ATENÇÃO!

Destacado

PARA SE ASSOCIAR AO NOSSO GRUPO, O GTM, E PODER ACESSAR OS ARQUIVOS DESSAS POSTAGENS O INTERESSADO DEVE FAZER A SUA SOLICITAÇÃO FORMAL, ATRAVÉS DAS ORIENTAÇÕES QUE SE ENCONTRAM NOS TEXTOS LATERAIS. OS LINKS PARA DOWNLOAD ESTÃO NO GTM E FICAM ATIVOS POR UM TEMPO LIMITADO. NÃO HÁ MAIS REPOSIÇÃO DE LINKS POR SOLICITAÇÃO. POR ISSO, É BOM ACOMPANHAR SEMPRE AS POSTAGENS, POIS O TEMPO PASSA E A FILA ANDA. MAIORES INFORMAÇÕES, ENTRE EM CONTATO: toquelinkmusical@gmail.com

https://www.instagram.com/augustoque/

Tita Lobo – L’ Incomparable Tita (1969) 

Nosso encontro hoje é com Tita, Tita Lobo, Maria de Lourdes Gusmão Lobo, cantora, compositora e violonista. Iniciou sua carreira nos anos 60 quando foi morar no Rio de Janeiro, fazendo parte dos movimentos da Bossa Nova. Gravou seu primeiro disco pela Philips, em 1964. Ainda nessa década passou uma temporada na Europa se juntando ao contrabaixista Edson Lobo, do Trio Câmara. Foi lá, na França, que gravou este lp acompanhada do Trio Camara. Trabalho autoral e da melhor qualidade.
 
miss universo
livro lido
anjo
trapezista
zefa
um motivo de ser
beatriz
parafuso
não faz mal
livro em branco
vejo a tarde cair
quebra mar
 
 
.
 

 

 

Juventude Em Guarda (1967) 

Seguindo em nossas postagens, aqui mais um lp interessante, editado Copacabana em 1967. Uma coletânea de lançamentos em compactos, aqueles disquinhos de sete polegadas muito comuns no auge do disco de vinil. A Copacabana, assim como todas as grandes gravadoras, investiam no disco compacto como forma de pré-lançamentos e de apresentação de um artista. A forma certa de levar ao público suas novidades. Neste lp temos reunidos cinco conjuntos da fase Jovem Guarda: The Jordans, Os Aranhas, The Jet’s ,The Clevers e The Fellows, todos com seus compactos, como se pode ver na contracapa do disco, lançados talvez naquele mesmo ano de 1967. Uma bela amostragem dos grupos jovens do ‘cast’ da gravadora. É nessa hora que a gente vê que num lp de 12 polegadas se pode ter até seis compactos. 😁
 
winds of barcelona – the jet’s
marionetters – the jordans
porque você não vem – the clevers
snobou – the fellows
susie q – the jordans
brotinho não se iluda – os aranhas
toda noite sonho – os aranhas
la la la – the clevers
cadillac – the jordans
resposta do céu – the follows
vivo só – the jet’s
não quero mais te amar – the clevers
 
 
.
 
 

Celly Campello – Os Grandes Sucessos De Celly Campello (1962)

Novamente Celly Campello, aqui em seu último disco, no auge da fama, se afasta da carreira de artista para se tornar o sonho de toda mulher naquele tempo, casada. E lá foi ela, aos 20 anos de idade se casar, encerrando assim, ou pelo menos por um bom tempo, a carreira de cantora. Este lp reúne alguns de seus maiores sucessos. É, sem dúvida, um excelente resumo de seus grandes sucessos.
 
belo rapaz
estupido cupido
túnel do amor
lacinhos cor de rosa
billy
banho de lua
mal-me-quer
broto legal
trem do amor
hey mama
teddy
gosto de você meu bem
 
 
 
 
 
.

