Zé Beto Corrêa – Cine Metropole (1992)

Belo Horizonte… êta saudade… tô voltando… E para tanto, nada melhor que sintonizar as minhas ondas com as boas lembranças da cidade. Como hoje é dia de artista/disco independente, não encontrei melhor escolha para nossa postagem que este belo trabalho do cantor, compositor e instrumentista mineiro, Zé Beto Corrêa, ou Zebeto Corrêa, como ele assina hoje. Começou a carreira musical como integrante da banda Fogo no Circo, quando gravou o primeiro disco. Pouco tempo depois partiu para a carreira solo, lançando um primeiro álbum em 1986. Pela qualidade de seu trabalho, sempre teve boas críticas, mas como bom (ou mal?) (do) mineiro, prefere trabalhar em silêncio, ou por outra, buscando outros caminhos. Zebeto, pelo que li em seu site, já tem uma dezena de álbuns lançados ao longo da carreira. Ele produz e apresenta um programa na Radio Nacional do Rio, chamado “Sotaque Brasileiro”, que vai ao ar duas vezes por semana.
“Cine Metrópole” foi seu segundo álbum e é o que podemos chamar de um autêntico disco de mineiro, a começar pelas evidências que temos logo na capa, com a fotografia do extinto e saudoso cinema da cidade. Zebeto usa esta referência para falar de uma Belo Horizonte que a cada dia vai ficando apenas na fotografia e na lembrança daqueles que a viveram. Mas mesmo com tanto regionalismo, o disco não perde sua dimensão musical e agrada com facilidade. As composições de Zebeto não são apenas para ouvir, mas também para cantar e em qualquer lugar.

branca de lua
florecência
cine metrópole
casa vazia
serenidade
brincadeira
devaneio fatal
baião atravessado
entre nós