Sivuca 73 (1974)

Boa tarde, prezados amigos cultos e ocultos! Entre os tantos discos do Sivuca que eu já postei aqui no nosso Toque Musical, este é mais que não podia faltar. Belíssimo trabalho de Sivuca gravado e lançado nos Estados Unidos, em 1973. Nesta época, Sivuca estava morando em Nova York, gravando muito e trabalhando com o ator e cantor Herry Belafonte. surgiu então a oportunidade de gravar este disco pelo selo Vanguard. No mesmo ano também lançaria outro, ao vivo, o ‘Live in from Village Gate”. Todos os dois lps vieram a ser lançados também no Brasil no ano seguinte, 1974. Neste disco Sivuca toca acompanhado por músicos americanos, o que dá ao trabalho uma atmosfera meio jazzística, ou ainda bem aos moldes de outro brasileiro, o Sérgio Mendes. O repertório é fino, com uma seleção que nos traz dez faixas com músicas, entre essas, também autorais e algumas até bem conhecida do público. Para o meu gosto pessoal, este é um dos discos do Sivuca que eu mais aprecio e que tive a felicidade de ganhar o lp do meu amigo Fáres. Mais que nunca, este é um que não podia mesmo faltar aqui 😉

ain’t no sunshine
você abusou
tunnel
ponteio
rosa na favela
adeus maria fulô
inquietação
amor verdadeiro
lament of berimbau
arrasta pé
.

Sivuca E Seu Conjunto – Motivo Para Dançar N.2 (1957)

Olá, olás… meus prezados amigos cultos e ocultos! Espero que todos tenham aproveitado bem o carnaval. O meu foi muito bom. Passei os dias pedalando e vendo a folia do povo. Neste ano eu preferi não postar aquela overdose de discos carnavalescos. Apenas o suficiente para alegrar os foliões. Ano que vem tem mais…
Retomando os toques, tenho para hoje o grande Sivuca, em seu segundo momento em lp, “Motivo para dançar n.2”, lançado pela Copacabana, em 1957. O disco é uma continuação do sucesso do primeiro, lançado no ano anterior, álbum o qual já apresentamos aqui há tempos atrás. Neste segundo volume Sivuca nos apresenta um repertório também misto, com sucessos nacionais e internacionais. Conforme o próprio título indica, trata-se de um lp feito para se dançar. Naquela época esse tipo de disco era muito comum. A música em fonogramas tinha funções bem distintas e definidas além da própria audição. Servia não apenas para se ouvir, mas para se ouvir fazendo alguma coisa e entre essas a mais evidente era a dança. Uma particularidade desses discos era a que geralmente não traziam separação de faixas, quase em ‘pot popurri’, de maneira a não quebrar o andamento dos dançantes, permitindo-lhes uma dança mais demorada. E isso realmente faz sentido, principalmente se consideramos que a dança era a dois. Um prazer conjugado 🙂 Dançar coladinho é bom demais 😉
caravan
feitiçaria
mistura fina
canção do mar
viva meu samba
rancho fundo
nem eu
doce melodia
feitiço da vila
covarde
sonhando contigo
poiciana
frenesi
.

Sivuca – Pau Doido (1992)

Olá amigos cultos e ocultos, boa noite! Hoje eu troquei o dia com o amigo Samuca. Atrasei na programação e consequentemente o post do Grand Record Brazil ficou para amanhã. Dessa forma, assumo a postagem de hoje trazendo um artista que eu gosto muito, o grande Sivuca.
Temos aqui um álbum lançado pelo selo Kuarup, em 1992, do grande Sivuca. Disco este gravado em apenas uma semana e que segundo o produtor, Mário de Aratanha, Sivuca admitiu ser este seu melhor trabalho de sua vida. Não sei se o Sivuca se referia a este trabalho especificamente ou ao trabalho de tocar e gravar. O certo é que este é mais um dos seus excelentes discos e conta com a participação especial do violonista e compositor alagoano João Lyra.

pau doido
fuga para o nordeste
riacho seco
seu tenório
deixe o breque pra mim
um tom pra jobim
forró na penha
mergulho
forró em timbaúba
canção piazzollada
jazz tupiniquim
.

