Orquestra Romanticos De Cuba – Quiereme Mucho (1959)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Segue aqui mais um disco da fabulosa Orquestra Românticos de Cuba. E eu que pensava já ter postado aqui mais de uma dúzia de discos dessa orquestra, percebo agora que não chegaram a 4. Então, tenho aqui um bom motivo para postar este disco, “Quiereme Mucho”, terceiro disco dos Românticos de Cuba pela sofisticada Musidisc. Um álbum luxuoso que teve na época duas edições, uma mono hifi e outra em estéreo. Lançado originalmente em 1959, o disco dá sequência aos ritmos latinos, ao bolero principalmente, que está presente nos dois primeiros lps. Desta vez, porém, o repertório inclui autores nacionais como Antônio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, Getúlio Macedo e Irani de Oliveira, Alcyr Pires Vermelho e Jair Amorim, Dalton Vogeler e Esdras Silva e Dolores Duran. Um disco, sem dúvida, perfeito para os amantes de orquestras. Repertório fino! Confiram

fascination – ecstasy
amapola – siete notas de amor
maria elena – india
esperame en el cielo – tu me acostumbraste
se alguém telefonar – castigo
siboney – desesperadamente
aquellos ojos verdes – noche de ronda
till… – love letters
balada triste – ontem e hoje
quiereme mucho – vereda tropical
.

 

Ary Barroso Internacional (1964)

Boa tarde, prezados amigos cultos e ocultos! Devido a uma viagem, estou sendo obrigado a recorrer aos meus ‘discos de gaveta’, aqueles que estão sempre prontos, seja no ‘hd” ou no pen drive. Sempre levo comigo, quando viajo, alguns arquivos para cobrir as emergências. Dessa forma, levo hoje para vocês uma coletânea prá lá de bacana. Estamos falando aqui de Ary Barroso, em um álbum lançado pela Musidisc possivelmente no ano de sua morte, 1964. Não há no lp qualquer informação da data, mas pelo texto na contracapa, tudo leva a crer que se trata de uma homenagem póstuma. A Musidisc reuniu alguns de seus maiores sucessos internacionais, extraídos de outros discos e artistas da gravadora. Alguns, inclusive, até já apresentados aqui no Toque Musical. De qualquer maneira, trata-se de uma coletânea da Musidisc, o que é sinônimo de qualidade. Mais ainda sendo o motivo principal a música de Ary Barroso. Confiram!

aquarela do brasil – ed lincoln e seu conjunto
aquarela do brasil – don pablo de havana
risque – orquestra românticos de cuba
morena boca de ouro – luiz bittencourt e orquestra
rio de janeiro – bob flemimg
bahia (na baixa do sapateiro) – don pablo de havana
bahia (na baixa do sapateiro) – henry nirenberg e sua orquestra
bahia (na baixa do sapateiro) – os violinos mágicos
é luxo só – orquestra pan american
foi ela – luiz bittencourt e orquestra
.

Orquestra Românticos De Cuba – Românticos De Cuba No Rio (1983)

