Renato Teixeira – Uma Doce Canção (1981)

Aproveitando o vazio desta tarde de domingo e para espantar minha depressão, vou postar mais um disquinho legal. Dessa vez atendendo a um pedido que acabou virando quatro. Espero que este post possa agradar não apenas os meus quatros solicitantes, mas também todos os outros visitantes deste blog. Aproveito também para esclarecer aos amigos que tenho sempre anotado os pedidos e que na medida do possível esses serão publicados. Só peço que tenham paciência e aguardem. Se demorar é por que ainda não os encontrei, ok?
Então, aqui temos mais uma vez marcando presença o nosso querido Renato Teixeira. Também gosto muito desse cara e é com muita satisfação que apresento a todos o álbum “Uma doce canção”. Lançado em 1981, este lp nos traz onze faixas perfeitas, algumas são até destaque como os sucessos “O maior mistério” e “Amizade sincera”. Realmente duas pérolas que por só já valem o disco. Mas ainda temos mais… tem a participação super especial de Dominguinhos. Este álbum anda meio sumido das lojas, mas mesmo assim ainda é possível encontrá-lo por aí. Avaliem e se encontrarem o original, não percam tempo…

uma doce canção
amizade sincera
uma velha canção do povo
quero você
nem anjo nem louco
o mairo mistério
frutos da terra
vicente
águas claras
pássaro humano
uva e vinho, trigo e pão

Tetê Espindola – Pássaros Na Garganta (1982)

Existem discos que, para mim, são obras mais que preciosas. Discos que estão na minha lista dos ‘1000 melhores da música brasileira’. Pode soar esquisito dizer assim, mas mil me pareceu uma média boa, considerando a variedade e qualidade musical na nossa terra. Chego às vezes a pensar que este número ainda é pequeno, mas vou pegando por aí… Se considerarmos este disco da Tetê Espíndola como um trabalho regional, nesta classificação por géneros, posso afirmar que ele está entre os dez mais originais e melhores álbuns produzidos da década de 80 prá cá. Acho que estou escrevendo isso mais para afirmar o quanto “Pássaros na garganta” é um trabalho excepcional. “Sertaneja” de Rennê Bittencourt tem aqui (para mim) sua mais linda versão. Sem dúvida, o melhor álbum de Tetê. Apesar deste disco já ter sido postado em outros blogs (inclusive em minhas outras encarnações), faço questão de tê-lo também aqui. Como sempre, no capricho e completo!

amor e guavira
cunhataiporã
canção dos vagalumes
olhos de jacaré
fio de cabelo
cuiabá
pássaros na garganta
sertaneja
longos prazeres de amor
paisagem fluvial
ibiporã
jaguadarte
galadriel
sertão

Paulinho Tapajós (1974)

Se tem uma coisa que me deixa incomodado ao visitar outros blogs musicais é encontrar uma postagem de um disco que me interessa e ao fazer download, descubro que o arquivo está em baixa qualidade. Considero baixa qualidade em mp3 qualquer arquivo sonoro com menos ou igual a 128 kbps, principalmente estéreo. É de amargar! Pior ainda quando para (in)completar, o camarada ainda não inclui o encarte (capa e contra-capa). Sei que não tenho razão, mas fico chateado. Pô, custava o camarada fazer o serviço completo? Já que está compartilhando, compartilhe direito! Ou pelo menos indique no texto da postagem as condições do arquivo, né não? Estou escrevendo isso porque também sou consumidor e como tal, mesmo sem estar pagando nada, me vejo no direito de criticar. Certamente que para não ouvir críticas como essa eu procuro sempre dar o melhor. Tenho aqui no TM algumas postagens em 128 kbps, mas na medida do possível, vou sempre trocando. Com relação aos textos de cada postagem, sei que ainda tenho muito o que melhorar. Na verdade, nem sempre estou inspirado ou com tempo para escrever, por isso acabo ficando em resumidas apresentações ou complementos. Como já disse outras vezes, eu não sou jornalista e nem escritor. O Toque Musical é apenas um blogzinho amador e ‘metido a besta’.
Bom, vamos deixar essa estória de lado e nos ater ao principal deste post, o disco do dia. Tenho aqui um álbum super bacana e raro do Paulinho Tapajós. Este foi seu primeiro lp. Lançado em 1974, o disco traz participações importantes como a de Antonio Adolfo que está em todas as faixas, Franklin e Copinha, duas feras da flauta, Fagner, Mauricio Einhorn, Luiz Cláudio Ramos e outros tão importantes quanto os já citados (confiram no encarte). Eu chamaria como destaque neste trabalho a badaladíssima “Andança”, parceria com Danilo Caymmi e Edmundo Souto, música esta gravada por centenas de artistas. Há também “A planta”, “O caminho de São Tiago” e “Clara”, músicas que eu gosto muito e que chamo a atenção. Toque logo este toque… 😉

sorvete de melão
clara
a velha
o caminho de são tiago
a planta
sob o seu cobertor
retrato do meu velho avô
se pelo menos você fosse minha
andança
o apartamento
o pijama (qualquer diz desses)
carta a meu pai
seis horas da manhã