Tito Romero – Sucessos Brasileiros Em Ritmo De Tango (1959)

Mais uma boa curiosidade musical… “Sucessos brasileiros em ritmo de tango” Neste lp da Polydor, de 1959, temos Tito Romero, um pseudônimo para o sempre atuante, Britinho em um trabalho voltado para o tango. Conforme se lê pelo título, são sucessos da música brasileira interpretados em ritmo de tango. Assim, temos Britinho/Tito Moreno com orquestra típica, numa série com 12 músicas brasileiras, sucessos da época em ritmo de tango.
 
vai ver que é
sombras
luar de paquetá
incerteza
hey de querer-te sempre
um tango, uma saudade
vem me buscar
aperta-me em teus braços
mentindo
teu juramento
foi mentira
 
 
.

Tony E Celly Campello (1976)

Aqui um lp lançado em 1976, pela Continetal, trazendo os irmãos Tony e Celly Campello, dois grandes representantes da música jovem no início dos anos 60. Neste trabalho, eles estão de volta, cada qual em um lado do do disco interpretando sucessos pops internacionais em versões para o português.
 
ta-hi
help vem me ajudar
deixa estar como esta
estou bem
mar de rosas
oh! mama
banana com açucar
não acredito
doce olhar
a cigana
uma vai, outra vem
não deixe mais
 
 

Os Incríveis (1981)

Temos desta vez Os Incríveis, banda das mais famosas e pioneiras na cena rock brasileira. Já postamos outros discos deles aqui no Toque Musical e agora vamos com este, um lançamento RCA registrando um dos retornos do grupo no início da década de 80. Um trabalho pouco expressivo. Parece mais esses discos para cumprir contrato. Mas tá valendo…
 
voa passarinho voa
seu sol
terror dos namorados
fado e vinho
brasil acima de tudo
pai de deus
declaro paz
quando amanhecer
pressa
 
 
.

Ronaldo Lark – O Piston Quente De Ronaldo Lark (1969)

Como uma coisa leva a outra, seguimos agora trazendo Ronaldo Lark, músico instrumentista, pistonista integrante do conjunto Os Versáteis. Após o final do grupo, Ronaldo Lark partiu para uma carreira solo, se destacando como um grandes instrumentistas de sua época. Gravou alguns discos solo e também acompanhou diversos outros artistas da música popular.  Aqui temos seu primeiro lp lançado pela Odeon, em 1969. 
 
barbarella
hang’em high
soulful strut
alegria de você voltar
nosso recanto
ce grand bateau
baby baby
grazing in the  grass
scarbourgh fair
moment to moment
bug eyes
tema de minha solidão
 
.


 

Conjunto Do Copacabana (Moacyr Silva E Seu Conjunto) E Cópia E Seu Conjunto – Meia Noite No Meia Noite (1959)

Temos no disco de hoje uma amostra do que rolava de música na boate Meia Noite, do Copacabana Palace. Espaço requintado por onde passaram grandes nomes, nacionais e internacionais. Também era palco para programas da Rádio Nacional. Neste lp da Todamerica temos dois momentos, começando com o saxofonista Moacyr Silva e seu conjunto do lado A e no B, Cópia e seu conjunto, na clarineta e sax. Temos também como curiosidade a presença da cantora Claudia Barroso ainda em início de carreira. Uma seleção de repertório misto, com musicas nacionais e internacionais.
 
my funny valentine – moacyr silva e seu conjunto
portrait of jennie – moacyr silva e seu conjunto
tangerine – moacyr silva e seu conjunto
recado de olinda – moacyr silva e seu conjunto
encontrei minha amada – moacyr silva e seu conjunto
apito no samba – moacyr silva e seu conjunto
unforgettable – cópia e seu conjunto
believe in love – cópia e seu conjunto
what is this thing called love – cópia e seu conjunto
não adianta chorar – cópia e seu conjunto
flamengo – cópia e seu conjunto
pé no jacá – cópia e seu conjunto
 
 
.
 

