Waldir Calmon E Seu Conjunto – Feito Para Dançar N. 6 (1957)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Não sei bem o motivo, mas o processo de postagem aqui no blog está cada dia mais lento. Ou é o meu computador que está quase na hora de entregar as chuteiras, ou é algum programa que o está deixando devagar. O fato é que eu estou gastando quase meia hora para publicar uma postagem. Desanimador…
Hoje, vamos de Waldir Calmon, um artista já bem divulgado por aqui e também muito apreciado, o que nos leva, sempre que possível, publicar um de seus inúmeros discos. Aqui temos mais um da série ‘Feito para dançar’. Mais um álbum feito ao estilo ‘faixa única’,ou seja, aqueles discos os quais não trazem separação das faixas/músicas para não haver pausa no ritmo da dança. Neste caso, neste lp, temos o lado A quase em formato de pot pourri, um lado inteiro sem pausas. Dá pra dançar por uns 20 minutos 🙂 Confiram no GTM 🙂

anema e core
te voio bene
solamente una vez
no dimenticar
serra da boa esperança
baianada
summertime in venice
samba
tudo é amor
aos pés da santa cruz
perdido
feitio de coração

.

Bill Doggett – Honky Tonk Popcorn (1969)

Boa noite, prezados amigos cultos e ocultos! Como eu já havia dito, a partir de agora, depois de completar a maioridade com 10 anos de atividades, o Toque Musical abre ainda mais o seu leque de variedades passando a postar também discos e artistas internacionais. Na verdade estarei, neste sentido, postando aqui um pouco da minha coleção pessoal, discos os quais fazem parte da minha modesta coleção de jazz, blues, trilhas sonoras e algumas orquestras. Teremos assim publicações diversas esperando também ampliar o nosso quadro de amigos e visitantes.
Abrindo, trago hoje um discaço que há alguns anos atrás voltou a ser relançado no formato vinil. Estamos falando do excelente “Honky Tonk Popcorn” do genial Bill Doggett, músico americano que atuou por mais de 60 anos no jazz e rhythm & blues. Pianista e organista, tocou ao lado de outros grandes nomes da música americana. Sua gravação mais conhecida é Honky Tonk””, um hit de 1956 que vendeu horrores, alcançando a primeira posição da Billboard por mais de dois meses. Em 1969 ele volta a cena com “Honky Tonk Popcorn”, um delicioso álbum recheado de muito funk, rhythm & blues e jazz. Destaque para funkadaço “Honky Tonk”, música de abertura, colocada estrategicamente na primeira faixa para pegar o nêgo no laço pela orelha. Lp altamente recomendável. Não deixem de conferir 😉

honky tonk
twenty five miles
honky tonk popcorn
slippin’in
cozy corner
corner pocket
make your move
after lunch
mad
a dozy
mister pitiful
turnabout

.

Tania Maria – The Lady From Brazil (1987)

Olá amigos cultos e ocultos! Não estranhem se hoje não tem disquinho da série Documentário Sonoro do Folclore Brasileiro. Não estranhem e nem desesperem, as postagens continuam. Só que acho melhor intercalar com outros discos, outros títulos e curiosidades… como eu já havia informado, a partir de agora iremos incluir em nossas postagens discos e artistas internacionais. Não é que esteja faltando discos nacionais para postar. Acontece que eu estou querendo mesmo diversificar e postar aqui um pouco dos meus discos, aqueles que realmente fazem parte do meu pequeno acervo. Mas também continuamos com as raridades nacionais, afinal aqui continua sendo um lugar para quem escuta música com outros olhos, né?
Pois bem, hoje vamos com um disco internacional, porém a artista é brasileira. Temos aqui e mais uma vez a cantora, compositora e instrumentista Tania Maria, um nome consagrado no mundo do chamado latin jazz. Artista que cravou sua carreira tanto na Europa quanto nos Estados Unidos. Aqui temos um disco dela gravado nos anos 80, com produção do fera George Duke, que também participa em boa parte do disco. Tem o percussionista Paulinho da Costa, outro brasileiro radicado nos Estados Unidos e uma penca de instrumentistas de primeiríssima engrossando o caldo. Confiram…

the lady from brazil
i should not call you
tanoca vignette
bronx
just get up
valeu
all gone love
it hurts so much

.