Roberto Guima (1981)

Olá amigos solidários, solitários, cultos e ocultos deste blog! Recuperado, aqui vou eu para mais uma postagem. Estarei preparando para os próximos dias aqueles e outros discos inéditos e selecionados. Vamos iniciar setembro recuperando a memória musical das décadas de 70 e 80. Existem alguns discos que eu considero muito importantes e que ainda não foram apresentados em outros blogs. Vou então dando aqui a minha contribuição.
Temos agora um disco, por certo, muito esperado – Roberto Guima – em seu primeiro e único trabalho autoral. Cantor e clarinetista, ele foi uma das grandes revelações da música brasileira no início dos anos 80. Foi músico da noite carioca, tocou e acompanhoou diversos artistas, inclusive Gil e Jimmy Cliff em tourné pelo Brasil. Artista talentoso, com seus vinte poucos anos, iniciando uma grande carreira. Partiu antes da hora, sem poder mostra todo o seu talento. Este álbum, me parece foi lançado após sua morte. Um disco com composições próprias, amparas por convidados super feras como Paulo Moura, Celso Fonseca, Marçal, Leo Gandelman, Marcio Montarroyos entre outros. Pode conferir que vale a pena 🙂

tome era
amor e natureza
se dizer que não
geisa
hora do rush
linha de montagem
lâmpada de aladim
alma vadia
eu queria saber
essência de alguém

Itamar Correia – Araguaia Meu Brasil (1984)

Ainda capengando, aqui vou com a postagem do dia. Por enquanto estarei recorrendo aos meus sortidos ‘álbuns de gaveta’. Espero para o fim de semana preparar novamente o que eu já havia agendado para esta.
Temos para hoje “Araguaia Meu Brasil”, álbum independente do cantor, compositor e escritor Itamar Correia, considerado uma das melhores produções independentes do período 1984/85. Com este disco ele percorreu várias cidades brasileiras, levando o canto do Araguaia, sua música regionalizada do centro-oeste. Curioso é que depois deste disco eu não ouvi mais falar no cara. Hoje, consultando rapidamente pela rede, não encontrei muita informção. Me parece que ele ainda contunua atuante, mas de maneira local. Seja como for, vale a pena conferir o disco desse carioca do Araguaia.
PS.: Fiz uma pequena confusão quanto ao nome da primeira faixa que na verdade é “Araguaia meu Brasil”
araguaia meu brasil
desaparecido
xambioá
capim cheiroso
rio
ilha do bananal
viola caipira
araguaia meu amor
cantiga boa
reoada

Astrud Gilberto – Beach Samba (1967)

Hoje, excepcionalmente, estou fazendo esta postagem rápida e automática, apenas para tampar buraco. Espero para o mais breve possível resolver os problemas e continuar com as postagens programadas. Por hoje eu deixo esse inesperado lp de Astrud, de 67. Se você ainda não o viu em outros blogs, não perca essa chance. Muito bom… :p

stay
misty roses
the face i love
a banda (parede)
oba, boa
canoeiro
i had the craziest dream
bossa na praia (beach samba)
my foolish heart
dia das rosas (i think of you)
you didn’t have to be so nice
não bate o coraçao
tristeza ( goodbye sadnes)
call me
here’s that rainy day
tu meu delirio
it’s a lovely day today
tu meu delirio
it’s a lovely day

Reginaldo Bessa – Passageiro Do Vento (1978)

