Brazilian Jazz Quartet – Coffee & Jazz (1958)

Muito bom dia a todos os amigos cultos e ocultos! Finalmente está chegando as minhas merecidas férias. Espero até o fim da semana já estar com o pé na estrada, sem hora para chegar ou sair, sem lenço, mas com documentos! Vou levar comigo o computador e muita música na bagagem, mas isso não é garantia de que teremos postagens regulares. Pode ser que eventualmente, eu com saudades, dê um toque aqui, outro ali… vamos ver… 🙂
Nesta manhã linda de sol e céu azul me inspirou na escolha do disco do dia. Vamos ouvir jazz! “Coffee & Jazz” é uma dessas pérolas que todo amante de jazz e discófilo cuida com todo o carinho. Conheço pelo menos uns três tipos que são bem assim, apaixonados por Dick Farney e toda aquela turma dos antigos festivais de jazz de São Paulo. Esse disco em especial, do Brazilian Jazz Quartet então, nem se fala. Quem os tinha e eu pedi, me deixaram até hoje esperando, na promessa de me enviarem uma cópia em mp3, com suas respectivas capinhas e selo. Sei que não foi por esquecimento, mas sim um capricho. Quiseram esnobar, mas o que é do homem o bicho não come. Eu agora também tenho o meu exemplar e o que é o melhor, um álbum em perfeito estado. E para matar ainda mais nego de raiva estou postando o disco aqui. Música é para ouvir, tocar, cantar e compartilhar. De que me adianta ter uma infinita e rara coleção de discos se não compartilho essa emoção com os outros?
Pois é, temos aqui este quarteto genial lançado por Roberto Corte-Real nos dois festivais de jazz que aconteceu em São Paulo, nos anos 50. Formado pelo pianista Moacyr Peixoto, irmão do Cauby; Casé no saxofone; Rubens Barsotti na bateria e Luiz Chaves na guitarra. Depois de tocarem juntos, numa tremenda sintonia, nesses famosos festivais de jazz em Sampa, os quatro foram convidados pela Columbia para gravarem um autêntico disco de jazz. Sem se preocuparem muito com a escolha das músicas, o álbum foi nascendo de maneira natural. Como cabe ao jazz, muita improvisação e arranjos feitos na hora, de ouvido. Os caras chegam no estúdio, pegam seus instrumentos, sintonizam-se uns aos outros e mandam bala… Tocam o que gostam, jazz… com direito ao cafezinho 😉

the lonesome road
when your lover has gone
cop-out
black satin
makin’ whoopee
no moon at all
old devil moon
dont get around much anymore
you’d be so nice to come home to
i’ll close my eyes
alone
too marvelous for words

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

6 thoughts on “Brazilian Jazz Quartet – Coffee & Jazz (1958)

  1. Vou repetir aqui o comentário sobre o disco do Portinho, por ser este 'post' mais recente: ele não seria multiinstrumentista? Sei que tem o Portinho da cidade de Rio Grande (daí o apelido, por causa do porto nesta cidade). Ele inclusive toca bateria no disco de 2000 do Steve Turre… seria o mesmo?

  2. silvestre diz excelente album ja o conhecia do loronix case um dos maiores saxofonistas do brasil foi violentamente assassinado em um quarto de hotel da boca do lixo em sp em circustancias ate hoje desconhecidas rubinho e luis chaves antes do zimbo trio chaves era irmao do saba que tocou durante muito tempo com dyck farney e moacir e seu irmao araken animaram a baiuca na praça rosevelt durante muito tempo e de vez em quando cauby por la aparecia para dar uma canja velhos tempos belos dias ok amigos cultos e incultos abraços a todos que seguem o blog

  3. silvestre diz por falar nisso hoje dia 11 estou completando 62 primaveras bem vividas graças a DEUS como disse anteriormente velhos tempos belos dias abraços a todos e obrigado por aturarem meus comentarios pois eu nao me contenho como ja disse em outro comentario vivi essa epoca graças a DEUS OK?

Deixe uma resposta