Toque Musical – 15 Anos!

Destacado

Amigos cultos e ocultos, chegamos enfim a marca dos 15 anos de atividades. Algo realmente surpreendente, principalmente para mim, que no início disso tudo criei este blog como uma forma de passar o tempo, de distrair a cabeça, quando então passava meus últimos quatro meses (sozinho) cuidando de minha mãe que estava com câncer. Era a forma de eu me distrair durante as madrugadas. E depois que ela se foi, continuei na peleja, tentando assim acalmar a tristeza, tentando preencher um vazio que nunca teve fim. Continuei também porque sempre gostei de música, dos discos e também porque percebi, que mesmo na contramão, na ilegalidade desse tipo de compartilhamento, estava sim prestando um serviço cultural, de resgate de obras ‘fonomusicais’, da memória fonográfica brasileira e mais, criando um alicerce para os que vieram depois e também como lenha para alimentar o conteúdo YouTube e outros ‘streames’. E tudo isso, sem falar também que esse material publicado ao longo dos anos tem servido a músicos, historiadores e pesquisadores em geral. Inegavelmente, o Toque Musical contribuiu de maneira relevante para com a memória da música popular brasileira. Fizemos mais que muitas entidades oficiais, que deitaram e rolaram com verbas públicas, promovendo projetos que não foram para frente. Embora sempre mantendo um formato pessoal, o Toque Musical é de todos o mais público. 
Agora, aos 15 anos e longe de ser o sucesso de tempos passados, mas com sua marca garantida na memória de todos, seguimos na mesma tradição, porém, a partir de agora sem a obrigatoriedade de sermos diários. Também iremos mudar nossas apresentações, deixando de vez essa máxima dos ‘amigos cultos e ocultos’. Textos teremos, quando assim acharmos por bem. As postagens seguirão agora conforme nossa disponibilidade. A Equipe Toque Musical, no momento, só conta com um colaborador e nosso ritmo vai ser outro. Continuamos na fita e dentro do possível atendendo aos solicitantes e agora, mais ainda, contando com a contrapartida e doações para que possamos continuar levanto a todos os nossos toque musicais. O Grupo do Toque Musical (GTM) continua ativo e sempre aceitando novos associados. Para as solicitações de arquivos, o atendimento é exclusivo através do e-mail toquelinkmusical@gmail.com
Saudações musicais a todos!
Augusto TM
 
 
.

ATENÇÃO!

Destacado

PARA SE ASSOCIAR AO NOSSO GRUPO, O GTM, E PODER ACESSAR OS ARQUIVOS DESSAS POSTAGENS O INTERESSADO DEVE FAZER A SUA SOLICITAÇÃO FORMAL, ATRAVÉS DAS ORIENTAÇÕES QUE SE ENCONTRAM NOS TEXTOS LATERAIS. OS LINKS PARA DOWNLOAD ESTÃO NO GTM E FICAM ATIVOS POR UM TEMPO LIMITADO. NÃO HÁ MAIS REPOSIÇÃO DE LINKS POR SOLICITAÇÃO. POR ISSO, É BOM ACOMPANHAR SEMPRE AS POSTAGENS, POIS O TEMPO PASSA E A FILA ANDA. MAIORES INFORMAÇÕES, ENTRE EM CONTATO: toquelinkmusical@gmail.com

João Gilberto – Ao Vivo No Teatro De Santa Isabel Recife Em 2000 (2022)

