Carmen Miranda – A Pequena Notável (1969)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Este ano de 2018 não foi fácil e ao que tudo indica, 2019 vai ser ainda pior. Infelizmente, boa parte do povo brasileiro está cego. Está sendo manipulado e vão, com certeza, fazer merda. Não vou entrar no mérito da coisa, mas acho que vivemos a era da imbecilidade. As redes sociais deram vozes aos idiotas. E até na política eles acham que entendem de alguma coisa. Até faz sentido, afinal essa gente elege seus pares e pelo andar da carruagem, vamos ser governado por idiotas. Estou dizendo isso porque toda essa situação é brochante, em todos os sentidos. Se eu já não estava achando tempo e gosto para dar sequencia nas postagens do Toque Musical, agora então é que perdi mesmo o tesão. Por essas e por outras é que estou com novos planos para o TM em 2019. Vamos mais uma vez mudar a nossa tática. O Toque Musical vai mudar (bad music for bad people).
Para fechar o ano, deixo aqui este lp de Carmen Miranda, lançado pelo Museu da Imagem e do Som, no final dos anos 60. Uma seleção definitiva, com doze gravações clássicas da cantora. Por certo, todas as essa músicas já foram apresentadas aqui através de outros discos postados, inclusive na série Grand Record Brazil, exclusiva do blog Toque Musical. Mas Carmen Miranda sempre vale repetir. Sempre é bom de ouvir. Confiram no GTM.

cachorro vira-lata
camisa listrada
eu dei…
quem é
deixa falar
na baixa do sapateiro
me dá, me dá
como ‘vais’ você
e o mundo não se acabou
na bahia
disseram que voltei americanizada
no tabuleiro da baiana

 

.

Pixinguinha 70 (1977)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Para um mês especial, nada melhor que discos especiais… Fui buscar para esta semana alguns lps bem interessantes. Se tudo correr bem, teremos uma semana sortida.
Seguimos hoje com um disco já bem tocado em muitas fontes. Mas é aqui que ele faz sua estréia e se ‘oficializa’ como mais um ‘toque musical’. Temos hoje, “Pixinguinha 70”, lp que registra o show comemorativo de 70 anos do Mestre Pixinguinha no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, em 1968. Estão presentes no disco como destaque, Jacob do Bandolim, Radamés Gnatalli e os conjuntos Época de Ouro e Os Boêmios. Este lp foi lançado e faz parte do acervo do MIS – Museu da Imagem e do Som. Um registro histórico, com certeza!

carinhoso – jacob do bandolim e radamés gnatalli
uma rosa para pixinguinha – radamés gnatalli
vou para casa – os boêmios
os cinco companheiros – trio de flauta do teatro municipal e conjunto época de ouro
lamento – jacob do bandolim e conjunto época de ouro
ingênuo – jacob do bandolim e conjunto época de ouro
passatempo – os boêmios
gargalhada – os boêmios
rosa – radamés gnatalli
marreco quer água – orquestra radamés gnatalli
pixinguinha – radamés gnatalli e jacob do bandolim
.

.

Pequena História do Samba – MIS (1968)


Boa noite, amigos cultos e ocultos! Hoje eu vou ser ainda mais breve. Cheguei tarde e logo já estou de saída (para a balada). Portanto, jogo rápido, para cumprir tabela…

Segue aqui o disco do sábado, uma coletânea lançada pelo Museu da Imagem e do Som, no final dos anos 60. Aqui nós encontraremos alguns clássicos do samba. Músicas que realmente contam um pouco a história deste estilo nato brasileiro. Estão reunidos aqui diversos fonogramas da gravadora Odeon, representados por alguns dos mais importantes e expressivos artistas do samba, da música popular brasileira.
Este é mais um daqueles discos que todo blog que se preze deve postá-lo. Como eu prezo muito o Toque Musical, estou numa pressa danada e tinha o dito cujo pronto na gaveta, vamos à ele! Quem ainda não o conferiu, a hora é agora. Manda vê…

pelo telefone – bainao
ai yoyô – aracy côrtes
si você jurar – francisco alves e mário reis
feitiço da vila – joão petra de barros
camisa listada – carmen miranda
aquarela do brasil – francisco alves
acertei no milhar – moreira da silva
ai! que saudades da amélia – ataulfo alves
copacabana – dick farney
tiradentes – zezinho
desafinado – joão gilberto