The Pop’s – Estas São Joinhas… Joinhas… Tá Falado (1971)

Boa tarde a todos, amigos cultos e ocultos! Parece mentira, mas mesmo no fim de semana eu estou conseguindo  tempo para as nossas postagens. O jeito é ir na brecha. Relaxa que encaixa…
Antes de tudo, quero aqui me retratar. Acho que fui um pouco injusto com o Nilo Sergio Jr. na postagem de sexta feira. Eu, no fundo, fiquei foi um pouco chateado, como quando a gente leva um fora da menina. Uma espécie de desilusão passageira. Eu creio que falei demais e sem saber. O cara é uma pessoa bastante esclarecida, extremamente educado (como não podia deixar de ser um filho do Nilo Sérgio) e me contou um pouco das dificuldades da família em manter uma gravadora do porte da Musidisc. Pelo pouco e resumido e-mail deu para se ter uma ideia de como é difícil manter uma empresa brasileira, tendo como concorrentes diretos e indiretos grandes multinacionais, gravadoras que eu nem preciso citar nomes. Tentar manter uma gravadora pequena e sem grandes pretensões é difícil, mas ainda assim se mantinham, mas quando se trata de uma que queira ser até melhor que as estrangeiras, daí o bicho pega. E pegou para o Nilo Sergio, a ponto dele acabar tendo que ceder à pressões, abdicando de novos sonhos. Coisa muito chata… Mas essa história, eu espero, o Nilo Jr, ou um outro alguém, precisa contar. Merece realmente um livro. Uma história de vida que vale a pena ser sempre lembrada. Como eu previa, o Nilo Jr. me permitiu manter as postagens, obviamente sem os links, o que eu de imediato já fiz. E ainda se colocou à disposição para qualquer esclarcimento ou dúvida a respeito de alguma passagem dessa belíssima história. Eu peço aqui, em público, as minhas desculpas ao Nilo Sergio e sua família.
Bom, falando agora da postagem do domingo, tenho aqui para vocês este disco do The Pop’s que eu comprei ontem lá na Feira do Vinil. Taí um disco que eu não conhecia. Coisa curiosa, nunca tinha visto este disco antes na minha vida. O álbum é de 71, produzido por Oswaldo Cadaxo e seu selo Equipe. O The Pop’s gravou grande parte dos seus discos por essa etiqueta. Na contra capa dessa joinha e mesmo no selo, não há muitas informações além da relação de músicas, por sinal um repertório bem interessante. Não sei e nem vou ter tempo para localizar quem eram os integrantes do grupo neste disco. Deixo essa para assunto no Comentários. Tá falado? 😉

oh me oh my
mujdei de ideia
de tanto amor
ovo de codorna
amada amante
você não entende nada
if
impossivel acreditar que perdi você
love story
você também é responsável

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

4 thoughts on “The Pop’s – Estas São Joinhas… Joinhas… Tá Falado (1971)

  1. Prezado “Toque Musical”

    Apesar, de todo o respeito que a família do grande artista e empresário da musica, Nilo Sergio, merece; eu particularmente, não consigo crer, que a postagem de alguns exemplares em vinil, do antigo acervo da Musidisc, possa causar prejuízos a sua família.
    Muito pelo contrário, a seriedade de seu trabalho, no Blog “Toque Musical”, preserva e valoriza a MPB, pois, mantém, viva a sua história, e incentiva o gôsto, pela preservação da discografia nacional; quando, a cada postagem rememora antigos sucessos, ou redescobre antigos e esquecidos artistas, bem como, valoriza o pioneirismo de grandes realizadores, como é o caso do Nilo Sérgio.
    Eu, também, tenho observado, em especial, no Rio de Janeiro, que muitos programas de rádio, que executam, apenas, músicas do passado, tiveram ampliados os seus acervos, pois, passaram a recorrer aos Blogs; embora, não façam uso da ética, citando as devidas fontes.
    Mas, de qualquer forma, isto, comprova a importância dos Blogs, na divulgação e preservação da obra de muitos artistas, principalmente, brasileiros, que estavam sepultados e condenados ao limbo do esquecimento.
    Mas, é claro, respeitando o desejo do educado filho do Nilo Sérgio, vamos manter restritos as pratelerias, de nossas discotecas particulares, todos os fonogramas da Musidisc e Nilser, certo?
    Mesmo, que, assim, fiquem lamentavelmente, longe dos ouvidos ávidos, das novas gerações.
    Eu, só temo, que a moda pegue, e daí, todos os familiares de proprietários de gravadoras, artistas e autores, resolvam pedir o mesmo, e então … Adeus Blogs!
    Atenciosamente,
    Abraços, e votos de vida longa.
    Paulo Alberto (Niterói-RJ)

  2. A situação do Nilo Jr com a Musidisc não é uma questão de mesquinharia. Seu pedido para que retirassemos os links foi em especial para alguns discos que ele ainda comercializa.
    Ele já há muitos anos vem enfrentando os verdadeiros piratas dos Produtos Musidisc. Vários títulos foram lançados na Europa e Japão sem o consentimento dele. Lançam lá fora os discos e não querem nem saber. Daí, o cara tem que correr atrás para o prejuízo não ficar ainda maior. Depois que ele me contou uma série de detalhes sobre a luta para manter a gravadora. Dos boicotes e diversos tipos de sacanagem fizeram com eles, principalmente as grandes gravadoras. Espro que um dia ele resolva contar tudo isso num livro ou coisa parecida. A história do Nilo Sérgio merece um livro!
    Se o que ele está fazendo é certo ou errado eu não sei. Mas respeito o seu direito e atendo ao seu pedido. Inclusive, depois dessa, recebi ontem a proposta de compra do meu arsenal Musidisc/Nilser. Acho que vou passar ela no cobre. Estou precisando saldar algumas dívidas e além do mais a proposta é muto boa. É bom que assim eu também me 'desencano'. Vamos para outros selos… 🙂

Deixe uma resposta