Wayne Shorter (Milton Nascimento) – Native Dancer (1975) REPOST

Vocês devem achar que eu estou exagerando em minhas celebrações, com tantas postagens de capinhas adptadas parecendo fotonovela e falando disso. É que na verdade eu andei me lembrando dos meus tempos de menino, nos anos 60, quando havia uma revista chamada ‘Fotopotocas’. Era um almanaque de humor, ilustrado com fotografias de políticos, artistas e celebridades em geral. Nessas, eram aplicadas os famosos balõezinhos, tipo revista em quadrinho ou fotonovela, com falas supostamente ditas pelos personagens. Eu adorava, aliás vivia fazendo isso nas fotografias aqui de casa. Foi daí que surgiu a ideia das capinhas com balões. Acho que a partir de agora vou adotar mais essa em nosso pitoresco blog musical, o que acham?

Bom, falando agora um pouco sobre o disco do dia, temos para hoje um trabalho internacional, incrementado com a couvinha mineira e o tutú de feijão. Estou falando do saxofonista americano Wayne Shorter (ex-The Jazz Messengers, ex-Miles Davis Quintet e ex-Weather Report) e seu encontro com os brasileiros Milton Nascimento, Airto Moreira, Wagner Tiso e Robertinho Silva. “Native dancer” é um disco que conta ainda com Herbie Hancock, Dave McDaniel, Jay Graydon e David Amaro. Lançado nos anos 70, este álbum, considerado um dos melhores discos de ‘jazz fusion’ da década, foi um dos responsáveis por abrir as portas do mundo para Milton Nascimento e o seu Clube da Esquina. Das nove músicas do disco, cinco são de Milton Nascimento, todas, obviamente, já bem conhecidas do público através de seus discos. Porém, em “Native Dancer” elas ganham uma nova roupagem, um ‘modelito’ que logo seria absorvido pelos sócios do clube e também por outros grupos e artistas no mundo inteiro.
Embora este disco não seja nenhuma novidade ou mesmo raridade e até mesmo estando um pouco contra nossos princípios de postagem por ainda se encontrar a venda (lá fora, claro), eu o estou publicando talvez mais como uma indicação de um excelente trabalho. Um disco que merece se ter nas mãos e nos ouvidos. Podem comprar que os gringos agradecem 🙂
ponta de areia
beauty and the beast
tarde
miracle of the fishes
diana
from the lonely afternoons
ana maria
lilia
joanna’s theme

 

Wagner Tiso – Os Pássaros (1985)

Aproveitando o embalo do Som Imaginário, achei que seria interessante postar um disco solo do Wagner Tiso. Figura importante na turma do “Clube da Esquina”, cresceu junto com o Milton Nascimento em Três Pontas, MG. O cara é um dos melhores instrumentistas brasileiros – maestro, compositor e arranjador. Músico nato que começou tocando piano aos 5 anos de idade. Iniciou sua carreira muito jovem, integrando com Milton Nascimento o conjunto “Luar de Prata”, que tocava músicas ao estilo do grupo norte-americano “The Platters” e apresentava-se na Radio Clube de Três Pontas. Com tanto talento, Wagner deslanchou, ganhou o Brasil e o mundo. Tocou em diversos grupos e com variados artistas e estilos. Um dos artistas/músico brasileiro mais respeitado e requisitado da atualidade.
Como podemos observar, Milton Nascimento é uma constante na vida musical de Wagner (e vice-versa). Aqui neste disco, onde impera maravilhosamente o instrumental, temos também a presença de Milton emprestando sua voz como um instrumento musical. Simplesmente lindo…

01 Os pássaros (Milton Nascimento)
02 A igreja majestosa (Wagner Tiso – Nivaldo Ornelas)
03 Sete tempo (Wagner Tiso)
04 Rapsódia trespontana (Wagner Tiso)
05 Vinheta do medo (Wagner Tiso – Beto Guedes)
06 Cello Caribe (Wagner Tiso)
07 Os cafezais sem fim (Wagner Tiso)
08 Assim seja (Milton Nascimento-Wagner Tiso-Fernando Brant)
09 Trem mineiro (Wagner Tiso)
10 Zagreb (Wagner Tiso) – 1978