Anastácia – 30 Anos De Forró (1985)

Um dos maiores nomes da música regional nordestina é posto em foco hoje no TM. Estamos falando de Anastácia, na pia batismal Lucinete Ferreira. Ela é pernambucana do Recife, onde nasceu no dia 30 de maio de 1941. E foi muito cedo, aos sete anos de idade, que surgiu seu interesse pela música, acompanhando um cantador de cocos no bairro de Macaxeira, onde residia. Iniciou sua carreira artística em 1954, cantando na Rádio Jornal do Commércio, de seu Recife natal, cujo slogan era “Pernambuco falando para o mundo”. Seu repertório compunha-se, basicamente, de músicas que faziam sucesso no Sul do Brasil, inclusive hits da então rainha do rock nacional, Celly Campello. Em 1960, Anastácia transfere-se para São Paulo, e passa a interpretar gêneros nordestinos.  Fez shows pelo interior paulista, participando da “Caravana do peru que fala”, comandada por nada mais nada menos do que Sílvio Santos, apresentando-se em seguida ao lado da dupla Venâncio e Curumba. Um ano mais tarde, em setembro de 1961, é lançado seu primeiro disco, no selo Sertanejo da Chantecler, um 78 rpm com as músicas “Noivado longo” (rancheira) e “Chuliado’ (baião), aparecendo no selo como Lucinete. Mais tarde, por sugestão do cantor e compositor sertanejo Palmeira, então dirigente da Chantecler e, depois, da Continental, muda seu nome artístico para Anastácia. Em 1963, ela tem sua primeira composição gravada, “Conselho de amigo”, de parceria com Italúcia, na voz de Noite Ilustrada. Em 1965, lança seu primeiro LP, pela Continental, “Anastácia no forró”.  Seguem-se mais três álbuns nessa marca, que obtêm sucesso especialmente no Nordeste. Daí por diante, Anastácia não parou mais… Em meados dos anos 60, num programa que Luiz Gonzaga apresentava na extinta TV Continental, do Rio de Janeiro, ela conheceu Dominguinhos, com quem se casou, participou de uma caravana artística ao lado de Gonzagão e fez uma parceria musical que resultou em mais de 50 músicas, entre elas sucessos como “De amor eu morrerei”, “Eu só quero um xodó” (maior hit autoral da dupla, popularizado por Gilberto Gil e merecedor de inúmeras regravações), “O bom tocador” e “Contrato de separação”. É também autora, sem parceiro, de um dos maiores sucessos de Ângela Maria, “Amor que não presta não serve pra mim”, de 1973. Com mais de trinta álbuns gravados, Anastácia continua sendo um dos maiores nomes do forró. Teve também músicas gravadas por Nana Caymmi, Jane Duboc , Dóris Monteiro, José Augusto, Cláudia Barroso, e pelos internacionais Paul Mauriat, Timmy Thomas e Ornella Vanoni.  Da vasta bagagem fonográfica de Anastácia, o TM hoje oferece, a seus amigos cultos, ocultos e associados, “30 anos de forró”,  lançado em 1985 pela Continental. Evidentemente, a produção é caprichada, com arranjos a cargo da própria Anastácia, Osvaldinho do Acordeom e Gino Vicente, e convidados muito especiais: Gilberto Gil (que com ela revive “Eu só quero um xodó”, logo na faixa de abertura) e Belchior (que canta com ela o clássico ‘Vozes da seca”, de Gonzagão e Zé Dantas).  No restante do programa, composições da própria Anastácia em parceria com Dominguinhos (“Sanfoneiro de pé de serra”, “Que diabo tem você?”), Zé Carlos (“Fogueirão do amor”), Zé Lagoa (“Forró dos coroas”), Geraldo Nunes (“Amor na rede”), Hélio Alves (“A hora do frevo”), Ciríaco (“Sorte tirana”), Hélio Andrade (“O toque do Mané”) e, sem parceria, “O sucesso da Zefinha”. Tudo terminando com um animadíssimo pot-pourri de forró, incluindo uma música sua com Dominguinhos, “Tenho sede”. Em suma, um impecável trabalho de Anastácia, no qual ela demonstra todo seu talento como autora e intérprete, firmando-se, com justiça, como uma das mais expressivas estrelas da música regional nordestina. Puxa o fole, maestro!

eu só quero um xodó

fogueirão do amor

sanfoneiro de pé de serra

que diabo tem você

forró dos coroas

vozes da seca

o sucesso da zefinha

amor na rede

a hora do frevo

sorte tirana

o toque do mané

pot pourri

*Texto de Samuel Machado Filho

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Deixar uma resposta