Tadeu Franco – Alma Animal (1989)

Uma das maiores revelações da MPB na década de 1980, Tadeu Franco volta a bater ponto aqui no TM. Recebendo na pia batismal o nome de Geraldo Tadeu Pereira Franca, ele nasceu na cidade mineira de Itaobim, no Vale do Jequitinhonha, em19 de agosto de 1957, filho de Didico de Sousa Franca e Esmeraldina Rodrigues Franca, ambos funcionários dos Correios e Telégrafos. Aos cinco anos de idade, Tadeu muda-se para Teófilo Otoni, onde permanece até 1978. É lá que ele começa sua carreira, cantando em aniversários de amigos, sob protestos do pai, que o considera muito moço para tais apresentações.  Aos dez anos, ganha um acordeom de presente, mas prefere o violão, que o acompanha até hoje. Nos programas de calouros da rádio de Teófilo Otoni, a ZXY7, encanta o auditório com seu precoce romantismo e, nas serenatas noturnas, interpreta músicas de Chico Buarque, Caetano Veloso, Edu Lobo, Geraldo Vandré e Gonzaguinha. Ao mudar-se para Belo Horizonte, trabalhou como vendedor , mas foi cantando na noite que conheceu Mílton Nascimento. Com ele, mais Simone, Tadeu Franco grava, em 1982, a música “Comunhão”, faixa do álbum “Ânima” (o videoclipe da música, veiculado no “Fantástico”, da TV Globo, é considerado um dos mais belos da história do programa). Atuou no projeto “Fim de Tarde”, da Sala Humberto Mauro, do Palácio das Artes, e viajou no “Expresso melodia”, da Rádio Inconfidência. Apresenta-se também em shows por todo o país, cantando em praças públicas, circos, showmícios, favelas, teatros, ginásios, cinemas, casas paroquiais, feiras agropecuárias… Em 1984, vem seu primeiro álbum-solo, “Cativante”, já oferecido a vocês pelo nosso TM, devidamente produzido pelo mestre Mílton Nascimento, com arranjos de outras “feras”, Wagner Tiso e Túlio Mourão. Depois, vieram “Alma animal” (1990) – que o TM nos traz hoje – e “Orlando” (1995), uma homenagem ao cantor Orlando Silva, apresentando dezesseis de suas músicas mais conhecidas. Recebeu, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, o título de Cidadão Honorário, e a Comenda Rômulo Paes, de Mérito Artístico. Casado com Solange Vieira de Faria Franca, com quem tem uma filha, Laura. É torcedor do Cruzeiro. “Alma animal”, que o TM hoje oferece a seus amigos cultos e ocultos, é o segundo álbum de Tadeu Franco, produção independente lançada em 1990. É um trabalho que foi bastante elogiado pela crítica especializada, e é dedicado a Mílton Nascimento (como não poderia deixar de ser), Dona Esmeraldina e Carlos “Pavão” Ernesto. São dez faixas, quase todas de sua autoria com parceiros do porte de Beto Guedes, Sérgio Santos e Heraldo do Monte, além da “Lira IV”, de Tomás Antônio Gonzaga, que Tadeu musicou. Enfim, é mais um trabalho de primeira qualidade que o TM nos apresenta, comprovando o talento e a sensibilidade de Tadeu Franco.

alma animal
as estações do amor
no desafio do mar
meu tamanho
mudança de tempo
dona julia
lira iv
a paixão é sempre passageira
esperando a feijoada
bonito

*Texto de Samuel Machado Filho

Tadeu Franco – Cativante (1983)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Eis aqui um disco que há muito eu queria postar, mas  por razões diversas, acabou ficando para algum dia. E esse dia então chegou, é hoje! Taí, o músico mineiro Tadeu Franco em seu primeiro disco, produzido por Milton Nascimento, direção musical de Túlio Mourão e arranjos e regência de Wagner Tiso. Isso par não citar os outros músicos que o acompanham, que são só feras. Estreou bem o rapaz, o que também prova as suas qualidades, pois para ter um time de colaboradores desse naipe precisa ser realmente muito bom. E Tadeu Franco é, sem dúvida, uma grande revelação da MPB nos anos 80. “Cativante” é realmente um trabalho cativante, que pega a gente pelo pé (do ouvido, com certeza). Um repertório impecável, onde todas as músicas fizeram e fazem muito sucesso. Vale a pena recordar 🙂

nenhum mistério
gente que vem de lisboa
canto de uma terra
se meu jardim der flor
nós dois
tiê sangue
arrumação
onde eu nasci passa um rio
coração civil

.