Joel Nascimento – Meu Sonho (1978)

Como eu havia dito, na sequência teríamos música. Se vocês não relaxaram na ioga, então tentemos pela música. Que tal um instrumental bem brasileiro? Vamos nessa, com o bandolinista Joel Nascimento, um dos grandes nomes da legítima música instrumental brasileira. Joel é uma fera do bandolim e neste seu terceiro álbum, lançado em 1978, segundo o Sérgio Cabral, ele procura em cada uma das músicas homenagear o artista brasileiro. São doze faixas, das quais apenas a que dá nome ao álbum é de sua autoria. As demais são composições conhecidas, algumas até clássicos da nossa MPB. Ele conta com a participação de outras feras da nossa música, como Geraldo Vespar e Luiz Roberto que cuidaram da orquestração e regência. Hélio Delmiro, Pedro Santos (Sorongo), Neco, Wilson das Neves e outros grandes músicos fazem parte também deste sonho de Joel Nascimento. Sem dúvida, um lp e tanto, bem produzido e principalmente, bem tocado. É ouvir e gostar 😉 Confiram, não tem erro… (só aqui)

meu sonho
as rosas não falam
bala com bala
amigos
coincidência
peneirado
congada do sino
maninha
entre mil… você
bijouterias
bandoladas
três estrelinhas

Arthur Moreira Lima, Abel Ferreira E Conjunto Época De Ouro – Chorando Baixinho – Ao Vivo (1978)

Olá! Estou me sentido como uma onda, oscilando entre momentos bons e ruins. Alguns diriam que é natural, a vida é assim mesmo. Eu concordo, mas acho que as vezes essas ondas seguem uma sequência muito próxima e de uma certa forma elas se confundem ou nos dão uma sensação híbrida, a gente não sabe nem definir a hora de estar alegre ou triste. É mais ou menos assim que eu estou me sentindo.
Aproveitando os meus momentos de choro, deixa eu ver aqui se consigo mudar o sentido da expressão e transformar todo mal estar em um pouco de acalento. Vou chorar baixinho, mas desta vez com o Conjunto Época de Ouro, Arthur Moreira Lima e Abel Ferreira. Este disco foi gravado ao vivo no Teatro do Hotel Nacional em outubro de 1978. Na época, ele foi produzido no intuito de ser um disco brinde comemorativo de aniversário da empresa de engenharia Servenco. Mas o disco ficou tão bom que a extinta Kuarup resolveu lançá-lo comercialmente no ano seguinte. Este disco também, pode-se dizer, foi um sonho realizado do pianista Arthur Moreira Lima. Ele havia voltado recentemente da Europa, sedento de Brasil e da música brasileira. Manifestou o desejo de gravar música popular, tocar com um grupo de choro. Chegou até a dar nomes aos bois. Pouco mais de uma semana seu sonho se realizou, lá estava ele se apresentando ao vivo com os ‘medalhões’ do choro. Este álbum foi depois relançado pela própria gravadora/selo em formato cd com algumas faixas extras. Como a Kuarup fechou as portas, imagino que encontrar este disco só mesmo em sebos ou nos blogs. Confiram aqui se ainda não o encontrou por aí… 🙂
fon fon
turbilhão de beijos
alvorada
batuque
sai da frente
carinhoso
impressões
choro de mãe
chorando baixinho
quebradinha
apanhei-te cavaquinho
bônus incluído:
sonoroso
duvidoso

Noites Cariocas – Ao Vivo No Municipal (1988)

É, pelo jeito os nossos conhecedores de música popular brasileira andam mais que ocultos, estão mesmo sumidos. Até agora ninguém se manifestou em relação às duas últimas postagens. Tanto os Hamornipops quanto Aimé Vereck não foram identificados pelos nossos pesquisadores de plantão. Será que não há ninguém por aqui que saiba nos dar mais informações sobre os dois últimos discos postados? Estaria faltando mais interação entre nós ou realmente ninguém sabe mesmo? Continuamos na obscuridade…
Mas para não ficarmos totalmente no escuro, vamos mudar o rumo. Vamos para as Noites Cariocas, onde pelo menos as estrelas brilham, tanto no céu quanto no palco do Teatro Municipal. Para quebrar um pouco a monotonia, o álbum do dia (ou da noite?) é dedicado ao chorinho. Temos aqui este belíssimo álbum editado pela extinta Kuarup, “Noites Cariocas”. Um registro ao vivo de um ‘big’ sarau realizado no Teatro Municipal do Rio de Janeiro nos anos de 1987 e 88. Como podemos ver logo pela capa do disco, participam como figuras principais: Altamiro Carrilho, Zé da Velha, Paulo Sérgio Santos, Chiquinho do Acordeon, Paulo Moura, Paulinho da Viola e Joel Nascimento. Pois é, noites cariocas não são apenas para o samba. O choro também, sempre teve seu lugar garantido na Cidade Maravilhosa.

noites cariocas
carinhoso
aleluia
chorando baixinho
chiquinha gonzaga
espinha de bacalhau
doce de côco
ingênuo
inesquecivel
sarau para radamés
remexendo
um a zero
urubu malandro

Joel Nascimento – Chorando Entre Os Dedos (1976)

Sempre que penso em bandolim, inevitávelmente um nome me vem a cabeça: Jacob. Talvez, de imediato eu só me lembraria dele, o grande Jacob do Bandolim. Mas tocar este instrumento e bem não é previlégio só do homem que está faltando naquela mesa. Ele realmente faz falta na mesa, na roda de choro. Mas quando escutamos o Joel Nascimento, percebemos que uma certa continuidade na emoção de ouvir e tocar um bandolin. A fineza e a beleza musical ainda estão presentes e uma sensação boa ao ouvir esse lp me faz acreditar nisso.
Joel Nascimento é hoje um dos instrumentistas mais respeitados no Brasil e exterior. Neste disco de 1976, produzido por João Nogueira, temos um repertório escolhido a dedo para o selo London. Vale muito conferir… Coisa fina!

ecos
apelo
marambaia
carolina
chorinho do sovaco de cobra
tempo à bessa
evocação de jacob
waves
cantiga por luciana
sambista chorão
conselho
valsa de realejo