Conjunto De Vadinho – Scarambone – Fim De Festa Em Hi-Fi (1961)

Aqui, um lp do selo Carroussell, lançado em 1961. Trazendo dois grandes instrumentistas, o pianista José Scarambone e o guitarrista Vadinho, acompanhados por um conjunto de excelentes músicos da noite. Por sinal, é da noite, do fim de noite que este disco fala e que a gente escuta. Uma seleção que cai muito bem na madrugada, tocando baixinho… faz bem…
 
marcha da laranja
beliscando
siga
cheiro de saudade
ninguém é de ninguém
quando você quiser
promenade
chuá chuá
canção de amor
perdoa-me pelo bem que te quero
quero alguém ao meu lado
dorinha
jura 
até amanhã
 
 

Garotas E Rock (1959)

Com o estouro do rock pelo mundo, nos anos 50. Aqui no Brasil também foram criados os artistas e conjuntos para fortalecerem o sucesso, o empreendimento e a onda do novo gênero musical. A RCA Victor viria a ser uma das primeiras gravadoras a investir no rock, formando, inclusive seu ‘cast’ com cantores e músicos. Aqui temos um lp, disco raro, uma seleção de jovens talentos que a gravadora produziu, trazendo temas, hoje clássicos. Disco realmente interessante para se ouvir e conhecer um pouco mais sobre os pioneiros do rock tupiniquim.
 
johnny kiss – elza ribeiro
banjo boy – carla baroni
quero outra noite sonhar – leo vaz
rock around the clock – the selvis
caravelas corloridas – katya castelar
conversa ao telefone – elza ribeiro
biologia – elsa ribeiro
não há lugar – carla baroni
minha serra – victor rafael
starway to heaven – the selvis
cedo demais – carlos roberto
banho de lua – elza ribeiro
 
 
.

Britinho – Os Dez Maiores Sambas (1956)

Mais uma vez temos aqui o piano de Britinho em um disco muito interessante que não poderia faltar em nosso Toque Musical. “Os Dez Maiores Sambas” é fruto de uma enquete criada pela imprensa nos anos 50 para a seleção dos dez maiores sambas de todos os tempos, até aquela época. Segundo nos conta o texto de contracapa do nosso lp, as dez músicas escolhidas foram motivo para o lançamento do disco pela Sinter, trazendo o admirável pianista João Leal Brito (Britinho) na condução dos sambas selecionados.
 
implorar
na baixa do sapateiro
ai que saudade da amélia
não tem solução
pois é
aquarela do brasil
feitio de oração
risque
jura
feitiço da vila
 
 
.  

The Skeltons – O Baile Do Terror (1964)

Mais uma boa curiosidade, “O Baile do Terror”, com os The Skeltons. Só pela capa a gente já fica com vontade de ouvir (ou não). Eis aqui um lançamento para embalar os jovens dos anos 60. Assim como fazia a RCA Victor lançando discos com  artistas criados para determinadas produções, a Philips também e aqui temos um bom exemplo. The Skeltons foi um nome criado para personificar essa produção fonográfica voltada para um público jovem. Uma seleção de temas de sucesso da música internacional em versões de rock. O disco é inteiramente instrumental com playbeck de vozes, risadas de terror e falas no meio das músicas que criam uma atmosfera de uma festa, como algo gravado ao vivo. O resultado é um disco alegre e divertido.
 
terror 
funiculi-funiculá
baby elefant walk
il tangaccio
frenesi
the skeltons dance
domiique
little brown jug
when the saints ogo marching in
la raspa holly gully
rhtthm of the rain
america
 
 
.

The Selvis – É Hora De Rock’N’Roll (1959) 

Mais uma curiosidade musical para o nosso costumeiro toque 🙂 Temos desta vez um lp lançado no final dos anos 50 pela RCA Victor, “É hora de rock’n’roll”. The Selvis é o nome do suposto grupo que na verdade era um conjunto de estúdio da gravadora e segundo contam trazia o saxofonista Bolão. A RCA Victor chegou a lançar mais um ou dois discos de rock usando este nome, o sugestivo The Selvis.  
Aqui desfilam doze grandes sucesso dos primeiros rock’n’roll em uma brilhante e empolgante interpretação do The Selvis 
 
jailhouse rock
personality
long tail sally
love me tender
i need your love tonight
oh carol
stupid cupid
tutti frutti
ready teddy
a big hunk o love
king creole
i go ape
 
 
.

