Caçulinha – Na Onda Do Sucesso (1972)

Multi-instrumentista e compositor, Rubens Antônio da Silva, o Caçulinha, tem uma extensa folha de serviços prestados à MPB. Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo, em 15 de março de 1940, tem em seu currículo parcerias com grandes nomes de nossa música popular, entre eles João Gilberto, Teixeirinha, Nélson Gonçalves e Luiz Gonzaga. O seu pai Mariano e seu tio Caçula eram violeiros de ótima qualidade. Talento precoce, Caçulinha começou a tocar sanfona com oito anos de idade, sempre com o incentivo do pai, Mariano, e nessa época apresentou-se no programa “Clube do Papai Noel”, da Rádio Difusora de São Paulo. Aos quinze anos, passou a fazer dupla com o pai, ambos apresentando-se em bailes, boates e circos com os quais chegaram a viajar. Como acordeonista, tocou e gravou com inúmeras duplas, entre elas Tonico e Tinoco, Pedro Bento e Zé da Estrada e Moreno e Moreninho, além de atuar como pianista e tecladista em boates. Gravou seu primeiro disco como solista de sanfona em 1959, na Todamérica, executando a polca “Corochere”, dele mesmo em parceria com Francisco dos Santos, e a guarânia “Triste juriti”, de Mário Vieira e Armando Castro. Daí em diante, Caçulinha não parou mais. Nos anos 1960, acompanhou com seu regional, em gravações, inúmeros cantores, tais como Cyro Monteiro, Roberto Silva, Miltinho, Dóris Monteiro, Elizeth Cardoso e Roberto Carlos. Por essa época, foi também contratado da TV Record, atuando nos programas “O fino da bossa”, “Bossaudade” e “Esta noite se improvisa”. Tornou-se nacionalmente conhecido do grande público a partir de 1989, participando do “Domingão do Faustão”, apresentando na TV Globo por Fausto Silva, cuja trilha sonora produzia ao vivo. Fez ainda músicas incidentais para o humorístico “Sai de baixo”, outro sucesso global. Após 19 anos de colaboração com Fausto Silva, em 2008, fez críticas ao apresentador e ao “Domingão”, o que motivou seu afastamento. Em 2014, desliga-se definitivamente da Globo, e um ano depois passa a atuar no programa “Todo seu”, apresentado por Ronnie Von na TV Gazeta de São Paulo desde 2004. Ao longo de sua vasta carreira, Caçulinha já gravou 31 discos, sendo cerca de 25 LPs, numa trajetória única na MPB, que passa do sertanejo à bossa nova. Dessa vasta discografia, o TM oferece hoje a seus amigos cultos e ocultos um álbum que ele fez na Copacabana, em 1972, como organista, seguindo a linha dançante então vigente. É “Caçulinha na onda… do sucesso”, cujo repertório inclui sucessos nacionais e internacionais da época, tipo “Amada amante”, “De tanto amor”, “Desacato” e “Oh me oh my”. Destaque também para a inclusão de “Yesterday”, dos então já separados Beatles, e “Linda flor”, o famoso “Ai ioiô”, considerado o primeiro samba-canção brasileiro. E tudo em verdadeiro clima de bailinho, irresistível para aqueles que gostam de dançar “coladinho”. Ouçam e comprovem.
 
amada amante
impossível acreditar que perdi você
desacato
yesterday
coisas
linda flor
eu nunca mais vou te esquecer
butterfly
de tanto amor
em cada verso em cada samba
if
oh me oh my
 
 
*Texto de Samuel Machado Filho 

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.