Waltel Branco & Cia – Mancini Também É Samba (1966)

Olá. meus queridos amigos cultos e ocultos! Hoje eu estou trazendo mais um daqueles discos que ficaram na fila de espera. No caso específico deste lp, me faltou a lembrança de fotografar, como de costume, também os selos do disco. Como eu já o havia vendido para um colecionador, fiquei com a cópia incompleta, esperando até que outro aparecesse em minha reta. Mas este é um álbum difícil de achar. Vendi por 200 pratas há quase dois anos. Foi na época um excelente negócio, mas confesso que hoje me arrependo…  Não consegui os selos, mas o disco está aí. Estamos falando de um lp dos mais interessantes da safra nacional nos anos 60. Temos aqui a música do genial compositor americano, Henry Mancini, autor de grandes temas e trilhas do cinema, aqui interpretado em ritmo de samba por um time de músicos brasileiros de primeiríssima linha, vejam na contracapa. Sob a direção de Waltel Branco, que também é responsável pelos arranjos e regência, desfilam 12 grandes sucessos, numa releitura em ritmo de samba, bossa… que é o que acaba virando. Apenas ‘Peter Gunn’ e o ‘Tema da Pantera Cor de Rosa’ ficaram meio assim… meio jazz. Mas enfim, é um discão, merece muto ser ouvido.

peter gunn
lightly
my manne shelly
moon river
something for sellers
not from dixie
mr lucky
dear heart
the pink panther theme
sorta blue
meglio stasera
megéve
.

Waltel Branco – Meu Balanço (1975)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Entre os muitos discos que recebi de doação, eis aqui um pouco do ‘filé’, que eu só estou postando para incrementar o Toque Musical, pois afinal, trata-se de um disco já bem divulgado em muitos blogs, a tal ponto que se transformou em objeto de desejo de colecionadores inclusive internacionais. “Meu Balanço”, de Waltel Branco tornou-se um disco badalado e possivelmente mais vendido em sua reedição estrangeira do que na época de seu lançamento. Tornou-se um álbum ‘cult’, apreciado por nove entre dez dj’s do momento. As novas gerações de ‘antenados’ se ligaram de imediato no balanço desse incrível músico chamado Waltel Branco. Sem dúvida, um discaço e merece estar aqui no Toque Musical, não é mesmo?

luar do sertão
sonho no céu
meu balanço
lady samba
apenas um coração solitário
jael
walking
satiricon
carmen
meiguice
petit fils
zoraia
.

Orquestra Serenata Tropical – O Novo Som Da Orquestra Serenata Tropical (1976)

Depois de uma sexta-feira independente, nada como os embalos de sábado a noite. John Travolta, discoteca, purpurina, Frenéticas, ‘Dancin’ Days’… Foi pensando assim que eu resolvi postar este disco da intitulada Orquestra Serenata Tropical. Conhecem? Por certo, alguns de vocês já devem ter ouvido outros discos com esta orquestra. E pelo que eu pude verificar, superficialmente, ela está em atividade desde os anos 60, talvez até mais. Mas afinal, quem são os músicos dessa orquestra? Pelo que eu pude entender, a Orquestra Serenata Tropical é apenas um nome que veio servindo a indústria fonográfica durante algumas décadas. Me corrijam se eu estiver errado, mas esta é mais um produção de oportunidade, que procura se encaixar no que acontece em um determinado momento. E o momento aqui é a onda discoteca, 1976. Mas o que tem a ver a OST, com seu repertório essencialmente de mpb? A ver pode até não ter nada, tem mesmo é que ouvir. Juntemos Ary Barroso, Dorival Caymmi, Luiz Gonzaga, Vinícius, Tom Jobim, Braguinha, entre outros… ah, tem também os vivos, as duplas João Bosco e Aldir Blanc, Roberto e Erasmo Carlos. Imaginem essa turma no embalo dos anos 70. Novamente… ‘discotheque’, lança perfume, As Panteras… e vamos nós para a discoteca. Acredito que a turma da velha guarda, principalmente o Sr. Ary Barroso, se tivesse ouvido a versão deste disco, teria se remexido todo dentro da sepultura. Só não saberia dizer se de ódio, execrando ‘a modernidade’ ou de alegria, se deixando levar no embalo do ‘dancin’ days’. Bem, falando assim vocês logo vão achar que o álbum não está com essa bola toda. Os puristas certamente não irão gostar. O que temos aqui é um trabalho, cuja a eminência (semi) oculta é do versátil e internacional Waltel Branco. Este é mais um dos muitos discos onde ele atuou por trás das cortinas, ou na cozinha, no caso aqui como arrajador (e possivelmente também como instrumentista). Waltel foi um músico prolixo, dos mais importantes tanto dentro do Brasil como fora. Não vou render aqui a história que vai ficar para uma próxima oportunidade, num de seus discos solo. Voltemos ao ‘novo som’ da Orquestra Serenata Tropical, mpb com gostinho de discoteca, mas se observamos a música com outros olhos, veremos (e ouviremos) bem mais que uma simples trilha para ‘os travoltas’ se requebrarem. Só mesmo o Waltel Branco para subverter com classe o imaculado. No fundo, um bom disco, podem conferir… 😉

além do horizonte
na baixa do sapateiro
não tenho lágrimas
garota de ipanema
onde o céu azul é mais azul
a felicidade
mamãe eu quero
aquarela do brasil
o que é que a baiana tem?
dois prá lá, dois prá cá
asa branca
primavera