Olá! Ontem a noite eu tive um problema com o meu computador. Diria um problemão. Confiando em uma mensagem que recebi de um suposto colaborador, fiz a bobagem de abrir o anexo sem antes passá-lo pelo antivírus. Me ferrei… Travou toda a minha máquina, que agora só mesmo formatando. Com isso perdi dezenas de arquivos de discos que viriam a serem postados aqui nas próximas semanas. Agora terei que refazer tudo novamente e arrumar o computador. Talvez eu não consiga, pelos próximos dias, manter as postagens diárias. Peço a todos paciência e juízo para ao espírito brincalhão. Eu agora tenho procurado olhar os terrorismos e sabotagens ao blog como uma demência natural, feita por gente de espírito fraco. Coisas como essa só me fortalece.
Volto então trazendo um grande disco, de um grande artista, Reginaldo Bessa. Embora ele só tenha gravado quatro disco (pelo menos é o que consta em sua página na web), tem uma carreira sólida e reconhecida. Faz tempo que eu não escuto falar mais dele, mas sua música ainda está bem presente. Foi ouvindo no rádio a sua mais famosa composição, “O tempo” – classificada entre as dez do Festival Abertura de 1977 – que eu me toquei que já era hora de postar o “Passageiro do vento”. Este disco é muito bom e pode-se dizer que também é uma raridade. Acho que nem chegou a ser relançado em cd.

passageiro do vento
canto para não chorar
três raças tristes
lei do retorno
sexto andar
memórias
o tempo
sonho de uma noite de verão
tributo a cassius clay
cadê yayá

Os Demônios Da Garoa – Leva Este (1968)

Aqui temos a segunda contribuição (valeu Edú!), também pela segunda vez no Toque Musical, Os Demônios da Garoa. Este grupo instrumental e vocal é bem na linha dOs Três do Rio. “Leva este” foi lançado em 1968 pela Chantecler e traz, como diz na contra-capa, “doze sugestivas páginas”, assinadas por nomes como Adoniran Barbosa, Geraldo Filme, Hervé Cordovil, Sérgio Porto e outros. Confiram aí mais esta raridade musical.

benedita lavadeira
mimoso colobri
samba do crioulo doido
já fui uma brasa
são paulo, menino grande
hora do adeus
leva este
cabeça de prego
casamento do moacir
quem é vivo sempre aparece
aprenda a sambar
último sambista

Os Três Do Rio – A Flight To Rio (1966)

Vou aproveitando esta segunda-feira para postar duas contribuições enviadas a algum tempo atrás. Desculpem a demora 🙂 …
Realmente você tinha razão, Wilma. Este disco é mesmo muito raro, assim como é escassa as informações sobre o grupo. Garimpando daqui e dali, localizei “Os Três Do Rio” com um dos mais expoentes grupos vocais e instrumentais dos anos 60. Foram para a Europa trabalhar e me parece que por lá passaram algumas dificuldades. Este disco, de 1966, é também desta fase internacional, lançado originalmente na França, também teve edição em inglês (pelo menos na capa). “A Flight To Rio” não deve ter sido lançado no Brasil. O que afasta ainda mais a história musical deste trio. Porém, investigando, vejo que o grupo nos anos que se seguiram, de volta ao Brasil, continuaram na ativa. São deles aquele jingles famoso do banco Bamerindus, “o tempo passa, o tempo voa…”, inclusive são eles quem interpretam na propaganda.

a voz do morro
a-b-c (ragg mopp)
batida diferente
batucada
estrada do sol
fechei a porta
folha mortaq
general da banda
menino jogando bola
minha saudade
mulata ye-ye-ye
pedrita del mar
pita camion
só meu coração

Antonio Maria – Trilha Sonora Original Da Novela (1968)

Muito bem, aqui vou eu finalizando as postagens dos disco de trilhas de novelas. Como quase ninguém comentou, imagino que não tenham gostado, embora o número de downlods tenha sido considerável. Seja como for, com esta postagem encerro a sessão novelas.
Posso dizer que fecho com a mesma chave de ouro que abri dias atrás, com “Nino, o italianinho”. Um belo e raro disco, agora celebrando a cultura portuguesa, com certeza!
Antonio Maria foi uma novela também da TV Tupi, apresentada em 1968, escrita e dirigida por Geraldo Vietri. Não tenho muita certeza, mas acho que foi por aí que começaram a aparecer os atores Tony Ramos, Aracy Balabanian e Denis Carvalho.
A trilha sonora deste disco é muito bacana. Temas portugueses, com certeza. Mas tendo à frente o Sergio Cardoso e Altamiro Carrilho e Sua Bandinha que praticamente tocam em quase todas as faixas. Muito bom, podem conferir…

tema de amor em forma de prelúdio – sergio cardoso
soneto – dp – sergio cardoso
só nós dois – tony de matos
coimbra – altamiro carrilho e sua bandinha
uma casa portuguesa – altmiro carrilho e sua bandinha
corridinho 1951 – altamiro carrilho e sua bandinha
canção do mar – sergio cardoso
cantico negro – sergio cardoso
lado a lado – tony de matos
bailinho da madeira – altamiro carrilho e sua bandinha
a rosinha dos limões – altamiro carrilho e sua bandinha
tiroliroliro – altamiro carrilho e sua bandinha