Boa noite, meus amigos cultos e ocultos! Hoje, dia 30 de julho de 2022, o nosso Toque Musical completa 15 anos! Sinceramente, acho que só foi possível por conta dessa nossa insistência e o enorme prazer em fazer o que a gente faz. Acredito que poucos blogs com o TM ainda se mantém na ativa. A maioria acabou, outros remodelaram, se transformaram em outra coisa. Enfim, o Toque Musical é um dos poucos que ainda se mantém fiel a seu formato, mesmo sabendo que o conceito da coisa mudou e tudo que é postado aqui, se ainda não está no YouTube, logo vai estar. Mas ainda assim, seguimos na tradição, no formato diário-público-pessoal, confraria fonomusical. Enfim, 15 anos, um tempo longo para um site. Somos, sem dúvida, uma tradição, um clássico nessas praças da web. Parabéns para nós! Parabéns ao Toque Musical! Que venham mais 15 anos! (já pensou?)
Para marcar a data e o momento, estamos trazendo aqui nosso assunto mais ilustre, o impagável João Gilberto, figura da maior importância no TM, por conta das diversas postagens que já fizemos sobre ele e em especial nas edições exclusiva que criamos de registros em shows e mais ainda, da bombástica gravação, até então inédita ao público, das fitas gravadas pelo Chico Pereira. 
Inclusive, a respeito desse fato, dessa que foi a mais importante postagem que já fizemos, posso agora contar alguns detalhes e corrigir alguns enganos sobre essa história. Há alguns anos atrás fui procurado pelo Zuza Homem de Mello que então, na época, escrevia sobre o João Gilberto, preparando o que seria seu último livro, o “Amoroso”, que viria a ser lançado de maneira póstuma. Zuza faleceu quatro dias após finalizar o livro, o qual a produção final ficou a cargo de sua companheira, Ercília Lobo. E foi ainda durante a elaboração desse livro que um dia recebi um e-mail do Zuza pedido informações sobre a história da fitas, como os registros digitais chegaram até a mim. Contei a ele que os arquivos digitais me foram passados pelo então amigo franco-uruguaio Christophe Rousseau, que ele por sua vez conseguiu isso de um colecionador de raridades sueco. Quando este material chegou em minhas mãos, ainda não estava editado, era um arquivo único no qual continha sequencias dessas gravações feitas pelo fotógrafo Chico Pereira. Até então, a única pessoa que possuía esses registros era uma pesquisadora americana, que eventualmente colocava em seu blog alguns trechos, para manter o seu ibope. Daí, com o arquivo bruto, fui editando no Sound Forge e gerando novos para cada música ou trecho de falas. Editei, remixei limpando da melhor forma o áudio, o qual o Chris também já havia mexido. O trabalho maior foi identificar cada música, cada passagem e ao final veio também a produção das capinhas para chegarmos à grande publicação, a que virou notícia nos grandes jornais e revistas e também entraria, para minha surpresa, como citação em “Amoroso”. Infelizmente, houve um engano, dando ao fã de Bossa Nova, ‘artista do playback’, o título de “engenheiro de som” (hehehe…). Sem querer lhe tirar o mérito por ter conseguido a fita e também por ter passado a mim, o trabalho todo coube mesmo ao Augusto aqui. E segundo o Zuza, naquele 2011, o nosso “João Gilberto Na Casa De Chico Pereira” foi o que houve de melhor em lançamento musical. O nome do Augusto TM não entrou no livro. Ficou mais charmoso com a versão do francês, engenheiro de som. Mas a gente não liga não, a gente sempre foi eminencia parda nessa história toda. E de qualquer forma, vale a pena ler esse livro. É realmente uma biografia apaixonada, escrita por alguém que também viveu e conheceu de perto, na amizade o genial João Gilberto. E é nesse livro também que vocês irão encontrar detalhadamente a passagem de João pelo Recife, em um memorável show no Teatro de Santa Isabel, em 2000. É este show que agora aqui apresentamos a vocês, em uma nova edição, com direito também as capinhas, tudo organizadinho, como manda o nosso figurino. Espero que esteja no agrado de todo. Confiram, no GTM…
 
aos pés da cruz
recife cidade lendária
doralice
carnaval da vitória
ave maria
discussão
odete ouve o meu lamento
um abraço no bonfá
solidão
hino nacional
sinfonia do rio de janeiro
bahia com h
samba de uma nota só
farolito
chega de saudade
não vou pra casa
 
 
.

No Mundo Do Baião Vol. 1 (1956)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Já quase completo o ciclo dos primeiros 15 anos do nosso Toque Musical, ainda cabe um espaço para mais um disco. E desta, temos hoje o lp de dez polegadas. “No Mundo do Baião, volume 1, lançado em 1956 pela Musidisc. Acho que esse era o último que faltava ser postado aqui. Uma seleção trazendo alguns artistas do ‘cast’ da Musidisc, num momento onde o baião, um gênero nordestino, fazia muito sucesso. As músicas que compõe este lp foram, por certo, extraídas de discos de 78 rpm, lançados também naquele mesmo período. Aqui temos…
 
meu limão meu limoeiro – urubu malandro – leal brito
prenda minha – ubirajara silva
ciranda no baião – leal brito
adeus guacyra – leal brito
pé de manacá – as três marias e leal brito
baião moreno – as três marias
pagão djalma ferreira
eh boi – adeus morena – as três marias e leal brito
nós três – trio surdina
 
 
.
 
 

Sandoval Dias – A Música de Maysa (1959)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Como quando a gente já chega a uma certa idade e festejar é uma coisa apenas pontual, é mais ou menos nessa que estamos, diante ao dia de amanhã, quando então o Toque Musical completa 15 anos de atividades. Em outras épocas a gente fazia festa, mas confesso, ando tão desanimado e sem condições para fazer valer a data. Mas não a deixaremos passar batida… 🙂
Hoje temos aqui um belo disco que por certo irá agradar, Chama atenção já pela capa. E o que temos aqui é a música de Maysa, que naquele final dos anos 50 fazia muito sucesso. Muitos artistas gravaram, não apenas os cantores, mas também os músicos instrumentistas, afinal a melodia e a letra na música desta cantora e compositora caminham juntas e com a mesma triste beleza. E como fica interessante na interpretação do saxofonista Sandoval Dias e seu conjunto. Confiram mais essa joinha lançada pelo selo Sinter, em 1959. Como sempre, arquivos completo no GTM. Cola lá…
 
ouça
marcada
adeus
o que…
não vou querer
escuta noel
tarde triste
mundo novo
agonia
rindo de mim
resposta
quando vem a saudade
 
 
.

