Bud Shank – Holiday In Brazil (1958)

Olá, amigos cultos e ocultos! Para não dizerem que eu abandonei o barco, que deixei o Samuca sozinho no leme, vou aqui me apresentando e apresentando um disquinho diferente, para não variar 🙂 Tenho para vocês hoje um disco de jazz. Um álbum raro lançado nos Estados Unidos no final da década de 50 trazendo o grande flautista e saxofonista da Costa Leste, Bud Shank. Como todos já devem saber, o Toque Musical se dedica a postar exclusivamente a produção fonográfica brasileira, mas também vai a miúde pautando também os estrangeiros, desde que esses tenham alguma relação com o Brasil. E é por conta disso que este clássico do chamado Latin Jazz vem agora se juntar a nossa lista. Temos aqui um lp inspirado na música brasileira trazida por ninguém menos que o genial Laurindo Almeida, que podemos entender como a pré Bossa Nova. “Holiday In Brazil” foi um álbum lançado originalmente em 1958 pelo ainda modesto selo Pacific Jazz Records, que também passou a ser chamado, a partir de 57 de World Pacific Records. Foi neste selo que o violonista brasileiro Laurindo Almeida gravou ao lado de músicos americanos uma dezena de discos. Em ‘Holiday In Brazil’, Laurindo é o responsável pelos arranjos e também participa como compositor e instrumentista, azeitando e afiando o grau neste maravilho trabalho. Uma joia, não deixem de conferir…

simpatico
rio rhapsody
nocturno
little girl blue
choro in ‘a’
mood antigua
the color of her hair
lonely
i didn’t know what the it was
carioca hills
.

Chuy Reys And The Brazilians – Samba (1950)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Enquanto estamos no intervalo do jogo (Galo Doido X São Paulo) vou logo fazendo a postagem de hoje. Estou trazendo  para vocês um artista internacional, aliás, um disco internacional, lançado pela Capitol Records em 1950. Um álbum de 10 polegadas importado. Trata-se do `bandleader` americano, provavelmente de decendência mexicana, Chuy Reys. Era um pianista que tocava principalmente em Hollywood e Los Angeles, no lendário Club Mocambo. Neste álbum chamado “Samba”, vamos encontrar uma seleção curiosa, pautada no ritmo brasileiro, sendo algumas dessas não exatamente sambas, mas sim choros, como é o caso de “Apanhei-te cavaquinho”, de Ernesto Nazareth, que aqui aparece apenas como “Cavaquinho” e “Bem-te-vi atrevido”, de Lina Pesce. De samba mesmo só tem a famosa “Bambu bambu”, de Almirante e Valdo de Abreu. Outras faixas são composições estrangeiras, `samba de gringo`. Músicas composta por Chuy Reys e outros autores estrangeiros. Há também músicas do violonista Laurindo de Almeida, “O macaco sonhador” e “Maracatu”. Infelizmente não tive tempo para pesquisar e descobrir quem eram “The Brazilians”, mas pelo menos um é certo, o cantor, compositor e ator Nilton Paz, responsável pelos vocais. Embora sem ter certeza, suponho que Laurindo de Almeida também esteja envolvido diretamente nessas gravações.
Este disco (o arquivo digital) me foi enviado, entre muitos outros, como uma colaboração, pelo amigo culto Mauro. Valeu demais! Aqui, com certeza, nosso público vai gostar!

o macaco sonhador
samba sonata
mara-catu
cavaquinho
reco-reco
maria from bahia
bem te vi atrevido
bambo du bambu

Radamés Gnattali – Suíte Popular Brasileira (1986)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Nessa onda de trazer de volta velhas bolachas, otimizando suas músicas em novos álbuns de coletânea, com capinhas e coisa e tal, achei de postar hoje autêntico álbum feito nessas condições. Quer dizer, um álbum montado a partir de antigas gravações. Este, no caso, uma produção oficial, da própria Continental.

Temos aqui Radamés Gnattali em um álbum lançado pela gravadora, reunindo dois momentos deste grande músico. No lado A encontramos gravações de Radamés realizadas em 1956. Um trabalho pioneiro de gravação em ‘playback’. São fonogramas muito interessantes onde ele toca ‘ao lado’ do violonista Laurindo de Almeida. Segundo o texto da contracapa as gravações foram feitas em duas etapas. Radamés gravou aqui no Brasil a parte do piano e a fita foi enviada em seguida ao Laurindo, que nessa ocasião já morada nos ‘States’. Coube ao segundo montar sua participação através do registro tocado em fita. Antes mesmo de ler o texto da contracapa eu já estava ouvindo o disco e a gente percebe claramente que os dois músicos não estão tocando no mesmo ambiente. Mesmo assim, o resultado é excepcional. Vale cada uma das faixas.
invocação a xangô
toada
choro
samba canção
baião
marcha
papo de anjo
puxa puxa
bolacha queimada
pé de moleque
amargura
vou andar por aí
cheio de malícia
escrevendo pra você

The Modern Jazz Quartet – Artista Convidado Laurindo Almeida (1964)

Depois de uma semana inteira entre o pinho e as cordas, vamos agora dar oportunidade aos outros instrumentos, artistas e aos nossos amigos cultos, ocultos e frequentadores em geral. Acredito que todos tenha gostado e por essa razão (e por outras), continuarei postando violeiros, violonistas, etc… Ainda temos muitas cordas para nos amarrar e elas virão entre outros artistas e gêneros. Como vocês sabem, o Toque Musical é um blog que gosta de diversificar e nesta semana que se inicia, a palavra de ordem é ‘variedades’. Mas não se preocupem, o pinho continua presente, solando ou acompanhando 🙂
Hoje o dia é do jazz em uma de suas mais autenticas expressões, o Modern Jazz Quartet. Formado pelas feras – John Lewis no piano, Milt Jackson no vibrafone, Percy Heath no baixo e Connie Kay na bateria – o TMJQ neste disco conta com a participação especial de Laurindo Almeida, o grande violonista ‘brazileiro’. Este disco, para quem gosta de jazz, é simplesmente maravilhoso. A química entre esses músicos é perfeita, graças, de uma certa forma, a uma experiência prévia de quase seis meses tocando juntos. Laurindo havia sido convidado por Lewis, com quem já havia tocado, para se juntar ao grupo numa turné europeia em 1963. O álbum em questão é fruto desta relação e foi lançado em 1964 pela Philips com o nome de “Collaboration – The Modern Jazz Quartet With Laurindo Almeida”. No mesmo ano ele também chegou ao Brasil, mas com a capa que vemos acima. Neste lp temos as seguintes faixas:

silver
trieste
valeria
fuga em lá menor
samba de uma nota só
foi a saudade
concerto para aranjuez