Dialect (1991)

Bom dia moçada! Cada vez me convenço mais da verdade da frase: “tudo que é bom dura pouco” Ou será que é por gostarmos tanto de alguma coisa, a gente nem se dá conta do tempo e só sentimos quando ela já está chegando ao fim? Sei lá… só sei que trem bão é coisa boa 🙂

Estou falando isso para iniciar e dar sentido ao que eu penso do disco que vamos apreciar hoje – Dialect – uma super banda paulista. Um ‘power trio’ de tirar o chapeú. O Dialect é uma dessas pérolas raras, nascida nos anos 80 que, com apenas este único disco, provou que a qualidade e o bom gosto ainda existia na mediocridade do ‘new wave’ reinante. Formada por Nelson Coelho (do Zero e Akira S) na guitarra e vocal, Andrei Ivanovic (do Durex e Sotaque) no baixo e Miguel Angel (também do Durex e Sotaque) na bateria – esta banda surgiu trazendo uma sonoridade totalmente diferente. Um rock sofisticado, com nuanças musicais complexas, bem elaboradas e improvisos. Mesclado o rock com jazz, o progressivo com o ‘new age’ (não confunda com new wave!), em suas composições predomina, ou se evidencia mais o instrumental, embora suas as músicas também tenham letras (em inglês). Todos os três são músicos notáveis e fazem deste seu único álbum, um disco nota 10! Ouvi dizer que após ha mais de uma década eles voltaram à cena musical. Relançaram este disco em cd, incluíndo novas músicas e continuam ativos. Infelizmente, para a grande maioria, a banda passou meio que despercebida, concentrada apenas na órbita paulista e ofuscada por grupinhos mais populares. É… fazer o quê? Fazer voltar, fazer lembrar, resgatar a pedra preciosa do fundo do rio. Então, mergulhem neste toque!
vermelha
madame blavatsky
existence
enigma
animal
anger
seven drunks
misty queen
gunga din

Deixe uma resposta