The Gentlemen – Super Legal (1968)

Boa hora, meus camaradas, amigos cultos e ocultos! Que tal um genérico para o dia de hoje? Aqui temos um daqueles obscuros lps lançados também por obscuras editoras e gravadoras nos anos 60. The Gentlemen é o nome do conjunto e por certo, um nome fantasia para dar identidade a este lp, lançado em 1968 pelo selo DN (Disc News). O que eu acho curioso nessas edições distribuídas pela Codil, cujo os fonogramas eram usados por esses selos de segunda linha é o senso do que era jovem, do que era um som psicodélico, enfim, do que rolava de moderno fora daqui. Pelo jeito só tiveram sucesso na parte visual, nas capas, pois os conjuntos e artistas que apareciam aqui eram de um nível bem popular. Parece que a coisa era mesmo feita apenas para ganhar dinheiro. Os músicos e cantores desses discos, muitas vezes nem eram profissionais e seus nomes nem aparecem. Desses gravações se produzia um lp, inventava-se um nome chamativo e vamos lá. Aqui temos uma seleção de músicas que faziam sucesso naquela época, boa parte coisas da Jovem Guarda, mas em versões, nunca com os artistas originais. Mesmo assim é interessante de conhecer e ouvir. E aqui no Toque Musical é a melhor praça para se encontrar coisas variadas. Afinal é aqui que se ouve música com outros olhos, não é mesmo? Confiram mais essa… 
 
por isso corro demais
quando
alegria alegria
benzinho
você deixou alguém a esperar
e por isso eu estou aqui
i love her
está chegando a hora
ela é demais
estou feliz
la paloma
south of the border
 
 
.

Jacob do Bandolim – Jacob Revive Sambas Para Você Cantar (1963)

Muito bom dia a todos, amigos cultos e ocultos! Eis aqui um disquinho gostoso de se ouvir e mais ainda, convida a gente a cantar. Não é exatamente um disco de ‘karaokê’, ou um playback para acompanhar, embora o título seja bem sugestivo. O que temos aqui é uma seleção de sambas, no qual o grande Jacob do Bandolim nos presenteia, trazendo músicas que naquele início dos anos 60 já eram clássicos do samba. Aqui, esta seleção de sambas aparecem em forma de pot pourri. Achei por bem manter sem separar, fazendo isso apenas nas pausas longas e dessa maneira temos então apenas três faixas, ok? Disco realmente maravilhoso e raro entre o que se encontra desse grande instrumentista brasileiro. Confiram no GTM…
 
tenha pena de mim
chora cavaquinho
agora é cinza
pois é…
adeus
ai que saudades da amélia
até amanhã
sei que é covardia, mas…
não tenho lágrimas
foi ela
deixa essa mulher chorar
o orvalho vem caindo
palpite infeliz
leva meu samba
chega de saudade
praça onze
está chegando a hora
 
.
 

Baião Nº 3 (1953)

Bom dia, caros amigos cultos e ocultos! Já na última semana do nosso mês de aniversário, achei de postar este “Baião Nº 3”, uma coletânea em disco de dez polegadas da série lançada pelo selo Musidisc, os primeiros discos nesse formato dessa gravadora. Já postamos aqui os dois primeiros números e por certo as músicas deste lp podem também aparecer em outros discos e postagens anteriores, pois são fonogramas extraídos de lançamentos em bolachas de 78 rpm. Como se pode ver, aqui temos Leal Brito e orquestra, Nilo Sérgio, As Três Marias, Manezinho Araújo e Catulo de Paula, interpretando essa série clássica de baião. Confiram no GTM…
 
casinha pequenina – cangaceiro – leal brito e orquestra
mulher rendeira – casinha na colina – nilo sergio e leal brito
não dei meu coração – epa o baião pegou – três marias e leal brito
peguei um ita no norte – trem ó lá lá – leal brito e orquestra
cuco – no ceará não tem disso – leal brito
a mulher barbada côco do bamba le le – manezinho araujo
meu limão meu limoeiro – urubu malandro – leal brito e orquestra
desengano – não perdes por esperar – catulo de paula
 
 
.