Samba De Caboclo RJ – Documentário Sonoro Do Folclore Brasileiro N. 17 (1977)

Segue aqui o volume 17, Samba de Caboclo, de São João de Meriti, no Rio de Janeiro. Interpretação do Grupo Joel Lourenço. Registro colhido nesta cidade em 1977.

jucinha
terno de atabaques
não tem lêlê
eu vi a cotia
salve deus
na trança de seus cabelos
olha a flor da matamba
caboclo é bom

.

Fandango Do Paraná – Documentário Sonoro Do Folclore Brasileiro N. 15 (1976)

Olá amigos cultos e ocultos! E vamos nós com mais um disquinho da série Documentário Sonoro do Folclore Brasileiro. Desta vez destacando o Fandango do Paraná. Registro realizado em 1968, nos estúdios da TV Iguaçú, de Curitiba. O disquinho, como se pode ver foi lançado em 1976.

andorinha
vilão do lenço
martiquira
.

Tambor De Crioula – Documentário Sonoro Do Folclores Brasileiro N. 12 (1976)

Boa noite, amigos cultos e ocultos! Seguindo a ordem numérica, iniciamos no volume 6, agora vamos para o próximo que é o 12, Tambor de Crioula. Registro das toadas gravado em São Luís do Maranhão. Lançado em 1976.

beirou beira mar
vaqueiro, tu vai ao campo
jandiá peixe do fundo
galo cantou, eu vou embora
adeus coureiro, adeus
eu vou saindo devagar

.

Cocos De Alagoas – Documentário Sonoro Do Folclores Brasileiro N. 6 (1975)

Olá, amiguíssimos cultos e ocultos! Entramos então, a partir desta postagem, numa nova era. Uma nova década musical, com muito pique e cheia de novidades. Continuamos nossas postagens no mesmo esquema de sempre, tendo nossa fonte em um clube privado (o GTM), porém sempre de portas abertas para novos associados, basta tomar o trabalho de ler as orientações. Como eu já disse, a partir de agora estaremos também postando discos e artistas internacionais. Na verdade, irei postar aqui algumas coisas da minha coleção particular, discos os quais eu tenho prazer de ter e ouvir. Irei assim compartilhar com vocês, além das curiosidades e raridades de sempre, também um pouco do meu gosto pessoal, da minha discoteca internacional. Por certo, serão apenas aqueles discos que realmente não se encontram por aí.
Para começarmos bem o décimo primeiro ano do Toque Musical eu vou trazendo aqui e ao longo dos dias alguns disquinhos de uma série, hoje rara, conhecida como Documentário Sonoro do Folclore Brasileiro, produzida e distribuída gratuitamente pelo MEC durante as décadas de 70 e 80. No momento, não sei dizer quantos desses discos de 7 polegadas (os compactos) foram lançados, mas foram dezenas, cada qual trazendo um tipo de manifestação sonoro-musical, registros extraídos de diferentes regiões do Brasil, alguns, inclusive feitos em épocas anteriores, nas décadas de 50 e 60. Infelizmente, a série que eu apresento aqui está incompleta. São apenas 24 discos e com numeração quebrada. Postarei todos seguindo a ordem de lançamento. Ao longo das próximas postagens falaremos mais sobre essa importante coleção.
Começamos então pelo compacto “Cocos de Alagoas”, registro feito no município de Chã Preta, em Alagoas, pelo antropólogo e folclorista Théo Brandão, em 1952. As informações complementares vocês poderão obter na contracapa do disco, ok? Fiquem ligados que amanhã tem mais… 😉

mas quem é que eu danço hoje
ferreiro bateu na tenda
pega o touro, amarra o touro
meu veado corre

.

Toque Musical, 10 Anos!

