Tavinho Moura (1980)

Bom dia! Há três anos atrás eu postei aqui um disco do Tavinho Moura, na verdade o seu primeiro lp. Naquele início do blog eu ainda não estava muito certo se o levaria a diante ou não, as coisas seguiam meio sem propósito e o meu envolvimento era apenas superficial. Acabei deixando de falar um pouco sobre esse artista mineiro que eu gosto tanto.
Tavinho, para os que não o conhece, é um compositor mineiro, nascido lá em Juiz de Fora, mas criado em Belo Horizonte. É um artista da geração do pessoal do Clube da Esquina. Aliás, um membro do grupo, pois na adolescência ele já corria com sua bicicleta pelos lados de Santa Tereza e o Horto. Conheceu nessa época Toninho Horta, Nelson Angelo, Milton e os irmãos Borges. Dessa convivência só podia mesmo render frutos musicais. Tavinho já arranhava o violão e fazia lá as suas composições. Trabalhou inicialmente fazendo trilhas sonoras. Da convivência com o Clube da Esquina nasceu muita música e parcerias. Só veio a gravar seu primeiro disco no final dos anos 70 pela RCA. Um disco com cara de estréia, muito bem feito e que lhe rendeu boas críticas. Em seguida veio este, sem um título, apenas com o seu nome estampado. Eu, sinceramente, não sei qual é o melhor, gosto de todos os dois. Acho até que são muito parecidos, uma sequência do primeiro trabalho. Neste álbum praticamente quase todas as faixas são de sua autoria ou parcerias com Fernando Brant, Márcio Borges, Ronaldo Bastos, além do ótimo poema musicado de Carlos Drummond de Andrade, “Cabaré mineiro”. De quebra, ainda temos sua interpretação de “A página do relâmpago elétrico”, de Beto Guedes e Ronaldo Bastos. Taí, um disco que um trem bão demais. Não deixem de conferir… 😉

cabaré mineiro
a página do relâmpago elétrico
findo amor
corte palavra
o sonho
peixinho do mar
nossa senhora do ó
peixe vivo
as meninas no trem de sabará

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Deixe uma resposta