto no baixo, Milton Banana na bateria e Amaury Rodriquez no bongô e pandeiro. Este disco, me parece, foi relançado em cd no Japão em 1994. Por aqui nunca chegou. Alguns blogs já o publicaram, mas o que temos aqui é mais um trabalho de ajuste feito pelo Chris do Rio, realçando ainda mais as qualidades do som. Se você ainda não teve a oportunidade de ouví-lo, sua boa chance está aqui.

muito a vontade
tim dom dom
pra que chorar
sambou… sambou
jodel (café com pão)
vamos nessa
minha saudade
naquela base
olhou pra mim
tema teimoso
só se for agora
caminho de casa

João Donato & Grupo – Ao Vivo No Palácio Das Artes/BH (2007)

Esta é uma postagem especial, exclusivamente para fans do jazz e de João Donato. No início deste mês, aconteceu em Belo Horizonte um projeto musical com vários shows gratuitos de grandes nomes da música brasileria, no Palácio das Artes. Como era de se esperar, os ingressos esgotaram em poucas horas. Fiquei sabendo dos eventos meio que em cima da hora, mas mesmo assim ainda deu tempo de dar uma chegada à Belô e garantir pelo menos um dia de show. Consegui, por sorte, ver o João Donato. Pura maravilha! Se o cara já é bom em disco, fica melhor ainda ao vivo. Ainda mais acompanhado de Luiz Alves, Robertinho Silva e Ricardo Pontes. Foi um show imperdível, numa das melhores casas de espetáculos da cidade. Dei sorte mesmo, pois sentei-me ao lado de um rapaz, que com seu gravadorzinho DAT fez a festa, registrando de cabo a rabo todo o show. Como ele estava ao meu lado e eu vi tudo, não tive dúvida, pedi-lhe uma cópia. Ontem recebi por e-mail o link da gravação. Embora não tenha sido um registro profissional ou apesar de ser uma gravação direta, valeu o trabalho. A qualidade do som não chega a ser uma maravilha, além dos eventuais ruidos captado pelo som direto, mas de todo, não ficou ruim. Me faz lembrar aqueles velhos discos de jazz gravados ao vivo em cafés. Assim, depois de ouví-lo, achei que merecia uma capinha, um formato tipo ‘bootleg’ para ser apresentado aqui no Toque Musical. Espero que gostem, pelo menos do encarte (capa e contra-capa) que me tomou quase umas duas horas de criação.

1-Abertura
2-Cala boca, menino
3-Suco de maracujá
4-Black orchid
5-Bananeira
6-A paz
7-Café com pão
8-Emoriô
9-A rã
10-Simples carinho
11-Vento do canavial
12-Cadê…
13-Lugar comum
14-Nasci para bailar

João Donato – Leilíadas (1986)

João Donato tem sido o artista mais ripado nos blogs de música que a gente vê por aí. E não é pra menos, o cara é mesmo muito bom de serviço e seus discos são coisas finas e raras. Este álbum é de uma fase mais recente, porém é mais difícil de achar. Gravado ao vivo na boate People, no Rio de Janeiro em 1986. Donato e seu grupo desfilam talento e mostra muita ginga em noites de puro jazz.

leila VI lua dourada
leila XIII
leila VIII
leila II
leila IV
leila III