JK E Grupo De Seresta De Diamantina – JK Em Serenata (1967)

Estou impressionado com o número de solicitações que em pouco mais de 24 horas eu recebi. Realmente percebo o quanto temos de gente ligada no blog Toque Musical. Considerando que a média de acessos por aqui é por volta de 500, acredito que ainda receberei muitos pedidos de inclusão. Minha dúvida ainda persiste quanto ao número de participantes em um blog privado. Se alguém mais inteirado dos recursos de blog puder me dar um dica, pois devo confessar, sou bem limitado nesse assunto. Como eu já havia dito, não acharia nada legal levar nossos encontros para o privado (se minha mulher souber disso… hehehe…). Mas sério mesmo, minha preocupação é quanto ao acesso. Gostaria de criar um sistema onde, mesmo sendo um grupo fechado, tivesse uma visibilidade para aqueles que por ventura quisessem futuramente participar. Algo como os grupos de discussão. Será que conseguiremos algo assim? Por enquanto, o que posso fazer é pegar o contato de cada um, prevendo uma possível tempestade pela frente. Tomara que não venha nunca. Conto com a colaboração de quem puder dar.
Seguindo enfrente com nossas postagens fonográficas e ainda na onda das curiosidades, tenho aqui um disco e tanto. Este álbum de seresta, que na época de seu lançamento fez um baita sucesso. Um disco com um dos mais populares presidentes do país, Jucelino Kubitschek ao lado do Grupo de Seresta de Diamantina.
Como deve ser do conhecimento de todos, JK era mineiro de Diamantina e como um bom diamantinense, um amante da seresta. Embora fosse chamado de “Presidente Bossa Nova”, seu negócio mesmo era a seresta. Segundo contam, ele só não suportava mais ouvir o tal de “Peixe Vivo”, pois em todo lugar que ia, alguém cantava essa música seresteira. Virou sem querer o tema de JK.
Mas quanto ao disco, este feito memorável, e porque não dizer histórico, foi registrado em 1967 em Belo Horizonte, pela Bemol. Conforme Dirceu Cheib, engenheiro de som, pioneiro em Minas Gerais e dono da Bemol, *…logo no primeiro ano de atividade do estúdio em 67 , nos conseguimos trazer o presidente Juscelino Kubitschek. Ele sabendo da gravação do disco “Diamantina em Serenata”, logo se prontificou em fazer a abertura e redigiu um pequeno texto de improviso. O disco teve uma repercussão nacional, porque naquela época, mais do que hoje o JK era um grande ídolo.
O fato é que no ano seguinte, com a vinda do AI-5 o álbum acabou sendo recolhido (sem motivo aparente, além da figura de JK) e o pessoal da Bemol foi parar na Polícia Federal. O disco caiu no esquecimento, pondo fim ao que seria o primeiro grande sucesso da gravadora. Hoje, apenas alguns poucos colecionadores possuem este disco. Uma raridade!

mensagem de jk
recorda-te de mim
é a ti flor do céu
meiga virgem
a sempre viva
varrer-te da memória
elvira escuta
impossível
pout pourri (folclore)


Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

14 thoughts on “JK E Grupo De Seresta De Diamantina – JK Em Serenata (1967)

  1. A semana de curiosidades foi bem interessante. Vai ter outra semana com mais coisas diferentes? Tomara que sim!

  2. Este disco é muito bom. Não sabia que avia sido recolhido. O meu exemplar eu comprei numa loja de saldos perto da Estação da Luz aqui em São Paulo, no tempo que eu tinha tempo para fuçar nestas lojas e no tempo também que éra possível andar nesses lugares com talão de cheque e dinheiro no bolso. Devem fazer uns 30 anos!
    JK faz a introdução, mas sua participação ou não no coro ´bastante discutivel, uns dizem que sim, outros dizem que sua participação limitou-se à introdução.

  3. Valioso este disco! Histórico e excelente, ele foi idealizado pelo radialista Acyr Antão. Segundo me disse um amigo, as duas músicas não foram cantadas por JK e sim por Fabiano Pimenta, um seresteiro de Diamantina. No disco, contudo, consta como se fosse o próprio JK cantando. Acyr, como bom mineiro, não diz sim nem não, antes pelo contrário, o que basta para aumentar as dúvidas.

  4. Joia rara mesmo para um mineiro. Varri o Blog e nao encontrei um link. Se nao abro o comentario!!!!. Mas ta certo, dar a nossa opiniao sobre o trabalho do Blogueiro e o minimo que devemos fazer e este e otimo. Obrigado pelo disco.

  5. olá bom dia a todos;

    O LINK DO LP JA FOI DELETADO.

    SE PUDESSEM REPOSTA-LO,FICARIA MUITO AGRADECIDO;

    MUITO OBRIGADO;

  6. Oi! Vejam só o que encontrei na revista Veja de 25/12/1968, pág. 59, na coluna de sugestões de discos. A primeira sugestão é:

    “JK em Serenata – Primeiro LP do cantor Juscelino Kubitschek de Oliveira, lançado em Belo Horizonte. Ele diz um pequeno texto, apresentando as canções – que têm mais de duzentos anos, tradicionais na serenata da cidade mineira de Diamantina. Juscelino está bem nas notas baixas, mas demonstra insegurança nas agudas. É auxiliado pelo Grupo de Seresta de Diamantina, que faz o coro e acompanhamento musical: violões e flautas. A maioria das faixas pertence ao folclore. O LP revela um novo cantor. Bemol-80 039.”

    Reparem que esta edição da Veja é do ano seguinte ao lançamento do disco. E foi publicada 12 dias depois do AI-5, que foi de 13/12/1968. Acho que a revista publicou essa nota como resposta velada ao AI-5 (há a possibilidade de ser por isso que o disco foi retirado de circulação).

  7. sou de bh tenho o lp de jk pra vende em atimo estado quem tiver emteresado emtra em contado as musicas sao ~~~mesagem de jk recorda te de mim meiga virgem e ati flor do ceu a sempre viva varrer te da memoria elviria escuta impossivel pout pourri telf e ddd 31 975269547

Deixe uma resposta