Um Sol Maior – TSO (1977)

Olá! Gostaria de informar que, muitas postagens antigas já estão com links novos. Pela minha checagem, faltam agora menos dez que ainda não foram renovados. Espero para breve estar com o blog todo em dia.
Dando sequência a mais um capítulo das nossas trilhas de novela, vamos com mais uma da Tupi. Esta novela eu nem me lembrava, por isso não sei nem qual era a estória. Mas gostei da trilha variada, com algumas coisas raras.

reencontro – luiz ayrão
the first time – the horizon orchestra
você – claudette soares
meiga presença – josé milton
descanso – cesar costa filho
flutuando no seu amor – maria tereza
ai quem me dera – clara nunes
foi um sonho só – gerson combo
tudo está mudado – benito di paula
rugas – luiz carlos clay
pare e pense – sidney quintela
uma chance – gerson combo

Simplesmente Maria – TSO (1970)

Opa! Quase ficamos sem a segunda dose do dia. Mas antes tarde do que nunca, não é mesmo? Desta vez temos “Simplesmente Maria”, novela que foi ao ar em 1970, escrita por Benedito Ruy Barbosa. É de chamar a atenção a beleza de Yoná Magalhães nesta foto que ilustra a capa do disco. Há ainda incluido no álbum, um poster de Yoná e o galã da época Carlos Alberto (nem me lembrava mais dele!). Interessante também de notar que este álbum, assim como o da trilha de “Nino o italianinho” são de capa dupla, um luxo para poucos.

A trilha é totalmente instrumental e fica por conta de Elcio Alvarez e Grande Orquestra, interpretando os seguintes trabalhos:
melodia no ar – omar fontana
1. concerto para maria – benito di paula
maria – silvio cesar
canção à maria – j garcia
a minha prece de amor – silvio cesar
sonata à maria – adpt. de elcio alvarez
simplesmente maria – paulinho da viola
sem amor – marcos roberto
a mesma maria – elcio alvarez
prá não dizer adeus – benito di paula
sonho e saudade – salatiel coelho
poema da maria – martinha

A Viagem – Trilha Sonora Original Da Novela (1976)

Olá noveleiros de plantão! Sábado também é dia de novela e não só por isso, aqui estamos nós num novo capítulo, com as trilhas musicais que marcaram época. Como deu para perceber, estou postando dois álbuns por dia. Pensei em apresentar apenas uma meia dúzia desses discos, mas quando fui ver já estava passando da conta. Daí optei por dois ao dia, para não prolongar por muito tempo nessa linha. Semana que vem vou estar postando o que deveria ter entrado nesta última. O importante é variar, mas sem perder o rumo de casa, né não?
Bom, temos para hoje, inicialmente, a trilha de “A Viagem”, a original e uma das últimas novelas da antiga TV Tupi. Escrita por Ivani Ribeiro, a estória foi baseada nos livros “E a Vida Continua” e “Nosso Lar” de Chico Xavier. Anos mais tarde Ivani reescreveria a novela para a Globo.
A trilha é bem variada como um drops sortido, trazendo entre suas faixas coisas raras e até inéditas. Confiram mais este capítulo…

moça criança – agepê
ganhar e perder – adriana
noche de ronda – gregório barrios
assim, tudo está bem – gilbert
tenho – wilson miranda
beco sem saída – silvio caldas
pecado – gregório barrios
carta de alforria – luiz américo
triste adeus – gilbert
se você vai – marcio prado
pulsars – kate lyra
tema r – aloisio silva

O Tempo E O Vento – TSO (1985)

Quando falo da tradição global em tele dramaturgia não é atoa. Aqui temos essa mini-série, que não é exatamente uma novela, mas possui um mesmo formato. Trata-se de uma super produção que foi ao ar em 1985, escrita por Érico Veríssimo e para melhorar ainda mais, a trilha é toda composta e interpretada por Tom Jobim. Realmente um trabalho primoroso, tanto a mini-série quanto o disco. Por essa razão não pude deixar passar este em branco. Tenho certeza que os amigos não vão se importar… Amanhã tem mais novelas para vocês relembrarem. Confiram agora este toque.

introdução
o tempo e o vento
chanson pour michelle
rodrigo meu capitão
um certo capitão rodrigo
minuano
o tempo e o vento
bangzalia
querência – boi barroso
senhora dona bibiana
o tempo e o vento

Gina – TSO (1978)

