Saraiva – Saraiva… É Sucesso (1965)

O Toque Musical oferece hoje a seus amigos cultos, ocultos e associados mais um álbum na linha “dançante”. Desta vez, é um trabalho lançado pela Continental em 1965, talvez em fevereiro, por um dos melhores saxofonistas brasileiros, talvez até mesmo o melhor de sua época: Saraiva. Luiz Saraiva dos Santos, seu nome na pia batismal, nasceu na cidade de Belo Monte, Alagoas, cidade às margens do Rio São Francisco, em 8 de março de 1929. Filho do maestro da banda de Belo Monte, logo passou a ter contato com a arte musical. Ainda criança, mudou-se para Santos (SP) , onde construiu sua carreira artística, imortalizando paisagens litorâneas paulistas nas capas de vários de seus LPs (inclusive na deste aqui). Estudou cavaquinho, mas se identificou de verdade com o sax-soprano. Trabalhou na extinta Companhia Docas de Santos, no cais do porto, e nas horas de folga, geralmente no período noturno, tocava em bailes de gafieira, demonstrando criatividade e capacidade técnica inesgotáveis. Numa primeira entrevista para contratação na PRB-4, Rádio Clube de Santos, na frente do então diretor artístico Arnaldo Dias, Saraiva tocou ali mesmo e surpreendeu agradavelmente Arnaldo, chamando a atenção do “staff” da emissora pelo seu desempenho no sax. Foi imediatamente contratado pela rádio, iniciando assim uma carreira de muito sucesso. Saraiva tocava de tudo, ou quase: baião, samba de gafieira, bolero, frevo, choro, valsa e até bossa nova. Teve uma casa de shows em Santos chamada Recanto do Saraiva, que sempre contava com visitantes ilustres e fãs de outras regiões, inclusive da capital paulista. Além de fixar seus shows na Região Sudeste, viajou por todas as outras do Brasil (Norte, Centro-Oeste, Sul e Nordeste), e,para onde ia, compunha alguma música como gratidão ao lugar visitado. Torcedor roxo do Sport Club Corinthians Paulista, compôs o choro “O corintiano”, considerado seu trabalho de maior sucesso e uma espécie de identificação de sua maestria no sax-soprano, apesar desse instrumento ser considerado pouco versátil para solos. Sua arte ficou imortalizada em pelo menos 30 LPs,  4 compactos e 3 CDs remasterizados.
Neste “Saraiva é sucesso”, um pouco da notável arte desse magnífico executante de sax-soprano, em doze faixas, a maior parte de sua própria composição (assinando como Luiz dos Santos), sozinho e com parceiros, entre eles Palmeira, então diretor artístico da Continental. . São seis choros, dois boleros, dois baiões, uma valsa e um samba-choro, neste que foi  seu segundo LP (o primeiro, lançado no ano anterior, 1964, foi “Sobre o ritmo das ondas”). Vale frisar que as informações biográficas contidas nesta resenha foram obtidas nas contracapas dos LPs e encartes dos CDs de Saraiva, e em depoimentos de pessoas que o conheceram e/ou trabalharam com ele. Não existe nenhuma outra fonte informativa a respeito do músico, seja em revistas, jornais, livros ou na própria web. Qualquer outro dado ou informação a respeito de Saraiva será recebido pelo TM de muito bom grado. Por ora, é ouvir este seu trabalho, e conferir a sua versatilidade e criatividade ao sax-soprano.
parabéns… rio de janeiro
acompanhe se puder
lágrimas de namorados
o sapato do zé
alegria de campeões
chapeu de couro
vida ingrata
es vaidosa
soluço de amor
estela
bate papo
de um amigo só lembranças
* Texto de Samuel Machado Filho

Luizinho, Saraiva, Juca & Canhoto – Choros Famosos Com Os Famosos Do Choro (1970)

