A Música Em Pessoa (1985)

Olá! Hoje eu acordei com meus pensamentos na poesia de Fernando Pessoa. Sempre que penso neste poeta me recordo destes versos:
“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”
Diretamente isso não tem nada a ver com as minhas questões como blogueiro ou anunciação de alguma medida radical. Longe disso… Eu apenas recorro ao texto para abrir uma nova temática (ou sair dela) e ornamentar esta postagem que considero especial. Fernando Pessoa é um dos meus poetas prediletos. Sua mensagem me é sempre sinalizadora e aconselhadora.
O presente álbum é foi um projeto criado por Elisa Byington e Olivia Hime no sentido de celebrar o cinquentenário da morte do poeta. A idéia foi convidar alguns dos maiores nomes de nossa música e teatro para musicar e interpretar seus versos. O disco ficou realmente lindo e só pecou pelo fato de não ser um álbum duplo. Temos então os parceiros e os interpretes do grande poeta e seus principais heterônimos (Alvaro de Campos, Alberto Caeiro, Bernardo Soares e Ricardo Reis) confiram…

o rio da minha aldeia – alberto caeiro e tom jobim – tom jobim
segue o teu destino – ricardo reis e sueli costa – nana caymmi
glosa – fernando pessoa e francis hime – francis e olivia hime
meantime – f. pessoa e ritchie – ritchie
emissário de um rei desconhecido – f. pessoa e milton nascimento – eugênia melo e castro
pasagem das horas – álvaro de campos e francis hime – marcos nanini
meus pensamentos de mágoa – f. pessoa e edu lôbo – edu lôbo
livro do desassossêgo – bernando soares, olivia e edgar duvivier – olivia byington
saudade dada – f. pessoa e arrigo barnabé – arrigo barnabé
na ribeira deste rio – f. pessoa e dori caymmi – dori caymmi
cavaleiro monje – f. pessoa e tom jobim – tom jobim
o menino da sua mãe – música de francis hime e intrepretação de marília pêra
quem bate à minha porta – f. pessoa e arrigo barnabé – vânia bastos
cruzou por mim, veio ter comigo numa rua da baixa – música de nando carneiro
interpretação de jô soares

Olivia Byington – Identidad (1982)


Este é um dos discos mais interessantes na carreira da cantora Olivia. Nada comparado ao álbum de estréia “Corra o risco”, ao meu gosto, uma jóia dos anos 70. Porém, longe de comparações, “Identidad”, lançado em 82, é uma pérola. Gravado em Havana, Cuba, o disco transpira uma latinidade sem igual, mesclando compositores brasileiros e cubanos. O álbum ainda conta com participações especiais de Pablo Milanés e Silvio Rodriguez (que também produz o disco), além de outros músicos cubanos. Vale o toque…

01 Fantasia (Chico Buarque)
02 Procissão (Gilberto Gil)
03 Yo digo que las estrellas (Silvio Rodriguez)
04 Mãe (Glauber Rocha – Sergio Ricardo)
05 Soy loco por ti América (Capinan – Gilberto Gil – Torquato Neto)
06 Perla marina (Sindo Garay)
07 Mi son entero (Juan Formell)
08 Como una campana (Donato Poveda)
09 De que callada manera (Pablo Milanes – Nicolas Guillen)
10 San Vicente (Milton Nascimento – Fernando Brant)
11 Se todos fossem iguais a você (Tom Jobim – Vinicius de Moraes)