Vamos Dançar? – Vol. 1 (1957)

Olá a todos! Hoje eu estou trazendo um disco bem interessante, um lp dos mais raros entre os raros postados aqui. Trata-se de uma coletânea da Sinter reunindo oito de seus artistas em gravações originalmente lançadas em 78 rpm. O lp do qual eu extraí as gemas, infelizmente não estava lá grandes coisas, precisei de paciência para limpa-lo, ‘na unha’. Acho que agora está um pouco mais aceitável. Por outra, a qualidade desse microssulco é também questionável. Este é um raro exemplo entre os primeiros lp de 12 polegadas onde podemos encontrar mais do que 12 faixas. Eles aqui aproveitaram ao máximo o espaço do vinil para colocarem 16 músicas, ou seja, 8 bolachas num só lp. Ficou tão apertadinho que mal se percebe a pausa entre uma faixa e outra.. Suponho que entre os sulcos também, o que, no meu entendimento, prejudicou uma melhor captação do som pela agulha. Mesmo apesar disso, achei de posta-lo para que os amigos possam conhecer, ou reconhecer. Há aqui alguns fonogramas raros, como é o caso do primeiro disco gravado por Johnny Alf, trazendo as duas faixas: “De cigarro em cigarro”, de Luiz Bonfá e “Falseta”, de sua própria autoria. No álbum não há muitas informações, inclusive a data de lançamento, que eu acredito que seja de 1957 ou 58. Apenas no selo, de forma confusa, é que podemos identificar música e artista. Entre essas há uma que não consta o intérprete, o choro “Atraente”, de Chiquinha Gonzaga (faixa 7). Suponho que seja a música do outro lado do 78 onde tem a faixa “Zulu”, com Irany Pinto. Nesta, só quem pode nos ajudar é o nosso pesquisador Samuel Machado Filho. Aliás, dar um geral em todas, hehehe… Fala aí Samuca!

fuchico – os copacabana

tenderly – donato e seu conjunto

eu vou partir – jamelão

teus olhos entendem os meus – steve bernardes

maria candela – carioca e sua orquestra

de cigarro em cigarro – johnny alf

atraente – os copacabana

eu quero um samba – os namorados

mambo do turfe – carioca e sua orquestra

falseta – johnny alf

zulú – irany pinto

mora no assunto – Jamelão

invitation – donato e seu conjunto

três ave maria – namorados

blue canary – steve bernardes

perereca – os copacabana

PS.: Através de nosso amigo Salvador identificamos o intérprete da 7ª faixa, “Atraente”. Trata-se do conjunto Os Copacabana. Esta gravação foi relançada no disco “Quincas E Os Copacabana”, em 1958, pelo selo Odeon (e pode ser encontrado no Vinyl Maniac).

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

12 thoughts on “Vamos Dançar? – Vol. 1 (1957)

  1. Bem, mãos à obra! “Fuxico” e “Atraente” saíram em 1954, com o número 00-00.324, respectivamente matrizes S-695 e S-696, na interpretação dos Copacabana. “Tenderly” (matriz S-456) e “Invitation” (matriz S-457), com João Donato e seu conjunto, foram lançadas em abril de 1953, com o número 00-00.212. “Eu vou partir” (matriz S-319) e “Mora no assunto” (matriz S-320), com Jamelão, saíram em maio de 1952, disco 00-00.153-A. “Teus olhos entendem os meus”, com Steve Bernard, foi lançada em 1954 com o número 00-00.338-A, matriz S-719. “Maria Candeia” também saiu em 1954, com o número 00-00.340-A, matriz S-748. “De cigarro em cigarro” (matriz S-553) e “Falseta” (matriz S-554), estreia de Johnny Alf em gravações, saíram em setembro de 1953, com o número 00-00.256. “Eu quero um samba” (matriz S-632) e “Três Ave-Maria” (matriz S-533), com Os Namorados, saíram em julho de 1953, disco 00-00.249. “Mambo do turfe”, com Carioca e sua orquestra, saiu em abril de 1955 com o número 00-00.394-A, matriz S-823. “Zulu”, com Irany Pinto, foi lançada em setembro de 1953, disco 00-00.264-A, matriz S-573. “Blue canary”, com Steve Bernard, é de 1954, disco 00-00.331-A, matriz S-716. Por fim, “Perereca”, com Os Copacabana, saiu em abril de 1955, disco 00-00.391-B, matriz S-698. Aí está!

  2. Os Copacabana interpretam “Atraente”, choro clássico de Chiquinha Gonzaga, no lado B do 78 rpm de “Fuxico”, o Sinter 00-00.324. Essas informações constam do site do Instituto Memória Musical Brasileira e da Discografia Brasileira em 78 rpm. Se alguém errou, não fui eu.

  3. Eu procurava por este LP há cerca de 20 anos, desde que saiu a primeira edição do livro “Chega de Saudade”, do Ruy Castro. No livro, Ruy comenta que este disco merece foguetes quando encontrado num sebo!
    Muito obrigado por esta postagem.

Deixe uma resposta