The Jet Black’s E Edmundo Cortes – Temas De Sempre Na Música Jovem (1967) 

Seguimos com este raro e curioso lp lançado pelo selo Chantecler, trazendo o conjunto The Jet Black’s  e o maestro Edmundo Villani Côrtes. Um encontro realmente curioso que buscava reunir sucessos da música (internacional) de diferentes épocas interpretadas numa roupagem moderna. Arranjos e piano de Villani conduzem os experientes rapazes do Jet Black’s. Um trabalho que vale a pena conhecer, instrumental, bem anos 60 🙂
 
wonderfull
alexander ragtime band
that’s my baby
it had to be you
whispering showberger
deep purple
make the knife
the sheik of araby
when the saints of marchin in
at sundown
like someone in love
i can’t give you anything but love
 
 
.

Os Versáteis – Showpp Vol. 2 (1968)

Há tempos atrás chegamos a postar aqui um disco dos Versáteis e também uma coletânea exclusiva. Naqueles momento ainda não havia informações disponíveis sobre o grupo na Internet, mas o tempo e as informações se cruzam e chegam rápido. Os Versáteis era um grupo paulista, vindo de Guarulhos, formado na segunda metade dos anos 60. Era um grupo instrumental que passeava por diferentes gêneros da música pop daquela época. Animavam bailes e também tocavam na noite. Se destacaram numa das famosas boates de São Paulo, o Urso Branco, do empresário Abelardo Figueiredo. Gravaram uns quatro discos. Também tocaram ao lado de Tom Zé como banda de apoio em seu primeiro disco, “Grande Liquidação”. O grupo porém teve problemas com a Censura e durante o período da ditadura, foram boicotados, chegaram, inclusive a serem presos. Por conta da pressão, Os Versáteis chegaram ao fim um ano depois de lançarem este disco.
 
eu te darei o céu
yesterday
mr. yunioshi
tema para jovens enamorados
será você
and i love her
no ripley
rejeitada
till there was you
the village inn
just for tonight
plus je tentends
ti ringrazio perche
il mio mondo
o morro não tem vez
tristeza
 
 

Os Impossíveis – Pingando De Bom (1967)

Seguindo nossa mostra, hoje vamos com um grupo musical pop dos anos 60, Os Impossíveis. Conjunto um tanto obscuro lançado pelo selo mineiro MGL que já nesta época também lançava discos com o selo Paladium. Pelo repertório e estilo Jovem Guarda podemos acreditar que Os Impossíveis eram na verdade o grupo The Jungle Cats, que faziam muito sucesso na capital mineira, em bailes e programas de auditório da antiga TV Itacolomi. Aqui neste lp temos a música “Vai”, de Carlos Greco que era da banda The Jungle Cats em uma outra gravação, um pouco mais lenta, mas que sugere ser o mesmo conjunto. Porém, como nessa época a coisa era bem bagunçada pelas gravadoras, em especial a MGL/Paladium, é provável também que Os Impossíveis seja um nome fictício e que na verdade sejam vários outros grupos que faziam parte da cena Brasa 4, um programa jovem da televisão belorizontina. Mistérios… Mas nessas suposições vamos, errados ou certos, pontuando as obscuridades fonomusicais brasileiras. Aos poucos novas informações vão chegando e a gente vai acertando.. 😉
 
gatinha manhosa
você fala demais
tonight
vai
tema para jovens namorados
secret age man
eu não sabia que voceê existia
tema de lara
o bom rapaz
dolar furado
meu bem não me quer
unchained melody
 
 
.