Quando se fala em novelas é difícil não lembrar da Globo. Ela tem sido a emissora que mais investiu neste gênero de entreterimento, se tornando comum falarmos em novela das oito, das sete ou das seis. Isso para não falar no “Vale a pena ver de novo”. Tem um bom tempo que não acompanho mais a programação de TV e já nem sei se essa tradição ainda continua. “Gina”, eu acho, foi uma novela da seis. Esta também é outra que tem uma trilha maravilhosa. É só Bossa Nova, confira a seleção…

eu preciso de você – sylvia telles
lua cheia – quarteto em cy
castigo – lucio alves
até quem sabe – joão donato
quero te assim – tito madi
diz que fui por aí – nara leão
você e eu – sylvia telles
você – dick farney e norma benguell
coração vagabundo – caetano e gal
o nosso olhar – sergio ricardo
desafinado – joão gilberto
pra dizer adeus – edu lobo e maria bethania
berimbau – baden powell
se todos fossem iguais a você – agostinho dos santos

Cuca Legal – TSO (1974)

Meus caros amigos, completando o dia de hoje, quero deixar para vocês mais um excelente disco de trilha. A novela “Cuca legal”, se não me falha a memória era uma das 19 horas. Horário que a Globo reserva às tramas mais leves e de humor. A seleção musical, como é comum às trilhas de novelas, é bem variada e bem composta como podemos checar logo a baixo. Foi nesta novela que a música “Linha do horizonte”, do Azimuth, se tornou um grande sucesso. Tem mais…
Desculpem, mas o sono já chegou e eu vou mais é cair nos braços de Morfeu. Confiram este toque que é muito bom 🙂 Até amanhã!

não pergunte mais – betinho
rei do mar – djavan
tiu ru ru – chico batera
retalhos e remendos – rick
pelas nuvens – waltel blanco e orquestra som livre
cuca legal – chico batera
linha do horizonte – azimuth
valsinha azul -o rquestra som livre
terceiro ato – antonio carlos e jocafi
adolescentes – orquestra som livre
lero lero social – carlos thiago
canção para um quase amor – pete dunaway e orquestra som livre
tanto amor, nunca mais – luciene franco

Fogo Sobre Terra – TSO (1974)

Bom dia! Aproveito que fui despertado e ainda tenho algum tempinho, para postar mais uma trilha de novela bacana. Começo com “Fogo sobre terra”, novela de 1974 da Rede Globo. Confesso que não me lembro bem da estória, mas a trilha ficou gravada na minha memória. Uma das melhores seleções musicais para novela que a Globo já fez, como se pode verificar logo a baixo na lista. Não sei se este disco chegou a ser relançado em cd naquela ‘leva’ da Som Livre, quando vários títulos do selo foram ressicitados. Pelo sim ou pelo não, aqui está uma amostra desta trilha sonora. Se foi lançado em cd e ainda está à venda, não deixe de comprar, porque vale a pena ter um original. Aqui, vocês sabem, né? O som é de vinil 😉

as cores de abril – toquinho e vinícus
a senha do lavrador – ruy maurity
uma rosa em minha mão – marília barbosa
calmaria e vendaval – djavan
pele de couro – ruy maurity
fogo sobre terra – coral som livre
com licença moço – ruy maurity
divinéia – eustáquia sena
planta baixa – betinho
ai quem me dera – instrumental
o verde é maravilha – ruy maurity
fogo sobre terra – mpb4 e quarteto em cy

Jerônimo – TSO (1972)

Para fecharmos o dia, aqui vai mais uma trilha bacana. Desta vez a novela é “Jerônimo, o herói do sertão”, do ano de 1972. Um bang bang sertanejo que conta as aventuras de Jerônimo (Francisco di Franco), o mocinho cowboy ao lado de sua noiva Aninha (Suzy Camacho) e o fiel escudeiro Moleque Saci (Canarinho). A estória foi criada nos anos 50 por Moyses Weltman para uma novela de rádio, mas ganhou popularidade ao virar revista em quadrinhos.
A trilha é muito boa com uma seleção de repertório bastante homogênia, como se pode verificar logo abaixo. Confiram mais este toque…

moleque saci – ronaldo golden boys
flores do mato – marisa fossa
joão corisco – sá rodrix e guarabyra
lembranças – orquestra odeon
coronel saturnino – golden boys
jerônimo, voltei pra ficar – orquestra odeon
canção de jerônimo – orquestra e côro odeon
do lado do coração – pery ribeiro
monjolo – luiz claudio
suazana – orquestra odeon
tema do caveira – orquestra odeon

Nino O Italianinho – TSO (1969)