Djalma Ferreira – Baile De Formatura (1962)

Bom dia, boa tarde, boa noite… Boa hora, amigos cultos e ocultos! No atraso e também na pressa, hoje vamos mais uma vez trazendo o lendário Djalma Ferreira e seu conjunto de baile, em um disco bem bacana, de sambas, feito na medida para os antigos e tradicionais bailes de formatura. Por certo este lp deve ter rodado muito em festas/bailes mecânicos, aqueles que não tem música ao vivo, ou na pausa da orquestra ou do conjunto. Hoje em dia é um pouco diferente os bailes, mas tá valendo. Até mesmo para conhecer o que rolava nesses eventos dos anos 60. Confiram no GTM…
 
lamento
volta
samba no drink
fala amor
nosso samba
murmúrio
sambadim
recado
cheiro de saudade
foi a saudade
cansei
casa da loló
 
 
.

O Grupo Coisa E Tal (1971)

Boa hora, amigos cultos e ocultos! Eis aqui um disco que faltava em nossa coleção. Não sei bem porque razão até hoje eu não o postei. Talvez porque o arquivo estava incompleto. Já tive este disco nas mãos, mas acabei por não fazer o que sempre faço, digitalizar, fotografar capa e selos. Acho que não o postei mesmo por conta de estar faltando a parte interna, este lp, originalmente, era de capa dupla e é justamente no seu interior que vamos encontrar um texto informativo sobre O Grupo e Coisa e Tal… Eu até acreditava que este seria mais um disco de um outro conjunto chamado O Grupo, o qual também já postamos aqui. Mas agora, vejo que estava enganado, nada a ver. Este é outro e aqui no caso, formado por sete elementos: Quartin (orgão, piano e vocal), Renato (baixo e vocal), Roberto (bateria e vocal), Márcio (sax, flauta e clariquete), Carlinhos (guitarra e vocal, Jayme e Maurício (ritmo e vocais). Conforme o texto de apresentação de Sérgio Bitencourt, que também assina duas das faixas do disco, trata-se de um grupo de ocasião, ou seja, um grupo de músicos que se juntam despretensiosamente para gravarem um disco com músicas que eles mesmos escolheram. E em se tratando de artista de alto nível, inevitavelmente oque temos aqui é um repertório da melhor qualidade. como se pode ver na relação a baixo e na contracapa do lp. Confiram, os que ainda não o conhece…
 
socorro
vera verinha
yara bela
la vai ela
canção pra inglês ver
vogue
não te conheço não
senhores do mundo
matilda
bloco da solidão
o problema dela
e coisa e tal
 
 
.

Nazaré Pereira – Ver O Peso (1988)

Muito bom dia a todos, amigos cultos e ocultos! Hoje trago para vocês este disco da cantora Nazaré Pereira. Já tivemos aqui outros discos dela, se não me engano e hoje eu posto este por questões bem pessoais, pela lembrança, pelo marco de um momento em minha vida. Gosto muito do povo paraense e a ele e em especial, a alguns amigos que partiram recentemente, eu deixo esta lembrança.
Nazaré Pereira, como o texto de contracapa informa é uma artista que saiu do norte para fazer sucesso na França. Acredito que ela seja mais conhecida por lá do que por aqui. E como sempre, seu discos são ótimos. Quero até prometer aqui que logo teremos mais discos dela no Toque Musical. Por hora, vamos curtir este belíssimo trabalho onde nossa artista exalta de forma tão bacana a cultura paraense em um trabalho totalmente feito em Belém. Vale a pena conhecer…
 
dunas da princesa
lá vou eu
ataiô
clarão da lua
para belém
cheiro de flor
lua luar
sinhá pureza
bon jour pra você
na areia da praia
carimbó da saudade
ilhas do marajó
 
 
.

Lúcio Alves – Interpreta Dolores Duran (1960)

Bom dia, caros amigos cultos e ocultos! Olha aí mais um disco para as nossas fileiras… Hoje temos um encontro com Lúcio Alves e Dolores Duran, na segunda versão de um lp originalmente lançado em 1960 e cujo o qual nós já apresentamos aqui no Toque Musical. Como se trata de um disco dos mais bacanas, não seria pecado repetir a dose, até porque este é uma nova versão, onde as músicas seguem outra ordem de faixas. Como sabemos, inclusive pelo texto de contracapa, este lp tem um sentido um tanto póstumo, pois foi gravado e lançado no ano seguinte ao da morte de Dolores Duran.
Leiam o texto da contracapa aqui, ou baixem o disco completo no GTM.
 
ideias erradas
a noite do meu bem
estrada do sol
castigo
noite de paz
vou chorar
por causa de você
fim de caso
pela rua
quem sou eu
solidão
canção da tristeza
 
.