Conjunto Dos Anjos – Dançando Com Os Anjos (1962)

Aqui uma outra raridade vinda também do início dos anos 60, Conjunto ds Anjos, conjunto instrumental, aparentemente vindo do Paraná. Das poucas informações que encontramos, foi que este grupo musical atuava nas cidades de Sorriso e Maringá, ainda nos anos 50, por certo animando bailes e festas. Consta que tinham uma legião de fãs e talvez por conta dessa fama acabaram conseguindo projeção, vindo a gravar este lp. O conjunto se chamava antes, Anjos da Lua e acabaram adotando o nome de Conjunto dos Anjos. Creio que na época já havia outro grupo com o nome de Os Anjos. Segundo consta, também acompanharam cantores, com  Nelson Gonçalves, em shows nessas cidades paranaenses.
“Dançando com Os Anjos” é um disco com um repertório misto, contemplando um variado leque de músicas que faziam sucesso naquela época, ou seja de bolero, samba, bossa nova e rock. Um bom disco para se ouvir, músicos competentes., com certeza. Não se sabe ao certo a data de lançamento deste lp, mas tudo leva crer que seja de 1962, ou 63.
 
mambo rock
cansei de rock
o barquinho
fiz o bobão
discussão
balada de bat masterson
over the rainbow
ansiedad
noche de ronda
moonlight fiesta
obcessão
sole mio
.
 

Sônia Delfino – Alô Broto Nº2 (1962)

Já postamos aqui um disco da Sonia Delfino, cantora talentosa que era uma versão mais madura da Celly Campello. Digo madura, porque Sonia cantava a música jovem, mas também não poupava sua voz para outros gêneros e ainda assim pode ser considera uma das precursoras do rock no Brasil. “Alô Broto” surgiu no início dos anos 60 e teve muito sucesso, o que fez a gravadora lançar este outro, o número 2. Um disco que também trazia não somente o estilo americano, mas também um pouco da então moderna bossa nova. Seus discos hoje em dia são difíceis de encontrar, embora quase tudo pode ser ouvido no Youtube. Aqui então, no Toque Musical, completo e com direito ao pacote completo, com capa, contracapa e selos. Mas isso é para quem está associado ao nosso grupo, o GTM 🙂
 
joãozinho e mariazinha
noiye para amar
jogado fora
bambina mia
a bola
manequim
o barquinho
emoção
bossa nova nº2
nós dois e o luar
manhã de sol
pouca duração
 
 
 
 

Bolinha Cidoca E Suely – Quando A Lua Brilha No Céu Do Sertão (1960)

Ainda não é junho e nem época de quadrinha (no bom sentido) e embora a capa, este não é exatamente um disco temático, mas atende bem aos anseios do antigo popular rural/sertanejo. Aqui temos um trio formado no final dos anos 50 pelo cantor e compositor Euclides Pereira Rangel, mais conhecido como Bolinha, que fez parte do Trio Mineiro, um dos importantes grupos sertanejos daquela época. Gravou dezenas de discos em 78 rpm. Bolinha montou um novo trio com duas vozes femininas, Aparecida Silvério (a Cidoca) e Suely Barreto com as quais passou a se apresentar na Rádio Tupi. Não demorou muito para logo estarem gravando diversas bolachas de 78 pela Odeon. Foi também por essa gravadora que lançaram em 1960 este lp que agora apresentamos. 
 
a boneca chorou
a menina
reinado de bonecas
empregando artista
você mentiu
meu sertão
conveniência
andarilho
meu castigo
criança crescida
teu bilhete
40 janeiros
 
 

Bola Sete – The Solo Guitar Of Bola Sete (1965)

Mais uma vez, presente aqui o grande e internacional Bola Sete. Atendendo a pedidos, desta vez trazemos “Choros and Preludes”, lp lançado em 1965 pelo selo americano Fantasy.. Mais um excelente disco deste instrumentista brasileiro que ganhou fama e destaque nos Estados Unidos. Neste disco ele executa diversos temas no violão, principalmente de Villa-Lobos Vale uma conferida.
 
