Toques Para Quem Se Toca

Algumas pessoas têm estranhado o fato de que os links para a postagem do João Gilberto, às vezes aparecem inválidos. Realmente, os links foram feitos para uma validade de 12 horas. O motivo é muito simples. Diante ao enorme interesse por essa gravação, tivemos espantosamente só no primeiro dia mais de 300 buscas. Depois verifiquei que em outros blogs, sites e comunidades do Orkut, também já anunciavam a raridade. Até aí, maravilha… só que todo mundo estava usando o link fornecido ao Toque Musical. Daí, resolvi adotar o link temporário, motivando as pessoas a criarem os seus próprios. Cheguei inclusive a retirar dos Comentários um outro link. Agradeço a boa intenção da pessoa que o fez, mas prefiro eu mesmo o faze-lo. Espero que em outros blogs esta gravação também seja postada. E que as pessoas entendam de uma vez por todas como foi importante trazer à tona um material escondido por 50 anos. E pensar que nós brasileiros fomos os últimos a ter acesso a este material, enquanto cópias de má qualidade eram vendidas lá fora por um preço absurdo. É o que eu sempre digo, os estrangeiros sabem mais da nossa música do que nós mesmos. Eles valorizam o conteúdo e nós o produto. Por isso estamos sempre pagando mais caro. Por causa dessa postagem alguns poucos (aqueles que lucravam de alguma forma com isso) estão me taxando de pirata. Eu? Só eu? Teve um idiota, figura renomada, que diz que o pirata é aquele que sobe (“são os que sobem é que a gente está de olho”). Teve também um outro, que pelo Orkut, andou distribuindo em doses homeopáticas essas gravações, por sinal muito ruins e justificou sua ação dizendo que não queria ver esse trabalho nas mãos dos blogs piratas. Perfeito! Só que no dia seguinte, entrou anônimo e silenciosamente aqui para baixar. Me mandou um recado dizendo que apesar do ’malware’, tinha conseguido baixar o arquivo. Dá para entender pessoas assim? Quer dizer que o vilão nessa estória sou eu. Aquele que vem no anonimato, entra no blog, baixa tudo que encontra ou interessa, carrega e vai embora, também não é muito diferente do pirata. Aquele acadêmico ou aquele repórter em busca de elementos para seus trabalhos também estão na pirataria. O inocente cidadão que traz em seu celular diversas ‘musiquinhas’ como toques musicais, também e sem saber, participa da pirataria. Em resumo, neste mundo virtual e de novos (pré) conceitos, estamos todos no mesmo barco. O barco do capitão Blackbeard. Como disse um amigo meu, é a necessidade que gera leis e regulamentos. Agora, vai depender de qual necessidade é a mais urgente, a cultural ou a econômica. E você, de que lado vai ficar?
O pior pirata é aquele que não enxerga a realidade, porque usa dois tapa-olhos.

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

13 thoughts on “Toques Para Quem Se Toca

  1. Cara, o trabalho que vc faz é de divulgação e fomento cultural, e não pirataria. Está de parabéns por todas essas belezas musicais! Muito grato pelo seu trabalho.

    Abraco,
    Guilherme

  2. Depois de todo esse sucesso, desisti de escrever para aquela coluna de música que me sugeriu. Penso que ninguém melhor do que você mesmo para continuara a fazer isso. Abraços.

  3. eu sou músico, vivo de vender minha música e posso dizer em letras garrafais.

    TROCAR MÚSICA DE GRAÇA NA INTERNET É A MELHOR COISA QUE PODEM FAZER PELO MEU TRABALHO.

    esse caô de pirataria é ridículo. pirataria é o que a indústria vem fazendo há décadas e décadas, lucrando aos tubos nas costas dos músicos, enquanto nós recebíamos uma esmola e nos dávamos por satisfeito. essa é a verdadeira pirataria no nosso bolso. aliás, se essa afirmativa realmente estivesse no passado seria perfeito.

    MÚSICA É CULTURA, E CULTURA É EDUCAÇÃO. O MUNDO VIVE UM MOMENTO TRISTE EM QUE SÓ HÁ DE SE SALVAR ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO. PENSAR EM CAPTALIZAR LIMITANDO O ACESSO DA POPULAÇÃO A EDUCAÇÃO DEVIA SER CONSIDERADO CRIME EDIONDO. CONTINUEM COM O TRABALHO SENSACIONAL DOS BLOGS DE DIFUSÃO CULTURAL. NÃO OUÇAM MEIA DÚZIA DE PAPAGAIOS QUE APENAS REPETEM O QUE A INDÚSTRIA LHES DIZ.

    TRABALHOS COMO O TOQUE MUSICAL SÃO MUITO MAIS IMPORTANTES DO QUE A MAIORIA IMAGINA. DENTRO DE ALGUNS ANOS, ISSO SERÁ EVIDENTE E INCONTESTÁVEL.

  4. Sem querer simplificar muito, vc colocou:

    “Agora, vai depender de qual necessidade é a mais urgente, a cultural ou a econômica.”

    Para mim, sem duvida, a cultural.
    Sem cultura nao se cria riqueza duradoura, e tesouros culturais sao basicamente patrimonio da humanidade.

    Nao lique para os “otarios” que levantam o fantasma da pirataria.

    Os caes ladram, mas a caravana passa…

    Bless,
    -A

    ps. Vcs curtem last.fm? Curtiriam uma comunidade “Toque Musical” la?

  5. Faço minhas as palavras dos demais comentaristas, e venho parabenizar-lhe por seu valoroso trabalho neste blog.

    Sou assinante de seus feeds, assim como de alguns outros blogs, que, como você, resgatam e disponibilizam, além de nos incentivar, a conhecermos o que há de melhor na nossa cultura musical.

    Parabéns pelo trabalho e siga em frente. 🙂

    Grande abraço.

    Thiago Cunha.

  6. Este blog está cada vez melhor!! Isso que importa, e quem sabe, sabe! Trabalho com musica há muitos anos e sempre foi movido pela paixão, sinto o mesmo em você. Parabéns!
    Grande abraço

  7. Eu acho que isso de pirataria é muito relativo. Baixo muita coisa da internet, mas quando gosto de um disco e o encontro para vender a um preço justo, compro sem pensar duas vezes. Muitos dos CDs que possuo (não são tão poucos) eu conheci através de mp3. Foi assim com todos os meus discos de Jazz e com os da Roberta Sá, para citar um exemplo nacional. Sou pirata ou não? É melhor deixar assim como ou fazer com que eu pare de baixar músicas novas e deixe de conhecer discos que eu poderia comprar?

    Sei que não sou a regra, muita gente baixa a música e não quer mais nem saber. Mas também há muita gente que age da mesma forma que eu. Infelizmente não consegui achar a referência, mas vi uma vez uma pesquisa que dizia que os maiores compradores de música no iTunes eram também os que mais baixam música 'ilegalmente'.

    Só que eu me recuso a pagar R$50,00 por um CD sabendo que a maior parte deste valor ou é lucro abusivo ou vai a publicidade de uma banda RUIM que a gravadora empurra para o povão.

  8. TM FICO IMPRESSIONADO DE VER SEU CONHECIMENTO MUSICAL CARA! VOCE É DEMAIS BICHO…ENTENDE MUITO DO ARTIGO.
    PARABENS…PARABÉNS…PARABÉNS.

  9. Parabéns pelo teu trabalho. Não ligue, não ligue. Ninguém vai ter aprovação 100% num mundo 50%. Obrigado pelo blog. É simplesmente o melhor.

Deixe uma resposta