Mario Reis E Carlos Galhardo – Relíquias Brasileiras (1986)

Olá, amigos cultos e ocultos! Chegamos a mais uma sexta independente, trazendo o lado alternativo do universo musical e fonográfico. Temos para hoje o lp “Relíquias Brasileiras, Volume 7”, um álbum realizado de forma independente por uma produtora mineira, com o apoio de colecionadores de antigas bolachas de 78 rpm. Conforme a informação do texto na contracapa, este é mais um volume da coleção motivada pelo tradicional programa “Relíquias Brasileiras” da Rádio América (AM 750 khz) de Belo Horizonte. O que me pareceu estranho foi que nunca vi e nem achei nenhum outro volume da série. Não sei explicar a razão do tal volume 7 🙁
Independente de qualquer coisa, o que temos aqui são gravações raras de Mário Reis e Carlos Galhardo. São quatorze faixas onde temos de um lado Mário Reis acompanhado pela Orquestra Diabos do Céu, em gravações originais que vão de 1933 a 35. Do outro, temos Carlos Galhardo, também acompanhado pela Orquestra Diabos do Céu e Orquestra Victor Brasileira entre os anos de 1937 a 39. Completa a relação com a música “Ré misteriosa”, de 1947, onde Galhardo vem acompanhado pela Orquestra do Maestro Zacarias. Taí, uma seleção muito boa e rara que ninguém pode perder 🙂

Mário Reis
agora é cinza
ride palhaço
uma andorinha não faz verão
o sol nasceu para todos
linda mimi
eva querida
rasguei a minha fantasia
Carlos Garlhardo
hó senhora viuva
olá seu nicolau
ré misteriosa
bahiana me dá seu amor
olhei pra você
chega já é demais
linda morena

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

5 thoughts on “Mario Reis E Carlos Galhardo – Relíquias Brasileiras (1986)

  1. A série “Relíquias brasileiras”, baseada no programa de mesmo nome que era apresentado na Rádio América AM de Belo Horizonte pelo radilaista e colecionador Penido Neto, teve mesmo sete volumes: 1 e 2-Orlando Silva. 3-Francisco Alves, Pixinguinha e sua orquestrra Diabos do Céu. 4 e 5-Carnaval de todos os tempos (não confundir com o álbum duplo da Continental com o mesmo título, esses saíram em separado). 6-Orlando Silva e 7-Mário Reis e Carlos Galhardo. Nesate sétimo e último volume da série, foram reunidas apenas músicas carnavalescas. As do lado A, com Mário Reis, são bem conhecidas, e as quatroo primeiras são do carnaval de 1934: o clássico de Bide e Marçal “Agora é cinza” , “Ride, palhaço” (ótima marchinha de Lamartine Babo, inspirada em opereta, gênero que aliás Lalá adorava), “Uma andorinha não faz verão” (marchinha de Lalá com Braguinha, aliás João de Barro) e o samba “O sol nasceu pra todos” (lado B de “Ride, palhaço” no 78 rpm original, creditado apenas a Lamartine mas na verdade feita em parceria com Noel Rosa, segundo depoimento do próprio Mário Reis a João Máximo e Carlos Didier). Completando esse lado, dois clássicos da folia de 1935, as marchinhas “Eva querida” (Benedito Lacerda e Luiz Vassalo, sendo que só este último foi creditado no 78 original) e “Rasguei a minha fantasia” (do grande Lalá). A marchinha “Linda Mimi”, de Braguinha, é do filme “Estudantes” (1935), no qual Mário Reis contracenava com Cármen Miranda, e teria uma continuação também gravada por Mário na Odeon, a famosa “Cadê Mimi?” (“Mimi que fugiu pra Xangai…”). No verso do LP, que coube ao “cantor que dispensa adjetivos”, entraram a marchinha “Ó senhora viúva” e o samba “Olá, seu Nicolau”, ambas do carnaval de 1938 e dos mesmos autores, Paulo Barbosa e Oswaldo Santiago. Da folia de 1948 é a marchinha “Ré misteriosa”, de Roberto Martins e Alberto Ribeiro. No selo do disco original dos sambas “Baiana, me dá seu amor” e “Olhei pra você”, ambos do carnaval de 1939 e compostos por Miguel Baúso e Raul Marques (que neste último tiveram a parceria de Manoel Salema), consta como intérprete apenas o Coro RCA Victor, mas o solista vocal é mesmo Carlos Galhardo. Encerrando, duas músicas da folia de 1940: o samba “Chega, já é demais”, de Humberto Porto (co-autor da “Jardineira”) e Marino Pinto, e a marchinha “Linda margarida”, também de Porto com Roberto Roberti.

Deixe uma resposta