Bom dia a todos os amigos, cultos, ocultos e todos os associados! Hoje é um dia muito especial para nós. Inacreditavelmente, conseguimos chegar a meta dos 10 anos de vida. Digo meta, porque depois que chegamos aos nove, para o dez era só mais um ano. E no que dependesse de mim, faria tudo para chegar a uma década, completando assim um ciclo de verdade. Parabéns para mim, parabéns para os meus colaboradores, parabéns para todos os amigos cultos, ocultos e associados! Fizemos ao longo desse tempo muita coisa. Foram mais de 3 mil postagens. Posso garantir que ajudamos a resgatar muita música, muitos discos, muitos artistas. Certamente, graças ao Toque Musical, assim como outros blogs, muito do que foi esquecido e até apagado da história da música brasileira, de seus artistas, discos e gravações, voltaram à vida, reencontraram seus ouvintes e conquistaram tantso outros. Se hoje poucos blogs, como o TM, ainda resistem é porque seus autores são assim como eu, amantes da música e dos discos e buscam divulgar seus acervos e compartilhar afinidades. Por outro lado, muitos migraram para outras plataformas tipo Youtube. Aliás, tudo o que hoje encontramos de raridades fonográficas no Youtube é dá por conta dos blogs. Foi e é o nosso trabalho transferido para um canal imediato, onde as pessoas já não precisam baixar nada para ouvir. Pois é, vivemos o momento da música digital, dos ‘streamings’… da música orfã de um disco, da música feita apenas para se ouvir, usar e jogar fora. O conceito de música pelo Youtube é algo assim. Ela está lá, mas você não sente que a tem. Você apenas tem acesso a ela enquanto estiver ali. Contudo, ainda existem pessoas interessadas no disco material, na música que seja pelo menos acessível enquanto arquivos digitais ou digitalizados. Tem gente, como eu, que quer baixar o disco, ver e ouvir as músicas separadamente, ver capa e contracapa, selos e outras informações disponíveis. Tem gente que coleciona música em mp3. Tem gente montando acervos digitalizados para fins educativos e de estudos.Tem gente que ama discos… É por conta dessas e de outras que a gente continua e não desiste. Eu, por muitas vezes pensei em parar, mas quanto mais eu andava, mais via o quanto já tinha feito e seria uma pena, de repente, jogar tudo pelo ralo. Não, a gente continua! Contando com os amigos e colaboradores, a gente acaba seguindo em frente. Vira também uma certa obrigação, mesmo sabendo que a cada ano o público diminui. Mas, é como eu já disse outras vezes, o Toque Musical já se transformou em uma referência. Uma fonte de consulta, uma esperança de download.
Pois bem, aqui estamos, 10 anos de vida! Possivelmente, nosso blog musical é hoje o mais antigo na rede e também um dos pioneiros, com um acervo que permitiu muitos outros blogs virem a surgir, seja pelo entusiasmo ou por replicancia e compartilhamento. Nessa altura, já podemos nos considerar um blog adulto 🙂
Buscando melhorar e reciclar nossas ideias e interesses, estarei adotando uma novidade as nossas postagens. A partir de agora o Toque Musical não se limita a música brasileira. Iremos adotar também a publicação de discos e artistas estrangeiros. Vamos ampliar o nosso leque de variedades. Teremos assim, para essa próxima década, um mostruário também internacional, não esquecendo, obviamente, das raridades nacionais, essas sempre continua. Mas de hoje em diante teremos também a música internacional. Discos raros, curiosidades, mas sempre aquilo que é realmente difícil de achar, mesmo que seja no Youtube.
O Toque Musical começa assim uma nova fase, abrindo espaço também para outros públicos, para outros discos. Mas, fiquem atentos, nossa política de relacionamento continua sendo a mesma. Para participar integralmente do Toque Musical a pessoa precisa se associar ao nosso grupo fechado, o GTM (Grupo do Toque Musical). Para tanto, basta ler as instruções de participação no texto lateral do blog. Seja todos muito bem vindo! Parabéns para todos nós!
Música é algo muito além daquilo que toca pelo autofalante!

Abraços a todos!

