Os Populares (1969)

A alegria do reencontro. É o que o TM proporciona hoje a seus amigos cultos, ocultos e associados, ao fazer o “repost” de um dos álbuns do conjunto Os Populares.  O grupo vocal-instrumental foi formado em 1967, ainda no auge da Jovem Guarda, tendo como líder e guitarrista-solo o excelente Júlio César, dissidente de outro conjunto famoso na época, The Pop’s. A ele juntaram-se Paulo Sérgio (guitarra rítmica), vindo do conjunto Os Aranhas, João Carlos (baixo elétrico), ex-Os Bárbaros, Pedrinho (bateria), vindo dos Youngsters, e Carlinhos (teclados). Em princípio, o grupo tinha um estilo basicamente instrumental, com solos de guitarra e órgão, bem na linha “conjunto de beira de piscina e bailes”. A estreia em disco deu-se através de um compacto com músicas de Natal, hoje muito raro. Os Populares apresentaram-se em diversos programas de rádio e TV divulgando seus trabalhos, entre eles o “Rio Jovem Guarda”, “Festa do Bolinha” (ambos da TV Rio), “Tevefone” (Globo), “AP show”, de Aérton Perlingeiro (Tupi) e “Euclides Duarte” (TV Continental). Com apuradíssima qualidade técnica, os álbuns dos Populares obtiveram excelente vendagem. Os quatro primeiros LPs do grupo saíram pela RCA, hoje Sony Music, compostos não apenas de releituras de hits da ocasião, como também apresentando  músicas de autoria do próprio guitarrista-líder, Júlio César, por sinal um dos melhores do Brasil. Em 1971, eles passaram a gravar na Polydor/Philips, hoje Universal Music, só que com execuções em que predominavam os vocais. O grupo se desfez em 1978. Pois hoje o TM traz de volta o quarto álbum dos Populares, e o último que fizeram para a RCA, lançado em 1969. E num clima bem de festa mesmo, a partir da primeira faixa, “Aniversário de casamento”, de Ivanovici (erroneamente creditada a Lourival Faissal, que na verdade fez a versão em português que Carlos Galhardo gravou em 1950). Outro destaque fica por conta da “Canção da criança”, um dos derradeiros sucessos de Francisco Alves, lançado pouco depois de sua morte em desastre rodoviário, em 1952. A estas, juntam-se músicas de cunho tradicional (“Lenda do beijo”, “Ai, mouraria”), hits da ocasião (“Não há dinheiro que pague”, de Roberto Carlos, “Obladi oblada”, dos Beatles,” Ferry ‘cross the Mersey”, de Gerry and The Pacemakers, “Toi toi toi”), e um medley com as belas marchas-rancho “Estrela do mar” e “Pastorinhas”, além de dois trabalhos autorais  do próprio Júlio César, “Mara” e “Balançando”.  Tudo naquele ritmo jovem e vibrante que caracterizava essa época, com o Júlio César dando aquele “banho” característico nos solos de guitarra. Enfim, é com muita alegria que trazemos de volta o quarto LP dos Populares, e com uma resenha bem mais coerente com seu conteúdo, pois da primeira vez repetiu-se a do primeiro álbum, o da “pipoca”, de 1967. Agora está tudo certo, felizmente…

aniversário de casamento
toi toi
canção da criança
não há dinheiro que pague
estrela do mar
obla di obla dá
atravessando o rio mersey
lenda do beijo
ai mouraria
mara
balançando

*Texto de Samuel Machado Filho

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Deixe uma resposta