Trio Camara – Le Trio Camara (1968)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Nesse mundo de colecionadores de vinil a gente sempre tem muitas surpresas. Como eu sempre digo, o grande barato disso tudo não está em ter raridades, mas está sempre a procura delas. Ou mais ainda, o momento do encontro, quando que por sorte ou por destino aquele determinado disco cai na sua mão. Na semana passada estive garimpando discos aqui pela cidade. Geralmente eu não faço isso aqui em Belô, dou preferência por outras praças, outras cidades onde sei que vou encontrar coisas diferente. Já conheço bem as lojas e os colecionadores de BH e por aqui os acervos não mudam muito. É preciso dar um tempo. O tempo para os encantos se desencantarem. Para os desapegos florescerem e definitivamente, para que coleções fiquem órfãs e sejam de imediato descartadas pelos familiares do falecido. É, o mundo dos discos e das raridades é assim… ao longo do tempo eles acabam passando de mão em mão, isso quando não se perdem nas mão de outros, os descuidados. Dá mesmo um puta prazer encontrar um disco raro e em boas condições. Melhor ainda quando a gente o encontra perdido entre as ofertas à preço de uma banana. Foi mais ou menos assim que aconteceu comigo há alguns dias atrás. Encontrei em um dos grandes sebos da cidade esta jóia que aqui eu volto a postar. Digo volto, porque há tempos atrás, logo no início do Toque Musical eu cheguei a postá-lo aqui, através de uma colaboração de um dos nossos visitantes. Agora, tendo o disco integralmente em meu prato, posso novamente postá-lo de maneira descente. Como vocês sabem, eu gosto de publicar os discos completos, incluindo capa, contracapa, selos e encartes quando tem. Foi providencial eu ter digitalizado e fotografado a capa logo no mesmo dia que comprei, pois ontem, na Feira de Vinil da Savassi, levei ele para um passeio e não deu outra… acabei vendendo. Mas só vendi porque a oferta foi tentadora. Paguei 15 reais e vendi por 250. Teria me arrependido não fosse o fato de que com esses mesmo 250 comprei um lote de uns cento e poucos discos, entre os quais haviam tantas outras preciosidades as quais eu ainda estou avaliando. Logo vocês terão notícias por aqui, pois certamente irei compartilhar minha alegria com todos.
Bom, falando um pouco sobre a ‘joinha’ do dia, este é um álbum essencialmente de jazz, o jazz com bossa, o jazz made in brazuca. Um disco originalmente produzido na França, em 1968 e editado pelo selo francês Saravah, apresentando o Trio Camara, formado pelos músicos brasileiros Fernando Martins (piano), Edson Lobo (contrabaixo) e Nelson Serra (bateria). Para muitos, este é considerado um dos melhores discos de música instrumental, na linha jazz-bossa. Excelentes músicos gravando em condições perfeitas e apresentando um repertório fino com músicas próprias e dos mestres Baden Powell, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Edu Lobo, Noel Rosa, Sérgio Mendes, João Donato e Durval Ferreira.
Como disse, este lp foi produzido por uma editora francesa, mas veio também a ser lançado no Brasil, no ano seguinte (1969) pelo obscuro selo Joda Discos, com as mesmas características do original, ou seja, em capa dupla. Um disco, sem dúvida, muito bom. Vale a pena ouvir de novo 😉

berimbau
não tem solução
bia
nascente
estrada do sol
upa neguinho
feitio de oração
chegança
noa noa
muito a vontade
samba novo
.

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Deixe uma resposta