Augusto TM

Maria Bethânia – Box (1981)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Depois de quase duas semanas postando discos de música latina, hoje damos uma pausa e também um ponto final para os nossos 10 anos de atividades. Para tanto, claro, precisava ser um ponto final que fizesse jus a uma década. Daí, escolhi este box da cantora Maria Bethânia, que é uma das maiores intérpretes da música popular brasileira e tem em sua bagagem uma infinidade de sucessos. E eu, percebendo aqui, vejo que ao longo de todo esse tempo de Toque Musical, poucas vezes publiquei discos dela. Assim, para a alegria de todos e também como um presente de aniversário (porque aqui quem dá o presente é o aniversariante), temos um box com seis lps, reunindo certamente o que de melhor ela fez durante sua fase no selo Philips. A seleção traz dezenas de músicas divididas por temas. Gravações ao vivo, temas de amor, interpretando compositoras, Caetano Veloso, Chico Buarque e Gonzaguinha e também em duetos com outros artistas. Sem dúvida, um mostruário quase completo dessa grande artista. Um presente de 10 anos do Toque Musical, mas só para os amigos cultos e ocultos associados.
Se você está chegando agora e ainda não conhece o nosso espaço, sugiro que leia com atenção os textos laterais, caso tenha a intensão de participar do Grupo Toque Musical e usufruir do que postamos aqui. Uma nova fase irá começar. Sejam todos bem vindos!

minha história
trampolim
esse cara
bodas de prata
tatuagem
eu fui a europa
gás neon
luzes da ribalta
sonho impossível
foi assim
falando sério
o leãozinho
um índio
bom dia
balada do lado sem luz
alibi
negue
ronda
nenhum verão
eu tenho um pecado novo
amo tanto viver
cansei de ilusões
janelas abertas n. 2
a tua presença
as ayabas
gente
diamante verdadeiro
a voz de uma pessoa vitoriosa
mel
ela eu eu
talismã
vida real
olhe o tempo passando
demoníaca
cobras e lagartos
amor, amor
interior
coração ateu
um jeito estúpido de te amar
da cor brasileira
gota de sangue
o lado quente do ser
noite de um verão de sonho
pra dizer adeus
mano caetano
formosa
sinal fechado
atiraste uma pedra
esotérico
tudo de novo
sonho meu
cavalgada
o meu amor
alguém me avisou
baioque
festa
olhos nos olhos
explode coração
amando sobre os jornais
mergulho
terezinha
infinito desejo
de todas as maneiras
grito de alerta
cálice
começaria tudo outra vez
.

Atahualpa Yupanqui – Tierra Querida (1968)

Conforme o prometido, o TM oferece hoje a seus amigos cultos, ocultos e associados mais um álbum do cantor-compositor Atahualpa Yupanqui (1908-1992), considerado  um dos mais importantes divulgadores de música folclórica de nossa vizinha Argentina, dando prosseguimento ao nosso ciclo temático dedicado aos latino-americanos. Desta vez, apresentamos “Tierra querida”, lançado pela Odeon portenha em 1968 (e presumidamente jamais editado por aqui), com 14 faixas e a indicação na contracapa: “reconstrucción técnica”. Certamente é uma coletânea de antigas gravações de Yupanqui para a Odeon, onde iniciou sua carreira fonográfica em 1936, ao tempo das 78 rotações por minuto (ele também gravou na RCA Victor, BAM,  Chant du Monde e  Antar-Telefunken). Das 14 faixas que compõem este disco, dez são cantadas e as demais em solo de guitarra (isto é, violão).  A canción, a zamba, a chacarera, a milonga pampeana, enfim, os mais variados gêneros da música regional argentina batem ponto em mais este trabalho do grande Ataualpa Yupanqui, compilação expressiva e mais uma joia rara que o TM oferece com a satisfação e o orgulho de sempre. Aproveitem..

tierra querida
huella triste
ampo abierto
el vendedor de yoyos
zambita de los pobres
cancion del carretero
las cruces
la añera
ahi andamos senior
el rescoldeao
hui jo jo jo
leña verde
viene clareando
chacarera de las piedras

*Texto de Samuel Machado Filho

Manduka Y Los Jaivas – Los Sueños De America (1974)