Os 3 Morais (1973)

Boa hora, amigos cultos e ocultos! Hoje o nosso encontro é com o trio vocal, Os Três Morais, grupo formado pelos irmãos Jane, Sidney e Roberto. Iniciaram nos anos 60 gravando jingles para comerciais de rádio e tv. Atuaram na música erudita e depois popular, participando de programas de televisão e se destacaram também nos festivais. Gravaram alguns lps, sendo este o terceiro, quando então Jane sai do grupo para formar dupla com o marido, Herondy Bueno (Jane & Herondy). O trio ainda gravou mais um disco com uma outra cantora. Neste lp temos um repertório bem bacana, inclusive com músicas autorais. Vale a pena conferir 😉
 
além
fim de verão
como el fez en el gaa
rosa poesia poema
marinherio
automóvel
cartas fotografias
sou eu
seleção baden poweçç
seleção noel rosa
 
 
.

Silvio Caldas (1957)

Boa noite, caros amigos cultos e ocultos! Em outros tempos aqui no Toque Musical, no mês de aniversário do blog, a essa altura a gente já estava em festa, tendo diariamente a postagem de discos  especiais, que valesse a data. Com o passar do tempo, acho que esfriamos um pouco e neste ano, mais que especial, dos 15 anos está também complicado ficar por conta de uma produção comemorativa. Se eu conseguir já completar os dias de atraso, já vai estar de bom tamanho.
Temos aqui o grande Sílvio Caldas em um lp de 10 polegadas, lançado em 1957, pela Continental. Sílvio nos apresenta um repertório de samba, valsa, choro e canção. Músicas que também foram lançadas em bolachas de 78 rpm. Algumas das faixas já foram apresentadas, principalmente na série Coleção Grand Record Brazil de 78 rpm. Confiram no GTM…
 
cabelos de prata
minha casa
não pergunte
boa noite amor
pastora dos olhos castanhos
você voltou
nunca soubeste amar
violões no funeral
 
 
.

Sambas – Os Grandes Sucessos (1975)

Boa hora, meus prezados amigos cultos e ocultos! Como já disse em outras ocasiões, adoro coletâneas. Discos com uma seleção variada de músicas é sempre legal. As vezes há nelas músicas que nunca chegaram a ser lançadas em um lp, versões que só entraram em coletâneas. No caso deste lp não é muito diferente. Trata-se de um disco de samba. Uma seleção muito boa de sucessos de Wando, Luiza Maura, Nerino Silva, Djalma Pires, Edu Maia, Jacy Inspiração e Elias de Lima. Grandes sucessos do samba que irão agradar em cheio. Confiram no GTM…
 
samba da poeira – wando
quantas lágrimas – luiza maura
súplica cearense – nerino silva
corre gira – djalma pires
eu vou voltar pra bahia – edu maia
1800 colinas -luiza maura
nega maluca – jacy inspiração
ela não tá com nada – nerino silva
samba sem viola – djalma pires
o importante é ser fevereiro / se deus quiser – wando
conto de areia – luiza maura
ladrão que entra na casa de pobre só leva susto – elias de lima
 
 
.

Tania Maria – Taurus (1982)

Boa hora, caros amigos cultos e ocultos! A partir do próximo mês teremos mudanças por aqui. Não haverá, obrigatoriamente mais o texto de apresentação, salvo em alguns casos onde pelo título ou pela capa não seja possível saber do que se trata. Isso, de certa forma, vai agilizar as coisas, evitando os atrasos que tem sido tão comuns, tanto nas postagens quanto nos links para o Grupo do Toque Musical.
Seguimos hoje e mais uma vez trazendo esta grande ‘jazz woman’, Tânia Maria, uma das nossas mais importantes artistas de nível internacional, também pouco conhecida para além de seu métier jazzístico e também por que boa parte de sua atuação é fora do Brasil. Aqui temos dela, “Taurus”, álbum lançado em 1982 pelo selo Concord Jazz. Aqui, me parece, que não chegou a ser editado, daí, se limita apenas aos iniciados, aos amantes de jazz. Sobre Taurus, vou deixar que a curiosidade de vocês os levem ao texto de contracapa. Ainda tenho muito oque postar hoje… Vamos lá…
 
tranquility
imagine
bandeira do lero
2 a.m.
que vegan los toros
cry me a river
eruption
 
.

Niquinho E Seu Conjunto – Mixidinho (1966)

Olá, caríssimos amigos cultos e ocultos! Temos hoje para vocês, “Mixidinho”, disco de 1966, lançado pela CBS e trazendo o músico instrumentista carioca Agnaldo Luz, mais conhecido como Niquinho, apelido esse que ganhou ainda na infância, por conta de ficar sempre pedindo um ‘niquinho’ para comprar doces. Niquinho foi também compositor. Aprendeu a tocar sozinho e aos sete anos já começava a tocar cavaquinho, bandolim e violão. Como profissional da música atuou em diferentes regionais, inclusive ao lado de Altamiro Carrilho. Formou seu conjunto e nos anos 60 gravou discos pela CBS, como este que estamos apresentando. Um lp cheio de choro, samba e até bolero. Bem bacaninha, vale a pena conhecer e ouvir…
 
no tempo do vovô
sossega violão
começa tudo assim
vem meu grande amor
ginga de morro
um bandolim no samba
mixidinho
beija-me
ninguém
sorriso da zilah
esperança perdida
 
 
.

