V Festival Internacional Da Canção Popular-Rio (1970)

Bom dia! Como sempre por aqui, uma coisa leva a outra. Sábado eu havia postado aquele disco de samba rock, o Rock Bamba e nele havia a faixa “Eu também quero mocotó” com o S.A.M. (Sociedade dos Amigos do Mocotó) e a Banda Veneno do Erlon Chaves. Me lembrei que esta música também esteve presente no V Festival Internacional da Canção Popular de 1970. Daí resolvi resgatar o álbum para podermos relembrar de mais algumas. Neste, temos as músicas vencedoras e uma seleção das favoritas da parte internacional do concurso. Do Brasil entrou com a já citada “Eu quero mocotó” com Erlon Chaves no comando da sua Banda Veneno e mais de 40 pessoas que fizeram parte do côro (a Sociedade Amigos do Mocotó). A outra música é BR-3, de Antonio Adolfo e Tiberio Gaspar, aqui apresentada por Gerson Combo e a Orquestra Som Bateau. Não entendi bem o motivo desta gravação, mas acho que BR-3 foi defendida pelo Toni Tornado. Nas outras doze faixas temos os representantes internacionais. Confiram aí o toque…

argentina – pedro nadie – pero
brasil – br-3 – gerson combo & orquestra som bateau
suécia – det ljuva livet – sylvie schneider
grécia – georges is sly – marinella
bélgica – who can tell me my name – music machine
inglaterra – out of the darkness – vincent deal
the best man – rocky shahan
brasil – eu também quero mocotó – s.a.m. & banda veneno de erlon chaves
frança – et pourtant c’est vrai – michelle olivier
canadá – put it off till september – les amis
mônaco – rire ou pleurer – michele torr
itália – tu non sei piu innamorato di me – diva paoli
espanha – elizabeth – nino bravo
holanda – just be you – rita heyes

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

14 thoughts on “V Festival Internacional Da Canção Popular-Rio (1970)

  1. Como o vencedor, Toni Tornado, não devia fazer parte do cast da Polydor (Polygram), eles utilizavam uma gravação feita em estúdio por um seu contratado. A Odeon também fez isto em discos dos festivais da época. Até porque a representante do Brasil, no evento, tinha que que aparecer no disco.

  2. A explicação abaixo foi extraída do blog “Festivais da Canção” da Marcia Weber:

    “A apresentação de Erlon Chaves, foi o grande segredo do Festival. Ele conseguiu o que queria: Fazer o público vibrar. A apresentação da música, que ficou em sexto lugar, parecia mais com uma escola de samba. Eram quarenta pessoas (vinte homens e vinte mulheres), além da Banda Veneno. “Mocotó, é tudo de bom, tudo de alegre. Só o Jorge poderia fazer uma música assim”,disse o maestro.

    “Mocotó” agradou tanto, que foi indicado para encerrar o show da fase internacional do festival.

  3. Apenas para acrescentar: Erlon Chaves, de fato, contagiou a platéia ao apresentar-se rodeado de lindas mulheres. No encerramento do festival, cometeu um grande “erro” para os padrões morais e sociais da época (da ditadura, diga-se de passagem): beijou uma bela loura, olhou para as câmeras e disse que com aquele gesto estaria beijando todas as brasileiras. Saiu do palco algemado, ficou vários dias desaparecido, foi perseguido, e proibido de exercer sua profissão por 30 dias em todo o território nacional.

    Abs

    Chico – Santo André

  4. Oh muchas gracias por el album del festival en especial por la cancion de Nino Bravo “Elizabeth” quedo en el 4 Lugar en 1970 , tambien canto en el VII festival Internacional da Cançao en 1972 con la cancion “Mi Tierra” y quedo en el 2 lugar indebidamente porque el jurado norteamericano voto por su propio pais haciendo que ganara el otro que se encontraba en un empate y termino ganando por eso David Clayton Thomas .

  5. A vencedora da fase internacional do FIC de 1970 foi “Pedro Nadie”, cantada por Piero, que é faixa de abertura deste disco. “Eu também quero mocotó”, com Erlon Chaves, Banda Veneno e Sociedade Amigos do Mocotó, saiu originalmente em compacto simples do selo Philips que tinha no verso outra concorrente do mesmo festival, “Tributo ao sorriso”, com o grupo O Terço. Toni Tornado, o criador de “BR-3”, era contratado da Odeon e por isso a música apareceu neste LP da Polydor/Philips com Gerson “King” Combo e a Orquestra Som Bateau. Nessa mesma ocasião, aliás, a Odeon colocou nas lojas dois LPs com algumas das músicas concorrentes da fase nacional do sexto FIC, produzidos por Mariozinho Rocha, e “BR-3”, com Toni Tornado, apareceu no primeiro deles.

Deixe uma resposta