João de Barro – Série Documento (1972)

Yes, nós temos Braguinha! Finalmente chegou a vez deste grande compositor aqui no nosso Toque Musical. Carlos Alberto Ferreira Braga, Braguinha ou João de Barro, não importa como o chamamos. O que importa é que ele foi um dos mais importantes compositores da música popular brasileira. João de Barro vem do tempo em que ele fazia parte do grupo “Bando dos Tangarás”. Nessa época todos os integrantes adotaram nomes de pássaros e Braguinha passou a ser o joão de barro. Carioca da gema, autor de canções memoráveis que nunca sairam de moda. Seu forte eram as marchinhas carnavalescas, como “Linda Lourinha”, “Uma Andorinha Não Faz Verão”, “Linda Mimi”, “Dama das Camélias”, “Cadê Mimi”, Balancê (regravada com muito sucesso por Gal Costa, quarenta e dois anos depois), Andaluzia (sucesso também na voz de Maria Bethânia), “Pirata da Perna de Pau”, “Touradas em Madrid” e tantas outras. Neste disco podemos conferir um pouco dessas pérolas. Gravado em 1972, este álbum é de uma beleza que valia ser duplo ou triplo. Temos o próprio Braguinha interpretando sua obra de maneira despretensiosa, somado aos arranjos de Radamés Gnatalli que lhe garante um ‘sabor’ ainda mais refinado. Imperdível!

.
anda luzia / pastorinhas
linda loirinha / touradas de madri
yes, nós temos bananas / pirata da perna de pau
tem gato na tuba / uma andorinha não faz verão
chiquita bancana / com jeito vai
primavera no rio / copacabana
tem marujo no samba / balancei a roseira
laura
a saudade mata a gente
fim de semana em paquetá
carinhoso
onde o céu azul é mais azul

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

6 thoughts on “João de Barro – Série Documento (1972)

  1. Que bela surpresa, a produção artística de Braguinha é algo que impressiona, homem simples, cantava como se estivesse no conforto de seu lar.
    Foi o artísta que mais contribuiu com o carnaval de salão em seus áureos tempos, Ao lado do maestro Radamés Gnatalli, desenvolveu inúmeros projetos musicais de grande importância, ele é a verdadeira expressão do artísta popular. Parabéns pelo post TM.

Deixe uma resposta