Sivuca E Rildo Hora – Sanfona E Realejo (1989)

Muito boa noite, amigos cultos e ocultos! Como vocês já devem ter reparado no GTM, os nossos ‘toques’ estão vindo agora com senha e essa acompanha a postagem no grupo. Parece meio idiota e sem sentido fazer isso, ou mesmo uma chatice a mais  para se acessar o disco. Mas isso tem uma razão e eu explico. Acontece que muitos dos arquivos hospedados no Depositfiles ultimamente, tem sido apagados ou mesmo restritos. E eu só fico sabendo disso se alguém comenta. Creio que esses arquivos que a gente hospeda nesses sites, ficam, na verdade, muito expostos e a mercê da vontade e interesse de seus adminstradores. Eles, no fundo, não estão ligando à mínima para o conteúdo, desde de que esse não venha a lhe trazer problemas. Se der ‘ibope’, ainda melhor. Mas o certo é que contas ‘free’ estão sempre sujeitas a invasão e periodicamente são vasculhadas e quando acham por bem, bloqueiam ou apagam o que bem lhes interessar. Para evitar um pouco ou dificultar o monitoramento, descobri que pondo senha no arquivo compactado, dificulta a ação dos censores. Por isso temos agora a tal senha, ok?
Bom, para fechar bem a semana, ou dar início a uma nova, anuncio aqui o disco do domingo. Vamos hoje com o saudoso Sivuca ao lado de Rildo Hora. Um encontro da sanfona com o realejo. Realejo aqui no caso é um outro nome dado à gaita de boca, ou harmonica. Neste lp vamos encontrar os dois artistas muito a vontade, apresentando um repertório dos mais agradáveis. Entre temas autorais, temos também músicas de Caetano Veloso, da dupla Milton Nascimento e Fernando Brant, do grupo Boca Livre, Moraes Moreira, Jacob do Bandolim e por aí a fora… Um bom disco que sempre vale a pena ouvir de novo 🙂 confiram…

o amanhã
forró do abc
toada
sanfona e realejo
san vicente
forró bachiano
espraiado
os meninos da mangueira
você é linda
.

Sivuca – Sivuca At The Village Gate (1975)

Bom dia, amigos cultos, ocultos e associados de plantão! Puxando da ‘gaveta’, aqui vai o disco do dia, “Sivuca, Live At The Village Gate”. Este, na verdade, não é bem um ‘disco de gaveta’, como eu digo para aqueles que ficam sempre na reserva, para as horas de emergência. Acontece que é um álbum que eu estive ouvindo no fim de semana e mesmo já bem divulgado em outras fontes blogueiras, achei por bem posta-lo no Toque Musical. Com certeza, os amigos irão gostar, pois se trata do Sivuca e dele não há nada que se possa reprovar (e nem de mim por cair na ‘redundância sivucana musical’)

“Live at the Village Gate” foi um disco lançado por Sivuca em 1972 através do selo americano Vanguard. Gravado em Nova York, ao vivo, no tradicional ‘nightclub’ Village Gate. Neste show, Sivuca vem acompanhado por músicos estrangeiros e traz um repertório fino, mesclado de música popular brasileira e o jazz, feito mesmo com cuidado para surpreender e agradar o público americano. O Show foi tão bom que mereceu este registro em disco, que por sinal é considerado um dos melhores álbuns da carreira do grande Sivuca. Em 1975 o lp foi também lançado aqui no Brasil, através da gravadora Copacabana. Sem dúvida, um grande disco!

adeus maria fulo

berimbau

it might have been

rancho fundo

ain’t no sunshine

marina

coisa nº 10

batucada

Parada Continental 1 (1953)

Opa! Ainda nos últimos minutos do que resta do domingo, aqui vou eu com a postagem do dia. Confesso que que esqueci completamente desta tarefa mais que diária. Cheguei tarde, mas trouxe uma boa recompensa para vocês, um raro exemplar de 10 polegadas e 33 rpm, o primeiro lançado pela Continental, em 1953. Temos aqui uma coletânea com oito  artistas do ‘cast’ da gravadora, certamente extraídos de bolachas de 78 rpm. Como se pode ver logo a baixo, trata-se de um encontro bem interessante, uma verdadeira parada de sucessos, com a qualidade Continental. Taí um disquinho bem contado, raridade para qualquer colecionador, que eu comprei baratinho na mão de um catador de papel. Salve, salve!!!

ninguém me ama – nora ney
tormento – lúcio alves
maria joana – carmélia alvex e sivuca
mambo caçula – chiquinho e sua orquestra
alguém como tu – dick farney
bandolins ao luar – emilinha borba
macurije – ruy rey
natureza bela – severino araújo
*Putz! Que sono..Zzz….