Em 2013, a gravadora Musidisc, uma das pioneiras do LP de vinil em território brasileiro, encerrou definitivamente suas atividades. Nilo Sérgio Pinto, filho do músico Nilo Sérgio, fundador da empresa, morto em 1981, pretende relançar digitalmente vários títulos dessa gravadora, que funcionou efetivamente de 1952 a 1971, e depois disso passou a operar apenas como estúdio de gravação e mixagem  para terceiros. Nilo também pretende contar a história da Musidisc em livro. A gravadora lançou, durante todo esse tempo, títulos de gêneros diversos, com pérolas do sambalanço (Ed Lincoln, Sílvio César, o próprio Nilo Sérgio), da pré-bossa nova (Trio Surdina), do rock (“F15 Espacial”, de Célia Vilela, editado em 1964, foi o primeiro LP de rock brasileiro gravado em estéreo),do samba de raiz (como a trilogia “Roda de samba”, com o grupo A Voz do Morro, na qual se iniciaram talentos como Elton Medeiros e Paulinho da Viola)  e da música orquestrada.
Nesse setor, a principal atração da Musidisc era a Orquestra Românticos de Cuba. Apesar do nome, nada tinham de cubanos, eram brasileiros mesmo. O nome foi uma criação do “big boss” da Musidisc, Nilo Sérgio. Seus músicos eram bastante experientes, e a orquestra tinha em seus quadros vários naipes de instrumentos.  E os regentes também eram de primeira linha: Severino Araújo, Radamés Gnattali, Léo Peracchi, Waltel Blanco, Ivan “Carioca” Paulo, Karl Faust, Henrique Nuremberg, etc.  Basicamente eram arranjos na base dos ritmos caribenhos, em especial o bolero, que sempre teve bastante aceitação por parte de nosso público, com sucessos passados e de sua própria época. Os primeiros LPs dos Românticos de Cuba saíram em 1959, e o artifício do nome internacionalizado deu certo. Ao todo, a orquestra lançou cerca de TRINTA álbuns, com sucesso de vendagem garantido. E todos tecnicamente impecáveis, embora gravados em estúdios simples. Dizem que a orquestra encerrou suas atividades por ter sido perseguida pelos militares, então no poder, dado o fato de ter Cuba em seu nome, o que certamente não corresponde à verdade, pois o último álbum deles, com músicas de Roberto Carlos, saiu em 1979, já no ocaso do regime militar (foi desgaste mesmo, por certo). Ainda recentemente, uma coletânea tripla em CD dos Românticos de Cuba, lançada pela Som Livre, e comercializada apenas por mala direta, logo tornou-se um dos títulos mais vendidos da gravadora do Grupo Globo.
Pois agora o Toque Musical apresenta, para deleite de seus amigos cultos, ocultos e associados, um dos títulos de maior destaque na discografia da Orquestra Românticos de Cuba. Trata-se de “Românticos de Cuba no Rio”, lançado originalmente pela Musidisc em 1964, com o número HI-FI-2095, e reeditado outras duas vezes pela Continental, a primeira em 1970 e a segunda em 1983, com o selo Phonodisc. A foto de capa, nas três tiragens, é a mesma, com a diferença de que a relação das músicas, constante da capa na primeira edição, desapareceu nas duas posteriores.  O título diz tudo: são músicas brasileiras em arranjos essencialmente bolerísticos, várias delas clássicos: a indefectível “Aquarela do Brasil”, “Samba em prelúdio”, “Insensatez”, “Se alguém telefonar”, ”Manhã de carnaval”, “Mulher rendeira”, etc. Tudo sob medida para se ouvir e dançar a dois. E aí, dá-me o prazer desta contradança?
aquarela do brasil – inquietação
se alguém telefonar – castigo
viver em paz – nuvens
a flor do amor – confidência
samba em prelúdio – adeus nossa canção de amor
laura – a canção dos seu olhos
dos perdidos – ranchero
suas mãos – eu não exiatou sem você
manhã de carnaval – mulher rendeira
insensatez – meditação
.

\

Românticos De Cuba – Na Itália (1965)

Bom dia a todos! Ontem aconteceu em Belo Horizonte a tradicional Festa Italiana da Savassi com dezenas de barraquinhas vendendo comidas típicas, shows e mais de 60 mil pessoas circulando pela Av. Getúlio Vargas. Quando vi a ‘muvuca’, desisti de entrar na festa. Embora tivesse muito coisa legal para ver e comer, preferi rodar de bike por outros cantos da cidade. Sei que perdi um festão, mas no ano que vem eu programo melhor essa data.
Pensando na festa, tive então a ideia de postar hoje este disco da Orquestra Românticos de Cuba. Temos aqui uma seleção de algumas das mais famosas músicas italianas dos anos 50 e 60 executadas com a qualidade que só mesmo uma boa orquestra como esta poderia fazer. Inicialmente, sob a batuta oculta de Severino Araújo e muitos dos instrumentistas de sua Orquestra Tabajara, depois nas mãos de Waltel Branco, os Românticos de Cuba estiveram por mais de 20 anos, com seus discos, sendo lançados no mercado fonográfico como a orquestra das oportunidades. Aquela que toca de tudo e conforme o sinalizador de sucessos. Uma criação do dono da gravadora, Musidisc, Nilo Sérgio. que soube como ninguém explorar o mercado fonográfico com seus artistas e orquestras inventados.
Acho que por conta dessas diferentes e diversas investidas, havia um variado leque de estampas e fotografias prontas para serem usadas nas capas. No caso específico desta, que embora seja muito bonita (principalmente pela garota), não tem nada a ver com a inspiração italiana. Ao montarem a capa, alguém lá… deve ter entendido que a Orquestra Românticos de Cuba iria gravar um disco de músicas mexicanas. Mama mia, che pasticcio!
Mas, independente da capa, o disco no geral é muito bom. Eu é que, pessoalmente, prefiro dos italianos mais moderninhos, do jazz e do rock progressivo. Pena que os Românticos de Cuba não chegaram a trabalhar esses tipos de música, hehehe…
sapore di sale – tornerai suzie
stasera pago io – io che amo solo te
arrivederci roma – o sole mio
ti guardero nel cuore – al di la
piove – conoscerti
aria di neve – la dulce estale
senza fine – una lacrima sul viso
prima di dormire bambina – nel blu dipinto di blu
addormentarmi cosi – l’abito blu
nessuno al mondo – arrivederci