prelude 1
spanish dance 5
prelude 3
prelude 4
prelude 5
choro 1
choro da saudade
brasiliance
sons of carrilhões
flamenco fantasy
 
 

Eduardo E Seus Menestréis – Avanço Jovem (1968)

Aqui, mais uma raridade que desperta interesse de muitos colecionadores, principalmente dos apaixonados pelo rock brazuca e pela Jovem Guarda. Lançado no final dos anos 60 pela Codil através do obscuro selo Avanço, temos o conjunto pop, Eduardo e Seus Menestréis, grupo que se formou em programa de auditório da televisão nos tempos da Jovem Guarda. Tinha como líder, Eduardo Assad, músico de formação clássica que por um período se dedicou a música pop. Era o pianista do Ronnie Von em seu programa e também fazia parte do conjunto de ‘ie-ie-ie’, que acabou entrando na onda pop do momento lançado este único lp. Assad seguiria sua carreira como músico, arranjador e diretor artístico da Rádio América, de São Paulo. Gravou alguns discos instrumentais e temáticos. Faleceu ainda novo, aos 40 anos. Já postamos dele, aqui, outros discos que também podem ser conferidos e talvez até baixados no GTM. 
 
e tudo vai terminar
aquarela do brasil
canzone per te
marcha turca
marina
vestidinho
a chuva que cai
feitiço da vila
você menina
tema jovem
arranje outro namorado
arranjuez mon amour
 
 
.

Ary Fontoura E Odelair Rodrigues – Os Versáteis (1964)

Começando mais um mês de postagem, abril, abrimos as cortinas do nosso palco para os atores, Ary Fontoura e Odelair Rodrigues, figuras que ainda hoje estão presentes em nossa memória, principalmente o Ary, ator ‘global’ que protagonizou diversos personagens de novelas. 
Como cabe sempre ao nosso Toque Musical, aqui postamos todo tipo de curiosidades fonográficas. E hoje temos este lp lançado pelo selo Copacabana, em 1964, onde os dois atores nos apresentam diferentes quadros humorísticos e musicais, coisa bem comum naqueles tempos onde as gravadoras também investiam nesses gêneros. Aliás, as gravações fonográficas também se prestavam a isso, além da música, se vendia em discos humor, histórias, poesia, política e até curso de línguas. Afinal, o disco era então um dos melhores suportes de comunicação, chegando inclusive onde nem o rádio ou a televisão conseguiam chegar. Bastava existir um toca-discos. Hoje a coisa não é mais assim e em disco só se houve música, o suporte clássico que voltou a brilhar.
Mas eis, então, nossa curiosidade, coisa que só teremos a oportunidade de ver, ouvir e conhecer na íntegra em espaços como aqui. Este lp já foi postado em outras ‘praças’ e por certo, não poderia faltar também no Toque Musical. A contracapa do disco já traz todas as informações complementares e ainda assim, se for pouco, basta dar uma ‘googada’ que resto chega até vocês 😉
 
abertura (com orquestra)
traillers
superstição
piadas
deputado
dr. pomposo
conselho da vovó
não importa
discussão
enigma
tudo pra mim é você
mais uma valsa, mais uma saudade
 
 
 
 

Britinho E Seus Azes Do Ritmo – Dançando Em Hi-Fi (1960)

Enfim, agora, fechando de fato o mês, seguimos nesta postagem trazendo o grande, Leal Brito, também conhecido como “Britinho”, pianista e ‘bandleader’ de mão cheia, acompanhado pelo seu conjunto Azes do Ritmo, em disco lançado pelo selo Columbia, em 1960. Disco moderno, ‘hi-fi’, trazendo uma seleção de primeira com temas nacionais e internacionais, que vale a pena recordar. Confiram..
 
teleco-teco nº2
não quero não
sabes mentir
balada da saudade
marina
carina
adão e eva
mustafá
o amor e a rosa
deixa
serenata suburbana
kriminal tango
 
 
.

