Los Fortineros – Canção da América (1981)

Prosseguindo o ciclo que o TM dedica à música popular e folclórica latino-americana, aqui está, para deleite de nossos amigos cultos, ocultos e associados, um álbum dedicado à musica do Uruguai, que partilha suas origens gaúchas com a Argentina, de forma que o tango tem uma importância relevante no país. É “Canção da América”, gravado no Brasil em 1981 pelo grupo Los Fortineros. É mais um álbum cuja produção foi coordenada por Lucas Robles, que, como vocês já sabem, é argentino radicado em território brazuca. O álbum foi lançado pela gravadora Cristal Discos, ex-Bandeirantes, que já não tinha mais vínculo com a rede de televisão homônima. Na verdade, o Grupo Bandeirantes era sócio do músico Cláudio Petraglia na gravadora, e decidiu vender sua parte. Detalhes à parte, o disco é um apanhado interessante, reunindo expressivos trabalhos de compositores uruguaios, tipo Alfredo Zitarrosa (“Doña Soledad”, “El retobao”, “Milonga para uma niña’, “P’al que se va”), Edoardo Mateo (“Tamboriles”), Geronimo Yorio , Carmelo Imperio e Romeo Gavioli (os três assinando o clássico “Baile de los morenos”), Daniel Vigilieti (“Canción para mi América”) e Aníbal Sampayo (“Ki chororo”), com direito até uma obra-prima do venezuelano Eloy Blanco, “Angelitos negros”. Os cinco membros do grupo, apoiados pelo bandoneonista  Hugo Abelo, pelo pianista Roberto Abitante e pelo baixista Ricardo Sorondo, mostram extrema competência, fazendo deste trabalho uma peça de colecionador digna de integrar o ciclo latino de nosso TM. A conferir, sem falta…

doña soledad
ki chororo
siga el baile
el retobao
angelitos negros
baile de los morenos
cancion para mi america
milonga para una niña
candela
p’al que se va
chiquillada
tamboriles

*Texto de Samuel Machado Filho

Nova Canção Do Sul (1980)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Mais uma vez, marcando presença, trago para vocês outra boa doação do amigo Fáres. Tenho aqui um disco bem interessante. Um verdadeiro mostruário da música popular brasileira feita no sul do Brasil. Uma série de artistas vindos do Rio Grande, músicos que se despontaram naquele início de década. Repetindo o que está no texto da contracapa, desde Lupicínio Rodrigues não se ouvia falar em personalidades musicais gaúchas inseridas no processo criativo da MPB. Porém, a música no Sul sempre existiu, presente nos bares, boates, festivais e no rádio da região. No início dos anos 80 surgia com muita força uma nova e expressiva geração de artistas que viriam a ganhar espaço não apenas no estado, mas em todo o país. Nomes como Bebeto Alves, Kleiton & Kledir, Carlinhos Hartlieb, José Vicente e muitos outros, como vocês verão aqui, formam essa excelente e rara coletânea. Produzida pela Cristal Discos, com selo Clack. A capa é um trabalho do artista gráfico Elifas Andreato. Não deixem de conferir 😉

pialo de sangue – raul ellwanger
que se passa – bebeto alves
ú zifiu – fernando ribeiro
velhas brancas – mario barbará
ruínas de um sonho – claudio vera cruz
lugarejo – nana chaves
cuña pajé – kleiton e kledir
maria da paz – carlinhos hartlieb
ponta do anzol – josé vicente
águias – nelson coelho de castro
vingado – cao trein
terra vermelha – cenair maicá
.