Enoch Light And The Light Brigade – Spanish Strings (1968)

Olá, amigos cultos e ocultos! Como todos aqui devem saber, o Toque Musical já há tempos tem feito, eventualmente, incursões na fonografia internacional, apresentando aqui discos de artistas estrangeiros. Isso se deve ao fato de serem discos que eu gosto e ou mais ainda quando há alguma relação com artista ou com a música brasileira. Assim sendo, mais uma vez trago aqui um internacional, Enoch Light And The Light Brigade. Sou fascinado com orquestras exóticas dos anos 50, em especial as de figuras como Martin Denny, Perez Prado, Les Baxter, Esquivel e tantas outras. Isso para não falar das trilhas de cinema e essas em especial as de compositores italianos como Ennio Morricone, Piero Umiliani. Piero Piccioni, Angelo Badalamenti e tantos outros geniais… Mas, enfim, hoje vamos com Enoch Henry Light, violinista americano, de formação clássica, ‘bandleader’, engenheiro de gravação e produtor. Atuou dos anos 20 aos 70, gravou vários discos e também produziu muita coisa. Sua ficha é extensa, nem dá para por aqui, mas é bom que se diga que Enoch Light foi quem fundou a sofisticada Command Records, responsável pelo lançamento dos luxuosos álbuns como sua série “Persuasive Percussion”. Como engenheiro de som ele era obcecado por gravações de alta qualidade e foi um dos produtores que mais investiu nos efeitos do estéreo. Da mesma forma ele deu atenção as capas de seus discos, em geral eram estampadas com arte abstrata e minimalista, trabalhos do artista Josef Albers. Por conta de tantas informações e detalhes nas capas, seus discos passaram a ter capa dupla e assim nascia o formato de embalagem ‘gatefold’ que se tonaria popular a partir dos anos 60. Aqui no Brasil quem seguia mais ou menos o mesmo conceito era o Nilo Sergio com seus selos Musidisc e principalmente o Nilser. Inclusive, os discos da Command Records foram lançados no Brasil através da Musidisc e mantendo as mesmas características conceituais dos lps importados, capas duplas, com recortes, etc… Eu tenho vários desses discos, que inclusive são até mais charmosos do que este que estou apresentando. Porém, escolhi este “Spanish Strings” pela curiosidade. Um lp focado no espírito musical latino somado as qualidades técnicas de gravação e aos arranjos competentes que fazem as músicas serem verdadeiramente exóticas. O repertório traz doze músicas famosas e populares internacionalmente, mas o que me chama mais a atenção e é o motivo de estar postando este disco é a presença de duas músicas brasileiras, “Insensatez” e “Se todos fossem iguais a você”, ambas de Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes. Embora competente interpretação, para nós brasileiros, soa quase como uma piada. O que tinha de samba ali ficou apagado. O foco de luz ficou só mesmo no dono do disco. Mesmo assim vale muito a pena ouvir e conhecer mais sobre Enoch Light. Confiram no GTM…

abril em portugal
três palavras
come on, come on, come on, don’t be timido
what a difference a day made
quiças, quiças, quiças
maria la-o
insensatez
se todos fossem iguais a você
lisboa antiga
i love, i live, i love
blue tango
la mentira

.

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.