Grupo Manifesto – Manifesto Musical (1967)

Olá, amigos cultos e ocultos! Apenas para que vocês tenham uma ideia da situação aqui no blog, chegamos a mais de 100 solicitações de reposição de links no GTM. Não se trata de má vontade, apenas falta de tempo mesmo. Repor toda discoteca já apresentada aqui no Toque Musical é um trabalho de Hércules, toma o mesmo tempo de existência do blog. Assim sendo, vou atendendo os pedidos conforme a ordem de chegada, mas sempre priorizando a postagem do dia. Se querem ouvir os toques musicais, fiquem atentos! A coisa é diária.
Feito um manifesto inicial, mando agora mais um, o “Manifesto Musical”, disco de estréia Grupo Manifesto, lançado em 1967, pela Elenco. Postei há algum tempo atrás o “Nº 2“, invertendo sem pensar essa sequência, mas tudo bem. O que conta é que este é ainda mais imprescindível nas fileiras do Toque Musical e algum dia teria que ser postado. Eis aí… um álbum nota 10, tendo como carro chefe a premiada “Margarida”, do II Festival Internacional da Canção Popular de 1967, uma composição de Gutemberg Guarabyra. Há um conjunto de músicas realmente delicioso, mas destacaria também “Manifesto” e “Cabra Macho”, de Guto Graça Melo e Mariozinho Rocha. Outra também destacável é a belíssima “Desencontro”, de Amaury Tristão e Mário Telles, este último, por sinal participa também na faixa, cantando ao lado de Gracinha Leporace. Quem ainda não ouviu, faça-me o favor…

margarida
desencontro
manifesto
o mundo é nosso
amor ausente
além do infinito
cançao de esperar você
garota esquerdinha
mil côres
cabra macho
brasil dá samba
por exemplo você

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

7 thoughts on “Grupo Manifesto – Manifesto Musical (1967)

  1. Bom dia, Augusto!!! Não estou recebendo mais os links para baixar. Como faço para baixar esse? Abraço!

  2. Washington,
    observe que a política do blog mudou. para acessar os links você precisa agora entrar no GTM e buscar diretamente o link desejado, ok?

  3. Pensei ter lido que você estava aproveitando o post para refazer o link do disco No.2 mas agora, revendo atentemente, acho que me enganei. De qualquer forma, gostei muito do disco. Vozes lindas foram as escolhidas para levar até o ouvinte críticas sutis ou não – o que torna bastante interessante pensar como um disco assim, tão “na cara”, não foi censurado. Obrigado por mais esse toque, Augusto.

  4. lendo. Tem um texto lateral. Tem texto e informação nas abas do blog. você precisa explorar 🙂

Deixe uma resposta