Nora Ney – Eu Sou Nora Ney E Canto (1957)

.

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Hoje o nosso encontro é com a cantora Nara Ney, presente em nosso Toque Musical já em diversos outros discos. Pensei até que já havia postado este disco e já estava passando batido por aqui, mas felizmente eu confirmei e agora vamos a ele. Por certo, boa parte das músicas contidas neste lp de 10 polegadas já foram apresentadas aqui, principalmente na nossa série exclusiva, Grand Record Brazil, que só findou por conta do falecimento de nosso amigo Samuca, responsável pelos textos. Enfim, temos aqui Nora Ney neste disco que reúne fonogramas extraídos de seus discos em 78 rpm, gravados na Continental. Por certo, um disco cheio de clássicos e definitivamente uma das melhores cantoras da música romântica, de ‘dor de cotovelo’. Belíssimo disco que dentro de um contexto histórico, dá de dez a zero nessas aberrações de ‘sofrença’ que hoje vemos por aí, geralmente, nesse lixo que chamam de música sertaneja-mela-cueca. Coisa que todo novo rico adora. Meus deuses, como faz falta a cultura musical! Como faz falta até mesmo um blog como esse, o nosso Toque Musical. Enfim, como já dizia uma famosa banda punk: “bad music for bad people”. Gosto não se discute, lamenta-se… hehehe… 
 
saudade da bahia
de cigarro em cigarro
é tão gostoso, seu moço
se…
franqueza
chove lá fora
bar da noite
risque
 
 

Os Balanceiros – Sucesso Nº 3 (1965)

Então, meus prezados amigos cultos e ocultos, aqui vai o terceiro volume da série “Sucessos…”, do selo Fantasia e com o ‘fantasioso’ conjunto, Os Balanceiros. Como nos outros dois volumes, temos uma seleção mista que, como falei, são fonogramas/gravações de outros discos lançados pelo selo. Por certo esse grupo, Os Balanceiros, são também os intérpretes nos outros discos lançados pelo selo. “Sucessos” é talvez um mostruário para esses discos lançados. Confiram neste…
 
o menino das laranjas
amore scusami
bigu
la playa
rancho do rio
não me esquecerás
rosas vermelhas para uma dama triste
arrastão
preste atenção
garota moderna
o trovador
por um amor maior
 
.

Tamba 4 – We And The Sea (1968)

Olá, amigos cultos e ocultos! Trago aqui mais um disco que ganhei e por sorte já o tenho também no mp3, arquivinho completo, facilitando a vida da gente. 🙂 Vamos com este internacional Tamba 4, uma versão mais reforçada do Tamba Trio. “We and the sea” foi um lp produzido para o selo americano CTI, do lendário produtor Creed Taylor, em 1967. Aqui no Brasil o disco saiu no ano seguida, através do selo A&M Records. O Tamba 4 era formado por Luiz Eça, Ohana, Bebeto e Dório Ferreira. Este último entrou na formação quando o Tamba Trio grava este “We nd The Sea” e “Samba Blim”. Sem erro, são discos fantásticos e por certo bem conhecidos de todos que apreciam uma boa música. Aqui no Toque Musical também não poderia faltar, não é mesmo? 🙂
 
o morro
moça flor
iemanjá
nós e o mar
canto de ossanha
dolphin
consolação
 
 
.
 

Natan Marques & Ricardo Leão – Comboio (1992)

Boa tarde, prezados amigos cultos e ocultos! Seguindo aqui, hoje temos música instrumental. Andei recebendo alguns lps, pensei logo em postar. Mas cadê o tempo para sentar, ouvir e mais ainda, digitalizar, editar o áudio e ainda fotografar e editar as capinhas? Por sorte, já tenho aqui alguns deles, baixados de outros velhos blogs e assim iremos compondo nossas postagens em atraso.
Então, temos nesta postagem um feliz encontro de dois grandes instrumentistas, o violonista Natan Marques e o pianista Ricardo Leão. “Comboio”, lp lançado em 1992 pelo selo Som da Gente foi também editado na Europa. Álbum todo autoral, exceto pela faixa “Disparada”, de Theo de Barros e Geraldo Vandré, música essa, por sinal, em que eles dão um show. Na verdade, o disco todo é um show de qualidade. Natan e Ricardo ainda trazem um time de apoio impecável. Vale a pena conhecer….
 
goiania
luz e fogueira
chegando junto
fantasma
leblon
comboio
beer
caminhos
tacando a tinta
disparada
 
 
.