Sivuca – Onça Caetana (1983)

Ora, ora… vejam só… Chegamos aos 400 seguidores oficiais do blog. Putz, que legal! Obviamente, não deixei de reparar quem foi o responsável por completar a quarta centena de gente antenada no Toque Musical. Para a minha grande surpresa, o quatrocentéssimo seguidor é o Edy Star, artista que eu tive o prazer de apresentar na blogosfera, muito antes do Toque Musical, numa época de acessos raros 😉 Mas aqui no TM eu também postei o disco do cara, logo no primeiro ano do blog. Seja bem vindo! Aliás sejam todos bem vindos. Este blog já virou uma constelação, tá cheio de estrelas, cultas e ocultas, e acima de tudo, sempre brilhantes.
E por falar em estrela, aqui vai uma que hoje brilha no céu, o nosso grande Sivuca. Tenho para vocês o álbum “Onça Caetana”, lançado em 1983. Neste trabalho Sivuca conta com os arranjos e a participação de Antonio Adolfo, Reinaldo Arias e Claudio Jorge. Participam também outras feras do mesmo calibre, mas que deixo na lista da contracapa para vocês se certificarem 😉 No repertório temos o belíssimo instrumental , de Reinaldo Arias, “Central do Brasil”. Esta música já vale o disco. Mas há outras belas composições, tanto próprias, de parcerias e de outros autores. Vocês vão ver e também vão ouvir. Confiram aí…

central do brasil
conto de fadas
em cada parte, em cada ponte
imburana pau de abelha
subindo ao céu
onça caetana
novas canções
mistura fina
pro que der e vier
amigo de fé

Sivuca – Forró e Frevo Vol. 3 (1983)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Antes que comecem a falar mal do Toque Musical, deixa eu elevar o nível das nossas postagens e também reforçar minha simpatia com São João. Para isso, nada melhor que um disco do Sivuca, que tem ação múltipla e imediata, além de ser um santo remédio para todo tipo de ouvido.
Segue então, “Forró e Frevo”, volume 3, mais um disco da série que ele começou em 1980. Neste álbum temos dez músicas, quase todas de autoria de Sivuca e sua companheira Glorinha Gadelha. Trata-se de um álbum totalmente instrumental, mesmo assim ótimo para animar qualquer tipo de festa, inclusive as de São João. A música de Sivuca ultrapassa limites. Ele consegue atender ao gosto do mais popular indo, talvez, ao mais erudito. Querendo ou não, foi através da internet, da troca e compartilhamento de músicas, dos blogs, que artistas como Sivuca se tornaram ainda mais conhecidos (e reconhecidos). Antes da ‘blogosfera’ a gente mal tinha acesso a uns dois ou três discos de artistas como ele. Hoje podemos visualizar toda a sua obra e reconhecer indubitavelmente o seu talento. Para aqueles que não viram, aqui no TM vocês poderão encontrar também o volume 1 de Forró e Frevo. Confiram o toque…

feira de são cristovão
eu gosto desse moço
forró chorado
mogeiro de cima, mogeira de baixo
sábado em jaboatão
caeté
estranho venerão
forró na gafieira
caboré molhado
luzia no frevo

Airto Featuring Flora Purim & Special Friends – The Essential… (1976)

Olás! Neste feriado de 21 de abril eu pensei em postar aqui um disco que tivesse algo a ver com a data. Pensei no Tiradentes, no Trancredo Neves, nos policiais civis e militares, na cidade de Brasília e nos metalúrgicos. Todos merecedores de considerações no dia de hoje. Tenho até discos relacionados aos mesmos, mas para não dizerem que eu estou aproveitando da situação, querendo me promover (promover em quê?), decidi me focar em um outro assunto. Ou melhor, resolvi dedicar esta postagem ao amigo Chris Rousseau que está de viagem marcada para a França. Ele vai, mas volta logo, com certeza. Nesse meio tempo irei apresentando a vocês alguns trabalhos dele, que irão entrando ao longo das nossas ‘sextas feiras independentes’. Estou ainda em processo de confecção das artes das capinhas (e dependendo da aprovação do artista). Tem muita coisa legal, vocês irão gostar 🙂
Segue assim este disco nota 10 do percussionista brasileiro radicado nos Estados Unidos, Airto Moreira. “The Essential…” é um álbum duplo (merecia ser triplo ou mais) que o instrumentista divide com a esposa e parceira Flora Purim e os convidados prá lá de especiais, Sivuca, Hermeto Pascoal e Ron Carter. Posso dizer sem certeza, mas com convicção, que este disco foi o melhor lançamento (no estilo) daquele ano. O álbum, felizmente, saiu no Brasil no ano seguinte através da Tapecar. Foi lançado em edição controlada pela gravadora americana Buddah Records. Quem tem o disco da edição nacional sabe disso. Os selos trazem um número de série das cópias produzidas, o que dá ao disco um carácter ainda mais raro. Musicalmente eu não me atrevo nem a comentar, visto que se trata de uma jóia de extrema qualidade e beleza. As músicas, quase todas, são do bruxo Hermeto que também é o responsável pela direção musical e arranjos. Um belíssimo trabalho, ‘but, made in USA’. Confiram já antes que jazz… 🙂

andei (i walked)
o sonho (moon dreams)
uri (wind)
papo furado (live talking)
juntos (we love)
o galho da roseira (the branches of the rose tree)
aluê
xibaba
terror
bebe
andei
mixing
the tunnel
frevo
liamba

Sivuca – Som Brasil (1986)

Bom dia natalinos e natalícios! Aqui estamos pela manhã, trazendo o primeiro disco do dia. Começamos com este álbum do Sivuca que eu escolhi não muito por acaso. Ele sempre me lembrou Papai Noel e sua música tem a alegria de um presente de natal.

