Os Velhinhos Transviados – Dance Com Os Velhinhos Transviados Vol. 2 (1970)

Bom dia! Ontem alguns de vocês ficaram na dúvida quanto ao arquivo postado do Victor Assis Brasil, isso devido ao tamanho (162 megas), sendo apenas quatro músicas. A razão é que eu sem querer acabei incluindo o arquivo de trabalho, o bruto, sem separação de faixas. Daí ficou com se fosse uma repetição. Tanto melhor para aqueles que costumam dar uma ‘tratada’ no som, podem usar o original, caso não gostem do resultado nas faixas separadas.

No vai e vem, hoje vamos com o conjunto “Os Velhinhos Transviados”. Falar desse grupo instrumental que surgiu nos anos 60 é obrigatoriamente falar do seu criador, o multi instrumentista e compositor Zé Menezes, o homem das muitas cordas. Ele foi o espírito oculto em muitos corpos. Um artista que iniciou ainda criança seu trabalho com a música. Nasceu no Ceará e por volta dos 10 anos já se apresentava profissionalmente. Sua ficha é extensa e falar dele exigiria um tempo que eu não tenho. Na década de 40 ele veio para o Rio de Janeiro, trabalhou no rádio, foi parceiro de outros grandes nomes como Luiz Bittencourt e o genial Garoto. É autor de inúmeras composições, muitas que fizeram sucesso através de outros artistas. Participou dos conjuntos Os Milionários do Ritmo e do Quarteto Continental, que viria depois a se tornar o Sexteto Radamés. Nos início dos anos 60, com muitas mudanças no meio musical brasileiro, ele galhofeiro, criou Os Velhinhos Transviados. Este grupo bem humorado, a começar pelo nome, fez muito sucesso durante os anos 60 e início dos 70. ‘Transviado’ era um termo que equivalia à ‘moderninho’, embora muita gente o aplicasse para designar ‘boiolice’. A turma da Jovem Guarda era o que se pode chamar de ‘transviados’. Não sei bem a origem, mas tem a ver com a modernidade juvenil daqueles tempos. Os Velhinhos Transviados era um grupo que se propunha a seguir uma linha e sonoridade jovem, embora seus integrantes já estivessem acima dessa faixa etária. Tratavam com humor e jovialidade a interpretação de temas, as vezes até antigos. Gravaram um dezena de discos e entre eles este que estou trazendo para vocês. “Dance com os Velhinhos Transviados, Vol. 2” é mais um álbum que não foge a regra, nele podemos encontrar do rock ao samba. Músicas nacionais e internacionais bem conhecidas, feitas aqui para dançar.
Um fato interessante é saber que Zé Menezes, embora tenha gravado centenas de discos, apenas no final de carreira, aos 83, foi que gravou seu primeiro e único álbum autoral.
dang dang
limbo rock
baby elephant (o passo do elefantinho)
the mexican shuffle
road hoag (o calhambeque)
my boy lollipop
ya ya
na cadência do samba
mafuá
gostar de alguém
samba de balanço
garota solitária
alá lá ô
tem bobo pra tudo

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

8 thoughts on “Os Velhinhos Transviados – Dance Com Os Velhinhos Transviados Vol. 2 (1970)

  1. Toque:

    Vou meter o bedelho, no bom sentido, lógico.

    Eu, tal como você, vivi os anos 60. Naqueles tempos transviado era o sujeito afastado, desviado ou desencaminhado de seu rumo. Lembra do filme Juventude Transviada? Então! Não havia conotação com boiolice, ou viadagem, como se dizia antigamente

    É raro hoje em dia se ouvir esta expressão, mas creio que a concepção ainda é a mesma, ou algo semelhante.

  2. Não sei se foi sua intenção, mas o texto uma alguns verbos que dão a entender que Zé Menezes já morreu. Mas ele está vivíssimo, gravando, fazendo shows, etc

  3. PROCURO UM AUDIO DE UM VINIL DE 1969, CHAMADO “RECORDANDO BARNABÉ” COM O HUMORISTA NHÔ MORAES. QUEM TIVER E QUEIRA ME AJUDAR, ENVIAR PARA O E-MAIL -> jair.ministro@yahoo.com.br NÃO QUERO DE GRAÇA, MANDO PELO CORREIO ALGUMAS RARIDADES DA MUSICA POPULAR E SERTANEJA DA REGIÃO SULDESTE DO BRASIL (SP), BASTA APENAS MENCIONAR NO E-MAIL SEU NOME E ENDEREÇO COMPLETO PARA A GENTE FAZER A TROCA. NOTA: FAZ MAIS OU MENOS 6 ANOS QUE PROCURO POR ESTE AUDIO DO VINIL CITADO ACIMA. AJUDEM-ME, POR FAVOR. – OBRIGADO – JAIR – CAIPIRACICABANO

  4. Visitando o TOQUE MUSICAL, deparei Com uma dualidade, coincidência ou uso de marca, sabendo eu não ter sido proposital. Pesquisando sobre os Velhinhos Transviados, passei a conhecer o do Zé Menezes. Aqui em Salvador, no após guerra, no Bairro da Massaranduba, surgiu um grupo de seresteiros, pessoas ja com uma certa idade que devido a maneira extrovertida de viverer foram deniminados de VELHINHOS TRANSVUADOS. Lembro-me que esse conjunto sempre nos festejos carnavalescos marcavam presença tocando em cina o caminhão alegórico da Mudança da Massaranduba que ia juntar-se a Medança do Garcia, sempre nas segunda-feira de carnaval, e juntas desfilavam pelas principais avenidas do centro de Salvador.
    A Mudança do Garcia até hoje pode ser observada no carnaval, infelizmente no inicio da decada de setenta, com a demanda dos trios elétricos os carnavais de bairros foram encerrados.
    Lembro-me nomes de alguns dos músicos do grupo OS VELHINHOS TRANSVIADOS:
    João Brás – violão
    Ademir Santeiro – bandolim
    Bacelar – trompete
    Ernesto – Flauta
    João Cartola – Violão 7 cordas
    Ferreira – percursão
    Miudo Cabeleleiro – Cavaquinho
    entre outros.

    Fraternal abraço.

Deixe uma resposta