Olá amigos! A partir de hoje estarei adotando novamente o Mediafire em nossas postagens. Apesar deste servidor ter prazos curtos e as vezes deletar links sem aviso prévio, ele tem a vantagem da velocidade, tanto para download como para upload. O RapidShare é muito bom, mas é melhor para os que tem conta Premium. Além do mais a sua interface e recursos não são tão aprimorados com no Mediafire. Vou experimentar mais uma vez, vamos ver…
Hoje também eu começo um novo tema, o das trilhas de telenovelas. Na verdade, irei postar alguns discos desse gênero que até hoje eu ainda não vi em outros blogs.
Começo com este lp de uma das mais famosas telenovelas apresentada entre 1969 e 70 – “Nino o italianinho” – pela antiga TV Tupi. Esta novela foi inovadora por trazer elementos que deram uma outra característica à tele-dramaturgia, como a criação dos personagens típicos que se destacam na trama. Esse modelo se tornaria formato para as novelas que vieram depois. Outro pioneirismo foi ter sido esta a primeira produção exportada para outros países. Mas indo direto ao que interessa (o conteúdo musical), temos uma trilha bem interessante, com a participação inclusive dos atores principais, Juca de Oliveira e Aracy Balabanian. Outro destaque é o Benito Di Paula antes de se transformar no cigano romântico que a gente conhece (ups!).
Confiram este repertório:

a última palavra – juca de oliveira
vivremo l’amore – gian carlo
os pensamentos teus – wilson fragoso
casaco marrom – olivia camargo
un bacio – uccio gaeta
canção para o nosso amor – benito di paula
nino – benito de paula
tema de branca – aracy balabanian
o dia que vai chegar – paulo figueiredo
a flor que o tempo guardou – sergio luiz
o sonho impossível – denis carvalho
ária de esperança – graça mello

Carnaval De 1956

Ainda a tempo, resolvi trazer mais um disquinho de carnaval. Na verdade um complemento final, pois amanhã já é quarta-feira. Dessa forma, deixo aqui para vocês um dez polegadas que resistiu bravamente aos últimos 52 carnavais. Fico imaginando ao longo desse tempo, realmente, quantas vezes este disco foi celebrado. Quantos carnavais ele embalou. Certamente foram muitos, não apenas pelos chiados e desgaste do uso que provam isso, mas principalmente pelo seu repertório. Muito bom!

arranca a máscara – jorge goulart
meu lamento – nora ney
exaltação à mangueira- jamenlão
ai, maria – ruy rey e sua orquestra
batendo cabeça – gilberto milfont
pescador granfino – emilinha borba
nana nenem – vera lúcia
maricota cervejota – bill farr
é muita roupa – vagalumes do luar
saco de papel – risadinha

A Bandinha do Waldemar – No Embalo Do Carnaval (1967)

Entre os discos antigos de carnaval, este álbum foi um que me chamou a atenção, principalmente pela capa. Fiquei curioso para saber o que poderia trazer este disquinho.
Na verdade não se trata de um álbum de carnaval, o disco tem um repertório que em alguns momentos podemos nos lembrar da festa. Mas, essencialmente essa bolacha não passa de uma gostosa curiosidade. Para tornar o disco ainda mas peculiar, os produtores resolveram criar o tal Waldemar, uma espécie de regente gay afrancesado e seu cachorinho. Eu quase me atreveria a dizer que esta seria a primeira e única bandinha tropicalista para coreto.
Para os curiosos como eu e também para os amantes de bandas, taí um bom toque musical…

obladi… obladá… / those were the days
cadê mimi / linda morena / ride palhaço
atrás do trio elétrico
sugar, sugar / giramundo
zazueira / zum, zum, zum
se você pensa
waldemar
eu sou um homem doente / fanzoca de rádio
o pequeno burguês / pra quê dinheiro?
minha madrinha
bloco do sujo / oba, oba / eu não posso parar
je t’aime

Frevo Em Passo De 1 Mais 1 (1967)

Como diz o ditado, “o frevo não convida, arrasta”. Esta é uma grande verdade. Eu nunca fui a Pernambuco, mas faço uma idéia de como é por lá o caranaval. O frevo já arrastou muito amigo meu. Alguns inclusive ficaram por lá. Amigos em Olinda, Recife e Limoeiro. Minhas saudações…
O disco de hoje segue a mesma linha do que foi postado ontem, com a feliz diferença de ser um álbum duplo. Mais um bom trabalho da Mocambo que não polpou esforços para criar este maravilhoso e raro álbum de frevo. Toque este toque… 😉