Vamos com o “Som Brasil”, um disco que até hoje ainda não vi em outros blogs. Deve até ter, mas meu raio de ação anda limitado, tenho subido mais do que descido por essas vias da blogosfera. Temos aqui um disco que faz parte de um projeto, o “Rendez Vouz In Rio”, criado e desenvolvido pelo produtor sueco Rune Ofwerman para selo europeu Sonet, em 1985. Ofwerman veio ao Rio de Janeiro para gravar três álbuns. Um disco com a cantora, também sueca, Sylvia Vrethammar, pouco conhecida no Brasil e outros dois com o nosso Sivuca. Esse álbuns foram gravados exclusivamente para o público europeu, mas no ano seguinte a RGE os lançou aqui. Dos dois com Sivuca, um foi ao lado do belga Toots Thieleman (que pode ser encontrado no Loronix) e o outro é este “Som Brasil”, onde tocam com ele Luiz Avellar (teclados), Téo Lima (bateria), José Menezes (violão/guitarra), Luizão (baixo) e Ohana (percussão). No repertório prevalecem composições próprias, mas há também espaço para Jacob do Bandolin, Luiz Henrique, Benfiglio Oliveira e os estrangeiros Toots e Ulf Peder. Um trabalho feito mesmo para um público internacional, mas com muito tempero nacional.
flamengo
waltz for sonny
aurora boreal
joão e maria
pedras de fogo
sylvia
submarine for sale
amor, sempre amor
som brasil
recado da bahia
vale tudo

Sivuca – Motivo Para Dançar (1956)

Olá amigos cultos e ocultos! Nesta semana eu vou aproveitar para mostrar a vocês algumas das pérolas recolhidas na última Feira do Vinil. Discos raros, em bom estado de conservação e por um preço que eu ainda não vi igual. Este por exemplo, me custou apenas 15 reais! Uma bagatela para quem sabe o valor que um álbum desses tem. Ainda mais em se tratando do mestre Sivuca em gravações que nunca chegaram a serem relançadas. Podem dizer o que quiserem contra a falta de respeito dos blogs de música aos direitos autorais, mas cá prá nós, nos últimos cinco anos foram eles (foram nós) quem ressuscitou a velha e boa música brasileira. Me digam vocês, quantos títulos só chegaram aos seus ouvidos depois do surgimento dos blogs? Por certo foram muitos. Já que não temos uma política de proteção, preservação e respeito pela memória musical e fonográfica brasileira, cabe a nós, ‘anarquistas do som’, fazermos valer o que ainda hoje para as gravadoras não faz um tostão. Vivam os blogs, viva a cultura informal!

Segue assim este maravilhoso disco do Sivuca. Lançado nos 50, no auge dos bailes e horas dançantes, este disco foi feito mesmo para dançar. Um trabalho muito bem elaborado por Sivuca, com músicas escolhidas a dedo e ensaiadas exaustivas vezes antes de serem gravadas. Neste disco há a participação de Altamiro Carrilho e são dele também uma boa parte das músicas apresentadas. Infelizmente não encontrei outras informações sobre este que foi um dos primeiros álbuns gravados por Sivuca. Let’s dance!
bem te vi atrevido
angel’s lullaby
tu e eu
gracioso
marimba
x-9
moonlight serenade
enignático
duas contas
bolero da sorte
misterioso
por hoje é só

Sivuca – Forró E Frevo (1980)

Começo cedo a postagem para oferecer ao atento visitante mais uma opção para as festas juninas. Hoje é um dia que, com toda certeza, deve estar acontecendo milhares de festas pelo Brasil e discos como esses que andei postando são fundamentais para qualquer animação de junho.
Este disco do Sivuca (raro!) é um bom exemplo. Nele encontramos elementos festivos que são comuns em todo o país. Um disco de forró e de frevo onde o artista funde os dois gêneros. Desta mistura surge uma ótima trilha dançante que agrada os quatro cantos.
Curiosamente uma faixa chama atenção, “Asa Branca”. Fugindo completamente do espírito junino e festivo, a composição de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira ganha aqui uma roupagem de progressivo e fusion. Por sinal, uma versão maravilhosa, só que não encaixa muito bem neste álbum.

frevo sanfondo
o baile de bio laurinha
queixo de cobra
folião ausente
dançando em pipirituba
forró e frevo
fava de cheiro
gostosão
asa branca