Trio Marabá – Trio Marabá e Conjunto (1955)

Boa tarde, amigos cultos e ocultos! Não preciso nem ficar dizendo o quanto o meu tempo é curto, todos já sabem. Na medida do possível, novos toques para velhas postagens estão sendo refeitos. Por favor, tenham paciência. Estou atendendo dentro da ordem de chegada, ok? A prioridade é sempre da postagem do dia, por isso é bom que os amigos se mantenham antenados. Como seguidores do blog vocês não perderão nada. Quem segue sabe 😉

Hoje eu trago um disquinho bem raro, lançado lá pelo ano de 1955. Nessa época eu ainda morava em pelotas (como já dizia um amigo meu). Temos aqui o Trio Marabá, um grupo vocal que fez fama nos anos 50. Hoje, no lugar mais certo de encontrar, a Internet, só temos ofertas, vendas dos velhos discos de algum sebo. Informação, que é bom, ficou limitada ao tópico de referência do Dicionário Cravo Albin, que por sinal é também escasso em seu conteúdo sobre o grupo. O curioso é que qualquer outra referência ao Trio, em outros sites são apenas adaptação do Cravo Albin (quando não, cópias descaradas e sem créditos). Nessa hora, para nos salvar, só mesmo os comentários generosos do nosso amigo Samuel 🙂
O Trio Marabá era formado por Pancho, Panchito e Carmen Duran. Os dois primeiros eram também compositores. Eles gravaram mais de uma dezena de discos, bolachas de 78 rpm. Na versão 33 rpm, só conheço dois discos, um deles é este que apresento a vocês. Acredito, inclusive, que sejam as mesmas gravações dos discos lançados anteriormente. Temos aqui oito temas, entre composições bem conhecidas, nacionais e internacionais. A única faixa autoral é “Ribeira”, de autoria de Pancho e Panchito.
Tentei recompor a capa original, mas me faltaram as fontes que foram usadas na impressão. Procurei então algo bem aproximado. Podem ter certeza de que não ficou muito diferente desta. A capa original vem numa edição de luxo, traz um forro em papel aveludado preto, recortado com uma barra decorativa emoldurando a fotografia do Trio Marabá. Infelizmente o disco que eu tive acesso para esta postagem não se encontrava (de todo) nessas condições. Mas nada como a tecnologia digital, que pelo menos ameniza a situação. Confiram… raridade pura!

mulher rendeira
ribeira
nem eu
sombras entre nós
risque
vivamos amor
ninguém me ama
noites do paraguai

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Deixe uma resposta