Olá amigos cultos e ocultos! A semana passou batidona e eu que já ando meio desanimado com isso aqui, quanto mais me afasto, mais sinto dificuldades em voltar. Postagem é assim, se não se pratica diariamente, acaba se perdendo o jeito e a preguiça toma conta. Como nêgo só entra aqui para pedir, não lê nada (principalmente as instruções e avisos), não comenta nada, o ‘feed-back’ acaba se igualando, se tornando desinteressado, inclusive com os reclames. Sinceramente, para algumas coisas óbvias eu já nem dou mais resposta. E é por essas e outras que o Toque Musical deixou de ser diário, ficou chato e passou a ter um acesso mais restrito.
NÃO ADIANTA FICAREM ME PEDIDO PARA REPOR LINKS ANTIGOS. A REPOSIÇÃO ACONTECERÁ APENAS PARA AQUELES PEDIDOS QUE FORAM FEITOS ATÉ SETEMBRO. COMO JÁ DISSE E REPITO, PELA MILÉSIMA VEZ, DE OUTUBRO PRA FRENTE NÃO FAREI MAIS REPOSIÇÃO DOS LINKS. TODOS OS QUE SÃO ENVIADOS PARA O GTM (GRUPO DO TOQUE MUSICAL) TÊM UM PRAZO LIMITADO DE SEIS MESES. SE NESSE MEIO TEMPO O AMIGO CULTO/OCULTO NÃO BAIXOU, SINTO MUITO, ‘COMEU MOSCA’. A FILA ANDA! PORÉM, PARA NÃO DIZEREM QUE EU SOU UM SACANA, ESTOU ABRINDO UM “CANAL DA RECUPERAÇÃO”, QUE É NA VERDADE A CHANCE PARA SE RECUPERAR OS TÍTULOS QUE NÃO VOLTAM MAIS AO GTM. PARA TANTO, O AMIGO DEVE ENVIAR UM E-MAIL AO toquelinkmusical@gmail.com, LISTANDO AQUILO QUE LHE INTERESSA. TENHO QUEM PODE ENVIAR DIRETAMENTE PELO CORREIOS UM CD (COM ATÉ 20 TÍTULOS!). MAIS UM DETALHE: APENAS AS COLETÂNEAS E PRODUÇÕES CRIADAS AQUI NO TOQUE MUSICAL CONTINUARÃO TENDO SEUS LINKS SEMPRE ATUALIZADOS, OK?
Embora desanimado, continuo sempre trazendo ‘toque musicais’ interessantes e raros. Eis aqui um bom exemplo: choros famosos com os famosos do choro. Como podemos logo ver pela capa, temos  neste álbum reunidos quatro grandes solistas do choro: Luizinho (clarinete); Saraiva (saxofone); Juca (bandolim) e Canhoto (cavaquinho). Embora lançado por um selo paralelo da Continental, o “Popular”, em sua simplicidade, traz um conteúdo de ouro. Um repertório com chorinhos de primeira, executados com a maestria de quem sabe mesmo de música. Disquinho nota 10!
lágrimas de namorados
corinthiano
é do que há
odeon
flor do abacate
murmurando
doce de côco
carioquinha
brejeiro
chorando baixinho
piraporinha
bole bole
.

Saraiva – Sobre Ritmo Ondas (1964)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Estou chegando em casa agora. O dia foi longo e bem divertido. Pela manhã fui assistir a um show ótimo, lançamento do disco “Horizontes”, do Bob Tostes e Marcelo Gaz. Por apenas 10 reais, com direito a estacionamento e manobrista eu tive o prazer de assistir juntos, além dos dois já citados, Roberto Menescal, Juarez Moreira, Jane Duboc, Suzana Tostes, Afonsinho, Célio Balona, Marcelo Freitas e Renato Motha. Levando essa turma toda ainda tinha o trio de base, formado por Cristiano Caldas (piano), Frederico Heliodoro (contrabaixo) e Felipe Continentino (bateria). O show deu tanto ibope que de uma única apresentação, acabou virando uma seção dupla. Emocionante! Fiz algumas fotos e gravei um trecho do show. Qualquer dia desses em publico ele aqui no blog. Quanto ao cd “Horiozontes”, eu recomendo a aquisição, comprem o disco, pois vale a pena. Além de músicas belíssimas, há também a participação dessa turma toda e outros que não puderam aparecer no dia, como foi o caso da Fernanda Takai.
Como eu cheguei já meio cansado e com sono, vou recorrer à um disquinho de gaveta. Vamos como mais um álbum do saxofonista Luiz Saraiva dos Santos, o primeiro, lançado pelo selo Continental em 1964. Aqui encontramos doze faixas, todas de sua autoria, ou parceria. São sambas, choros, valsas, boleros e baiões. Saraiva demonstra ser mesmo uma fera no sax soprano, a ponto de ter gravado outros disco pelo mesmo selo.
Este disco foi mais um doado pelo amigo Rogério, do norte de Minas.

bodas de ouro
corintiano
célio no baião
não me toque assim
mulher fingida
galera do nelson
relembarando ao passado
selma
é disso que eu gosto
a natureza
morada perdida
foi de lá que eu vim

Saraiva – Saxsoprando Pelo Brasil (1965)

Olá a todos! Ontem nós tivemos aqui o Raul de Barros e seu trombone. Hoje vamos continuar no sopro, porém desta vez o instrumento é o saxofone de Luiz Saraiva dos Santos, ou simplesmente Saraiva. Instrumentista e compositor nascido em Alagoas, iniciou sua carreira de músico profissional na Rádio Clube de Santos, cidade onde viveu boa parte de sua vida. Seu grande diferencial é ter colocado o sax soprando, um instrumento tido como difícil para solos, numa posição de destaque como solista e ele o fazia com maestria. Seu estilo de tocar o tornava inconfundível. Gravou dezenas de discos e participou de outras dezenas. Tocou nos mais diferentes lugares e assim como Raul de Barros, foi um rei na gafieira.
O álbum “Saxsoprando pelo Brasil”, lançado pela Continental em 1965 reúne doze temas entre choros, sambas, baião, bolero e valsa. Essas músicas, em sua maioria são de autoria do próprio Saraiva, que como compositor assinava Luiz dos Santos.
Este álbum eu recebi há poucos dias atrás, numa doação feita pelo amigo Rogério, lá do norte de Minas (obrigadão!). O lp, após digitalizado, vai para a Discoteca Pública e seu arquivo vem para a postagem aqui no Toque Musical. Não deixem de conferir, um raro prazer 😉

milagre de deus
coração sem amor
gigante mosqueteiro
mambo da bahia
serenata paulista
bodas de ouro
um passeio em petrópolis
noites em olinda
reconciliação
peixeiro no choro
homenagem a paulo afonso
saudade do ceará