Carnaval De Ontem E De Hoje (1964)

Mais uma pérola resgatada que merece a maior atenção. Este disquinho foi lançado em 1964, como podemos ver pela capa, trazendo os “hits” do carnaval daquele ano juntamente com alguns outros sucessos do passado. O repertório é dos mais interessantes. A primeira faixa “Mag, Inês e Ana” já vale o disco e merecia estar presente no nosso próximo carnaval. Deveria ser adotada pelo governo na campanha de prevenção e conscientização no próximo carnaval. Tem tudo a ver, não é, presidente Lula?

mag, inês e ana – nuno roland
no balanço da cabrocha – nelson guimarães
cuidado matusquela – nelson guimarães
o futuro a deus pertence – helio cavalcanti
tudo pode acontecer – helio cavalcanti
falta tudo – kleber e o côro do clube do guri
não posso mais – nuno roland
a maria tá – walter levita
frevo n.1 dos vassourinhas – orquestra e côro do bloco dos vassourinhas
mané garrincha – côro do clube do guri
sem razão – anisio silva
cara boa – lucy rosana
um coração que chora – anisio silva
rei pelé – côro do clube do guri

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

6 pensou em “Carnaval De Ontem E De Hoje (1964)

  1. que beleza de blog! parabéns pela qualidade e o visual. já está no meu favoritos.

    Alexandre

  2. A faixa de abertura foi sucesso no carnaval de 1964: é a trocadilhesca marchinha “Mag, Inês e Ana”, de Jorge de Castro, Verinha Falcão e Aloísio França, lançada também em 78 rpm (então já na UTI do mercado fonográfico) pela Caravelle com o número 78-017-A. No verso, dos mesmos autores, Nuno gravou o samba “Não posso mais (igualmente neste disco), também editado com o número 78-014-B com o mesmo selo e a indicação entre parêntesis: “consórcio eletromusical”! A marchinha “Cara boa”, com Lucy Rosana, é de 1962 e tem um refrão “camp”: “Você tem/ todo mundo acha/ uma cara boa/ pra levar bolacha!” Tão bobinho e tão hilário! Não faz parte da discografia da cantora em 78 rpm, que abrange cinco discos com dez músicas, nos selos RCA Victor e Belacap. “A Maria tá”, com Walter Levita, é da dupla Haroldo Lobo e Mílton de Oliveira, e trata de assunto até perigoso, ou seja, dá a impressão que é gravidez! É do carnaval de 1960, e saiu originalmente em 78 rpm pela finada Discobrás (3002-A). Tambémn saíram pela Caravelle em 78 rpm (78-016) as duas faixas com Hélio Cavalcanti: no lado A o samba “O futuro a Deus pertence”, de Jorge de Castro e Sebastião Nunes, e a marchinha “Tudo pode acontecer”, de Zezinho Dantas. Aqui tem também o hino do carnaval do Recife, o “Frevo nr. 1 dos Vassourinhas”, quem não conhece? A marchinha “Mané Garrincha”, com o Coro do Clube do Guri, é uma homenagem ao saudoso homem das pernas tortas e foi lançada originalmente em 1959 pela vedete Angelita Martinez (78 rpm Campeão EMFD-l9-A). O mesmo coro homegaeia o grande “craque café” na marchinha “Rei Pelé”, também editada em 78 rpm pela Caravelle (78-013-B). As faixas com Anísio Silva são as mais antigas, e saíram originalmente em 78 rpm pela obscura Repertório para o carnaval de 1957: o samba “Sem razão” (C-17-57-B) e “Um coração que chora” (C-16-57-B). Poucos foram os sucessos desse disco, mas até que vale a pena.

Deixe uma resposta