Convite Para Dançar Vol. 1 (1956)

Quase fechando o mês, segue aqui uma coletânea da Musidisc lançada em 1956 em lp de 12 polegadas trazendo alguns dos artistas de seu ‘cast’. São faixas extraídas de discos lançados naquele período pela gravadora de Nilo Sergio. Seleção feita para dançar a dois, como era muito comum naqueles tempos. Vale a pena ouvir…
 
caravan – trio harmônico
prenda minha – ubirajara silva
ay ay ay – trio surdina
musette vienense – trio harmônico
linda flor – rud wharton
meu sonho / me leva – leal brito
carioca – trio harmônico
andré de sapato novo – leal brito
dinamite – trio harmônico
canto karabali – trio surdina
pretend – rud wharton
santa luzia – as três marias e leal brito
 
 
.
 

Conjunto Âmbar – Ritmos Latino-Americanos (1959) 

Vamos desta vez com um disco que chama a atenção já pela capa. Bonita, né? Aqui temos o que foi a segunda produção do selo Arpège, criando pelo músico, ‘bandleader’ e também empresário, o grande Waldir Calmon. Nos anos 50 ele foi também empresário, homem da noite e dono da famosa boate Arpège, onde se apresentava com seu conjunto e também dava espaço para outros cantores e grupos. Entre esses, havia o Conjunto Ambar formado por músicos vindos do Uruguai. Naquela época os ritmos latinos, boleros, mambos, merengues e outros eram a ‘coqueluche’ do momento e na boate Arpège faziam muito sucesso. Waldir Calmon também tinha um selo e chegou a lançar vários discos por sua etiqueta que também chamava Arpège. Este, como disse, foi o segundo disco lançado pelo selo. Vale a pena conhecer…
 
la empaliza
ave maria lola
apambichao
my little one
pecadora
el montuno favorito
balada triste
la barca
loca ilusion
noche de ronda
duerme
quizas.. quizas… quizas…
 
 
.

 

Black-Out Com Conjunto (1956)

Hoje vamos com o “General da Banda”, outro apelido para Otávio Henrique de Oliveira também conhecido por “Black-Out”, ‘Blackout” e “Blecaute”, derivações que foram surgindo ao longo da carreira e dos discos deste lendário cantor e compositor que gravou dezenas de discos entre bolachas de 10 polegadas com duas músicas até lps de 10 e 12 polegadas. Teve uma sólida carreira, atuando dos anos 40 até os anos 70. Gravou muitos sambas, boleros, toadas e músicas carnavalescas. Aqui temos dele um dos seus primeiros lps de 10″, trazendo oito músicas originalmente lançadas em bolachas do selo Copacabana, em 1956. 
 
agarradinho
minha senhora
que será
cabrocha
vou me embora sá dona
linguagem do povo
use a cabeça
caridade
 
 
.

Francisco Petrônio E Conjunto Época De Ouro (1976)

Olá! Seguindo em nossas postagens, hoje vamos atendendo a uma solicitação que há muito nos foi feita. Embora seja um disco relativamente fácil de encontrar, principalmente no Youtube, aqui ele segue na sua integralidade. Tem gente que quer não só o conteúdo, mas também o invólucro e aqui procuramos trazer o pacote completo 🙂
Então, temos o cantor Francisco Petrônio acompanhado pelo Conjunto Época de Ouro. E como o título mesmo nos apresenta, trata-se de um disco de serestas. Uma série de clássicos que todo seresteiro conhece. Este é o volume 1, lançado em 1976 pelo selo Continental. Francisco Petrônio foi um interprete das serestas, um estilo que ele assumiu com toda a pompa e estilo. Antes, no início de carreira ele cantava era os boleros. Já postamos aqui outros discos com ele, acompanhado do grande violonista Dilermando Reis. Mas esse momento com o Época de Ouro é memorável. Para os que não conhece, fica a dica…
 
aos pés da cruz
fita amarela
feitio de oração
errei, erramos
braza
felicidade
meu romance
amigo leal foi ela
favela
serra da boa esperança
 
 