Disco 1
tô pegando fogo
tem pimenta no frevo
saudade
reconciliação
amor de marinheiro
o tira prosa
evocação n. 4 vitalino e dona santa
olha o biriba
carnavá de ludugero
frevo na praça do trabalho
eu quero mais
lá vai fuá
Disco 2
títulos matrimoniais
alô alô limoeiro
garota vedete
pif tac zig pong
mundo em festa
você sabe
aquela
dexi bom
solteirão
caduco
mariana
quarta feira ingrata

Frevo Canções Frevo de Bloco (1964)

Olá meus caros! Aqui vou eu retomando com os álbuns de carnaval. Havia pensado em encerrar esta mostra hoje, mas acho que irei extendê-la por mais um ou dois dias. Vamos ver…

O álbum que agora apresento é outra pérola. Lançado pela selo pernambucando Mocambo/Rosenblit, o disco nos traz dois momentos do frevo, o de bloco e o que podemos chamar de frevo-canção. Eu entendo que o de bloco é algo mais carnavalesco e o canção ultrapassa esse sentido, assim como o samba ( ou algo assim). Bom, deixo essas considerações para vocês. Vou indo porque o sono já está me levando. Amanhã tem mais… 😉

mulher bonita – claudionor germano
junto de você – joaquim gonçalves
no passo do carcará – claudionor germano
evocação de acenso – bloco mocambinho na folia
o gato do meu bem – nelson gondim
quando se quer bem – voleide dantas
colher de chá – roberto bozzan
estela – expedito baracho
hino do elefante de olinda – côro do elefante
o mundo é uma bola – luiza de paula
pierrot – bloco mocambinho na folia
dor de cotovelo – trio menura
olha a ressaca – luis carlos
sai daqui saudade – bianor batista

Orquestra De Frevo Mocambo – Viva O Frevo (1968)

Dando seqüência aos embalos carnavalescos, vamos mais uma vez cair na folia. Agora com outro ritmo muito característico desta festa pagã, o frevo. Natural de Pernambuco, o frevo pode ser entendido como uma espécie de marchinha acelerada, num ritmo bem mais dançante. Não há como não associar este ritmo pulsante à cidade de Olinda, porém ele não se limita ao regionalismo, sendo parte integrante de qualquer carnaval brasileiro.
O disco que apresento aqui traz um pouco desse espírito pernambucano, numa seleção musical conduzida pela Orquestra de Frevo da gravadora Mocambo, para o carnaval de 1968. Muito bom, podem conferir!

zé pereira
quebra quebra guabiraba
vassourinhas no rio
bicho danado
ogênia, tem dó de mim
tudo é assombração
agora é que eu quero ver
borboleta não é ave
aguenta a virada
se essa rua fosse minha
buliçosa
o salão está vazio
fortunato no frevo
tira teima
recordação de ciciliano
óia a virada
evocação
faz chorar
final – despedida do carnaval

Carnaval De Ontem E De Hoje (1964)

Mais uma pérola resgatada que merece a maior atenção. Este disquinho foi lançado em 1964, como podemos ver pela capa, trazendo os “hits” do carnaval daquele ano juntamente com alguns outros sucessos do passado. O repertório é dos mais interessantes. A primeira faixa “Mag, Inês e Ana” já vale o disco e merecia estar presente no nosso próximo carnaval. Deveria ser adotada pelo governo na campanha de prevenção e conscientização no próximo carnaval. Tem tudo a ver, não é, presidente Lula?

mag, inês e ana – nuno roland
no balanço da cabrocha – nelson guimarães
cuidado matusquela – nelson guimarães
o futuro a deus pertence – helio cavalcanti
tudo pode acontecer – helio cavalcanti
falta tudo – kleber e o côro do clube do guri
não posso mais – nuno roland
a maria tá – walter levita
frevo n.1 dos vassourinhas – orquestra e côro do bloco dos vassourinhas
mané garrincha – côro do clube do guri
sem razão – anisio silva
cara boa – lucy rosana
um coração que chora – anisio silva
rei pelé – côro do clube do guri

Ala Dos Compositores Da E. S. E. P. De Mangueira – Exaltação A Villa Lobos (1966)