Buenas tardes, amigos cultos e ocultos! Eu já havia selecionado os discos que entrariam nesta série de postagens dedicada a música latina, os países de língua hispânica, das Américas. Boa parte foi doação do meu amigo Fáres e alguns outros eram arquivos digitais que também me foram enviados, mas nem lembro mais que o fez. Contudo, percebi que ainda tinha uma leva de inéditos e agora fico nessa indecisão, não sei se publico todos ainda neste mês, ou se deixo para uma nova temporada. Ainda quero fechar os 10 anos com coisas nacionais. Vamos ver…
E aqui vai então um dos que recebi e até hoje nunca postei. Acho que fiquei esperando o vinil de verdade aparecer. Mas, por se tratar de um disco de 1974, importado e raro, acho difícil aparecer assim. No Mercado Livre há um compacto, trazendo a música ‘La Centinela’ e o maluco lá está cobrando 190 reais! Pior ainda é um outro que acha que vai conseguir vender a versão cd por 795 reais!!! Esses caras perderam o senso. A exploração corre solta para colecionadores, que são outros malucos. Só mesmo um colecionador endinheirado ou muito idiota seria capaz de pagar esses preços. Enfim, cada um vende e compra pelo preço que quer…
Temos então,”Los sueños de America”, disco gravado na Argentina, pelo músico brasileiro, Manduka, ao lado do grupo chileno Los Jaivas. Este disco nunca chegou a ser lançado no Brasil, porém, através de outros blogs, da internet e outras fontes, o disco circulou bastante, tempos atrás. Em 1995 ele foi relançado no Chile pela Alerce Producciones Fongráficas, em versão cd.
“Los sueños impresos en este álbum son el único resultado aparente de un simbólico Primer Encuentro Latinoamericano de la Soledad que los músicos concertaron en un rincón amado del litoral argentino, intentando conjugar la sabiduría de la montaña, la embriaguez del mar y el hermetismo de la selva”.

don juan de la suerte
la centinela
date unavuelta en el aire
tá bom, tá que tá
traguito de ron
los sueños de america
primer encuentro latinoamericano de la soledad

.

Mercedes Sosa – Gente Humilde (1982)

Dentro do ciclo temático sobre a música popular e folclórica latino-americana, comemorativo de seu décimo aniversário, o TM tem a satisfação de oferecer hoje, a seus amigos cultos, ocultos e associados, mais um álbum desta notável intérprete do gênero que foi a argentina Mercedes Sosa (1935-2009), a querida e sempre lembrada “La Negra”, cognominada “a voz da América Latina”. Desta vez, apresentamos “Gente humilde”, trabalho lançado em 1982 pela Philips/Polygram, hoje Universal Music, e produzido especialmente para o mercado brasileiro. Esse ano também marcou o retorno definitivo de Mercedes à sua Argentina natal, após alguns anos de exílio na Europa (ela fora acusada de subversão, dada sua proximidade com os movimentos comunistas e seu apoio a partidos de esquerda). Tanto é assim que este “Gente humilde” foi gravado, em sua maior parte, em Paris, onde então ela ainda morava. A faixa-título, vocês sabem, é um clássico da MPB, e ganhou versão em espanhol de Júlio César Isella, não por acaso o produtor deste álbum, e conterrâneo de Mercedes (ele também assina a faixa “Fuego em Anymana”). Há de se destacar ainda a participação especial do brasileiro Fagner (apenas um dos muitos artistas tupiniquins que tiveram o privilégio de gravar com a grande Mercedes), na faixa “Años”, do cubano Pablo Milanez (na verdade, faixa extraída do álbum “Traduzir-se”, que Fagner lançou em 1981 pela CBS).  E o Brasil ainda está presente com “Guitarra enlunarada”, versão em espanhol para outro clássico de nossa música popular, “Viola enluarada”, dos irmãos Marcos & Paulo Sérgio Valle. Mercedes ainda revive o clássico “El dia que me quieras”, de Carlos Gardel, e apresenta, de seu conterrâneo Enrique Cadícamo, “Los mareados”. Outro cubano, Sílvio Rodriguez, aqui comparece com “Sueño com serpientes”. Tudo isso e muito mais compõem este que é outro imperdível trabalho da incomparável Mercedes Sosa, mais uma joia que o TM apresenta em seu ciclo latino-americano. Não dá pra pedir mais, não é mesmo?

a quien doy

zamba del  laurel

gente humilde

el dia que me queiras

la flor azul

fuerza

guitarra enluarada

sueño con serpientes

cuando me acuerdo de mi pais

los mareados

fuego en anymana

años

*Texto de Samuel Machado Filho