Brasa Seis – Som Quente (1968)

Diante a ‘falência’ dos mais consagrados blogs musicais, o Toque Musical que também é um pioneiro e talvez um dos únicos a se manter fiel ao seu propósito, segue trazendo de volta discos que foram postados por esses há tempos, dando assim a oportunidade aos ‘órfãos’, aos que não tiveram tempo de conhecer, ouvir e baixar essas raridades. E nessa, aqui temos mais um disquinho que merece o nosso toque, “Brasa Seis – Som Quente”, lp lançado em 1969 pela Riosom e seu selo Hot. Trata-se, como se pode ler no texto de contracapa, de um conjunto formado Ceará, que venceu um festival de música jovem e teve como prêmio uma viagem para o Rio de Janeiro e um contrato para gravar este disco, que realmente é bem legal. 
 
swing safari
jogo de futebol
afro cearense
tema 6
é uma brasa
como é que é
le bruit des vagues
flint
hello i love you (telefonema)
dolar furado
loucura de você
garota linda
 
 
.
 

Peter Thomas E Seu Conjunto – O Novo Som Espetacular (1965)

Olha aí, aqui vai outro ‘disquinho’ bacana, uma boa raridade que agrada em cheio, Peter Thomas e seu conjunto. Segundo o Dicionário Cravo Albin da MPB, Peter Thomas era o nome artístico do músico carioca Pedro Thomás, compositor e instrumentista do acordeom, órgão e outros teclados. Formou seu conjunto no início dos anos 60, um octeto onde integrava um time de músicos de qualidade. O grupo fez um relativo sucesso se apresentando principalmente na televisão. Também consta que se apresentaram em bailes e boates. Ao que tudo indica, gravaram apenas três lps, sendo este, “O novo som espetacular” seu disco de estreia, lançado em 1965 pelo selo Fantasia. Acredito também que tenha sido este um dos diversos conjuntos que gravaram ou tiveram seus fonogramas usados por editoras como a Codil, em outros lançamentos, com outros nomes e também em outras pequenas gravadoras nos anos 60. Este primeiro lançamento é, sem dúvida, o trabalho mais interessante, original e com um repertório que vale a pena ouvir e conhecer… Disco raro!
 
dá bola
na paz do seu olhar
bicho
primavera
pé duro
garota moderna
sax samba
camarada ê
você
tião
pobre joão
megeve
 
 
.

Conjunto Sergio Carvalho – Alta Tensão (1967)

No rastro dos discos raros e muito procurados, aqui vai um dos mais interessantes, o “Alta tensão”, lp que se não estou muito enganado foi o segundo disco gravado por este músico carioca, Sérgio Carvalho e seu conjunto. Pouquíssimas ou quase nada há de informação sobre ele. Infelizmente, ficou esquecido nos anos 60 assim como tantos outros artistas e seus discos, hoje raridades que os colecionadores amam. Sérgio Carvalho começou novo, ainda com 15 anos, tocando nos subúrbios do Rio de Janeiro, em boates e gafieiras. Seu instrumento era o cavaquinho, mas ao longo do tempo foi ganhando experiência musical, se tornando um músico de verdade. Passou para o piano e teclados, se tornou além de compositor, arranjador de grande talento, indo assim tocar em outras e melhores ‘praças’ do Rio. Se destacou com um repertório equilibrado e competente, o que o  levou ao disco em 1964, gravando seu primeiro lp pelo selo Continental. Novamente, ele só aparece em 67, neste disco lançado pelo selo Equipe, de Oswaldo Cadaxo, quando a gravadora então completava dois anos de atividades. Neste disco temos um repertório mais pop, mesclando música nacional e internacional, porém numa escolha musical de qualidade e também de personalidade, oque garante ser este um excelente lp.
 
vila rica
festa em san juan
são marcos
balaio
solitário vem quente que eu estou fervendo
jardineira / trevo de quatro folhas
saint victus dance
a saudade mata a gente
garota do carnaval
sunny
days of wine and roses