Os Balanceiros – Sucessos Nº 2 (1965)

Olá, olá… amigos cultos e ocultos! Seguindo aqui, vamos com mais um disco da série Sucessos, pelo selo Fantasia. Um seleção de sucessos variados, nacionais e internacionais, daqueles anos 60 e aqui na interpretação do grupo Os Balanceiros. Confiram no GTM este número 2.
 
my boy lollipop
reza
sabor a mi
calhambeque
obsesion
twist no samba de branco
trem das onze
michael
rancho da praça onze
perfidia
nanã
meglio stasera
 
 
.

A Orquestra Jovem De Pachequinho – Jovem E Romântico (1969)

Boa hora, amigos cultos e ocultos! Correndo contra o tempo, ou a favor dele, aqui vamos nós sempre atrasados… E assim, lançando mão dos ‘arquivos de gaveta’ e outros tantos que nos são enviados por vocês. Temos hoje a Orquestra Jovem de Pachequinho, um disco comercial com uma seleção de sucessos da época, que de uma certa forma reflete o gosto jovem e romântico daqueles anos 60. O maestro Pachequinho é quem comanda os arranjos e a orquestra. Confiram no GTM…
 
a time for us
i started a joke
o amor que não era pra mim
tentei lhe esquecer
foi você
love me do
sounds of silence
angel of the morning
silence is golden
these eyes
 
 

Nanai E Seu Conjunto – Noite De Samba No Nanai (1965)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Seguindo em nossa aventura fonomusical, hoje temos para vocês e mais uma vez, o carioca Arnaldo Humberto de Medeiros, mais conhecido como Nanai, artista que nas década de 50 atuou mais no exterior, em países da América Latina e Estados Unidos. Violonista, cantor e compositor, foi integrante dos conjuntos vocais  Cancioneiros do Ar, Anjos do Inferno, Namorados da Lua e outros. Também atuou no cinema em diferentes filmes dos anos 60. Ao que se sabe, Nanai também era empresário da noite e este disco foi gravado em sua casa noturna, o Bar Nanai, no Rio de Janeiro. Trata-se de um disco gravado ao vivo, com todo aquele clima de festa, onde até o público participa. Nanai vem acompanhado de um excelente conjunto e um ótimo repertório em pout-pourri. Um momento dos mais agradáveis e realmente memorável, a ponto de ter sido registrado e em seguida lançado em lp pela Musidisc, em 1965. Realmente, muito bom. Não deixem de conferir no GTM…
 
garota moderna – diz que fui por aí
garota de ipanema – acender as velas
opinião
corcovado
eu quero um samba
valsa de uma cidade
agora é cinza – leva meu samba – emília
ai que saudade da amélia – já vai
pastorinhas – mal me quer
não tive tempo
se acaso você chegasse
 
 
.
 

Os Balanceiros – Sucesso Nº 1 (1965)

Olá, caros amigos cultos e ocultos! Hoje tenho para vocês este interessante lp do então recém-lançado  selo Fantasia, que também estreava como etiqueta paralela da Philips, em 1965. Como se pode ver pela contracapa, o selo chegou trazendo suas primeiras produções, discos com temas e gêneros de sucessos nacionais e internacionais, interpretados por músicos de estúdio e para os quais deu-se o nome de Os Balanceiros. Sucessos Nº 1 é, ao que parece, um mostruário, uma seleção que também faz parte dos outros discos estampados na contracapa. Desta série foram extraídas outras faixas que vieram a compor mais dois volumes, os quais iremos apresentar nos próximos dias. Confiram Os Balanceiros no nosso Grupo do Toque Musical.
 
deixa isso pra lá
trop beau
na onda do berimbau
scrivi
dandara hei
io che amosolote
diz que fui por aí
from russia with love
opinião
la bamba
una lacrima sul viso
la mamma
 
 

Tico Tico – Tico-Tico No Galho Seco (1963)

Bom dia, amigos cultos e ocultos! Segue o baile… Hoje temos para vocês, “Tico-tico no galho seco”, lp lançado pelo selo Continental, em 1963, trazendo o cavaquinista Tico-Tico em seu primeiro disco. Um álbum muito bem produzido e ao que consta, com o apoio do grande Altamiro Carrilho. São doze músicas, sendo quase todas de autoria do próprio Tico-Tico. Confiram no GTM…
 
a moçada no samba
tragédia de bolso
orgulhosa
cavaquinho transviado
seus olhos
venina
marlene
na corda bamba
harmonioso
18×24
desiludido
doidinho
 
 
.