No embalo musical desta semana carnavalesca que eu criei, vou agora trazendo para vocês mais uma obra rara. Mais um álbum singular de escolas de samba. Desta vez temos a E. S. Estação Primeira de Mangueira com seus sambas para o enredo “Exaltação a Villa-Lobos”, no Carnaval de 1966. Estão presentes nove sambas que disputaram a posição do mais adequado para o enredo onde o tema era uma homenagem ao compositor Villa-Lobos. A gravação foi feita ao vivo na Sala Cecília Meireles, sendo parte do acervo do Museu Villa-Lobos do (antigo) MEC. Acredito que nem a Mangueira tenha um exemplar deste disco. Mais um fabuloso material de pesquisa, parte da nossa história, deliciosa curiosidade… Agora está aqui, disponível para todos. Confiram este toque…

primeira parte do samba de cláudio e jurandyr (escolhidos para o desfile)
+ ritmo da escola
samba de darcy, luiz e batista
samba de januário e mano
samba de ayrton e ney
samba de pelado, comprindo e helio turco
samba de cláudio e jurandyr (escolhido para o desfile)
samba de marreta e n. mattos
samba de oliveira divagar e javilino
samba de preto rico
samba de mano e delfim

Lira De Xopotó – Sambas Em Desfile (1957)

Estive nos últimos dias fazendo as postagens, aproveitando uma brecha aqui, uma folga alí… Evitando ao máximo fazê-las a noite, quando já estou um bagaço e a cabeça voando. Mas hoje não teve jeito. Eu não tive como fugir da obrigações principais. Somente agora estou podendo dar um pouco de atenção ao Toque Musical.
Bom, vamos hoje com a Lira de Xopotó. Uma banda criada no início dos anos 50 pelo radialista Paulo Roberto na Rádio Nacional. Esta banda fez muito sucesso nos anos 50, principalmente em virtude da sua difusão através do programa de rádio. Gravaram algumas bolachas de 78 rpm e dois lp’s. Este foi um dos 33 rpm, um álbum com apenas seis faixas, mas gordas, trazendo um pot-pourri de clássicos do Carnaval. Confira aí…

1- leva meu samba
sei que é covardia
atire a primeira pedra
2- camisa listrada
maria boa
brasil pandeiro
3- lá vem a baiana
maracangalha
balaio grande
4- palhaço
praça onze
a lapa
5- morena boca de ouro
isto aqu o que é
rancho fndo
6- feitiço da vila
x do problema
com que roupa

Blackout – É Prá Todo Mundo Cantar (1959)

Olha aí mais um disquinho bacana… vocês podem ir guardando para quando o carnaval chegar 🙂 Mas a música carnavalesca não se limita a esta ocasião, pois sua característica é a absorção da música popular. Ela é basicamente fundamentada nos ritmos tradicionais como o samba, a machinha, o frevo e por aí a fora… Daí, dizer que vivemos um eterno carnaval, musicalmente, nosso povo brasileiro vive sim! Somos privilegiados, graças a Deus!
Aqui temos o cantor Blackout desfilando uma série de sucessos que muito cantamos nos bailes de salão – em forma de ‘pot-pourri’ – sendo acompanhado por um côro de cinqüenta vozes e uma completa bateria de escola de samba. Um disco de carnaval para ser ouvido em qualquer época.

é bom parar
o orvalho vem caindo
general da banda
jardineira
grau 10
aurora
a voz do morro
atira a primeira pedra
é com esse que eu vou
quem sabe, sabe…
saca-rolha
touradas em madrid
madalena
enlouqueci
império do samba
chiquita bacana
pierrot apaixonado
allah lá ô

Os Saudosistas – Carnaval De Outros Tempos (1959)

Acho que a primeira postagem de hoje acabou me deixando meio frustrado. Fiquei com uma sensação de que o dia ainda não valeu. Por isso, resolvi postar mais um. Espero que este ainda não tenha sido publicado. Vou procurar concentrar na semana alguns álbuns de caranaval.
Aqui temos um álbum muito bacana, que só pela capa já nos conquista. Um lp onde podemos encontrar algumas das mais conhecidas marchinhas e sambas feitos para o Carnaval. Grandes nomes como Ary Barroso, João de Barro, Lamartine Babo, Benedito Lacerda, Nássara e outros mais, são lembrados neste desfile ininterrupto de grandes sucessos das décadas de 30 e 40.
Não tenho informações sobre quem fazia parte do grupo/banda “Os Saudosistas”, porém fica claro no texto da contracapa que a concepção do álbum é do maestro Gaya. Pode conferir que vale a pena…
madureira chorou
rosa maria
se é pecado sambar
madalena
tumba lê lê
deixa a lua socegada
saca-rolha
china-pau
zum zum
pescador
ai! morena
não me diga adeus
recodar
enlouqueci
vai que depois eu vou
é com esse que eu vou
general da banda
touradas de madrid
a mulher do padeiro
clube dos barrigudos
maria rosa
marcha do gago
império do samba
facão bateu embaixo
despedida de magueira
promessa
grau 10
eva querida
nós os carecas
segura essa mulher
daqui não saio
tomara que chova