Uccio Gaeta – O Novo Som De Uccio Gaeta (1968)

Olá, meus caros amigos cultos e ocultos! Correndo aqui para não perder muito tempo, hoje temos um artista que fez sucesso nos anos 60 e 70, aqui no Brasil, o italiano Matteo Gaeta, mais conhecido como Uccio Gaeta. Italiano, veio para o Brasil, segundo contam, no início dos anos 60. Trabalhou como ator e comediante na antiga TV Tupi e também teve seu próprio programa de auditório na TV Cultura, de São Paulo. Também participou de novelas como “Nino, o italianinho” e “Canção para Isabel”. Foi cantor da Rádio Gazeta e como músico gravou dezenas de discos no Brasil. Entre eles temos este de 1968, chamado de “O novo som de Uccio Gaeta”, onde ele desfila um repertório com 27 músicas em pout-pourri, conforme seguem a baixo listadas. Confiram no GTM….
 
no balanço do jequibau – jequibau – gamboa
viola enluarada – um amor sem igual
bom tempo – até segunda feira – lapinha
esta tarde vi llover – habla me
 januaria – areia do mar – serenata teleco-teco
a flor que o tempo guardou – tristeza de amor
inno – l’ultima cosa – você não serve pra mim
melancolia – além da imaginação – você
la tramontana – madame x – samba cha cha cha
vesti azul – malysha – tubon
 
 
.

Batatinha & Cia. Ilimitada (1969)

Boa hora, amigos cultos e ocultos! Neste mês, o Toque Musical está completando 15 anos. Uma data importante e também admirável, pelo fato de estarmos nessa cachaça a todo esse tempo. Ainda vamos falar mais sobre isso nos próximos dias. Por hora, vamos tentar fechar este mês de maneira completa, apesar dos atrasos, tanto nas postagens quanto nos links. 
Temos hoje a brilhante figura do sambista baiano Batatinha. Não vou nem entrar em detalhes, visto que a contracapa já nos dá todas as informações necessárias. E como já disse, para tentar manter o TM diário e atualizado, vou reduzir ainda mais essas resenhas, que tomam tempo e pelo visto, não acrescenta muita coisa para vocês. Afinal, o que a maioria vem fazer aqui é mesmo só pegar a trilha do link para download, não é mesmo? Sigamos…
 
diplomacia / só eu sei
não suje meu caixão
chorinho, fuga ou desengano
vôo a lua
 
 
.

Fafá Lemos – Violino Travesso (1959)

Bom dia a todos, amigos cultos e ocultos! Aqui e mais uma vez temos a presença do violinista Fafá Lemos, em disco pelo selo Odeon, lançado em 1959. O lp traz uma seleção bem variada de sucessos entre samba, fado, bolero, música francesa e ‘standard’ da música americana. Nosso artista, além de dominar seu violino com maestria, também canta e encanta :), fazendo assim deste “Violino Travesso” um agradável momento, para dançantes e outros ouvintes. Confiram…
 
carne de gato
tudo isso é fado
jamais
mon couer est un violon
melodie d’amour
over the rainbow
ora veja só
auf wiedersehn, my dear
samba pizzicatto
darling je vous aime beaucoup
 
 
.

Trio Irakitan – Mais Sambas Que Gostamos De Cantar (1961)

Boa hora, amigos cultos e ocultos! Aqui mais um, ‘prata da casa’, com o dizem… Temos hoje e mais uma vez, o delicioso Trio Irakitan, grupo que tem entre nós uma legião de fãs. Já postamos vários discos deles e agora trazemos mais um, o  “Mais sambas que gostamos de cantar”, uma continuação de discos anteriores onde o repertório era todo de sambas. Aqui, mais uma vez, eles nos trazem essa série que tem Noel Rosa, Assis Valente, Benedito Lacerda e muitos outros… Figurinha bem comum, mas sempre apreciada. Confiram no GTM.
 
maria boa
rosa maria
juracy
o sol nasceu pra todos
enlouqueci
helena vem me buscar
emilia
despedida de mangueira
abrea janela
não me diga adeus
século do progresso
 
.

Roberto Sion – Happy Hour (1986)

Olá, amigos cultos e ocultos! Hoje vamos de música instrumental. Tenho para vocês Roberto Sion, saxofonista, flautista, clarinetista, arranjador, compositor, maestro e professor de música. Um músico talentoso cuja carreira se inicia nos anos 70, como arranjador para instrumentos e para grandes orquestras. Formado em Berklee, nos Estados Unidos, onde estudou saxofone. Esteve presente nos três primeiros álbuns do quinteto instrumental Pau Brasil. Aqui temos dele o lp Happy Hour, lançado em 1986, pelo selo Estúdio Eldorado. Como podemos ver pela contracapa, neste lp Roberto Sion nos apresenta dez temas, nacionais e internacionais, verdadeiros clássicos da música popular, entre jazz, samba e latin… Um repertório escolhido a dedo para o ‘uisquinho’ de fim de tarde, começo de noite…
 
yesterday / bridge over trouble water
the way we were
we’ll be to together again
just one of those things
coisa mais linda
besame mucho
the shadow of your smile
time after time
o dia que você gostar de mim
you do something to me
 
 
.