Ed Lincoln – Boite (1963)

Bom dia, amigos cultos, ocultos e associados! Eu ainda estou em fase de adaptação com a nova versão do blog. Estou usando uma plataforma do WordPress e pelo jeito ainda terei muito que aprender. Não fosse a ajuda de alguns amigos cultos e ocultos, eu talvez nem teria me aventurado em mudanças tão radicais. Enfim, o barco já está no mar, agora é aprender remar e contar com o vento.

Hoje, em nosso terceiro dia de postagem, quero prestar uma homenagem ao Ed Lincoln, que para a nossa tristeza, faleceu na última segunda feira, aos 80. Eduardo Lincoln Barbosa Sabóia era cearense. Iniciou sua carreira como músico nos anos 50, inicialmente tocando contrabaixo. Temos, inclusive aqui no Toque Musical um de seus primeiros discos, gravado ao lado de Dick Farney. Depois ele mudou para o piano e órgão eletrônico, onde viria a criar o seu estilo. Nos anos 60, na febre dos bailes em clubes, ele ficou conhecido como “O Rei dos Bailes” por conta de seu jeito inconfundível de tocar. Mesclando na dose certa o seu Hammond com um repertório de samba, ele criou um ‘swing’ que logo seria copiado por outros e viria a ser chamado de ‘samba rock’.

Em “Boite”, álbum lançado em 1963 pelo selo Pawal, podemos ouvir o artista numa fase de transição. Aqui ele ainda toca piano e pelo que contam, também o contrabaixo. O repertório é bem variado, com sambas, boleros e outros sucessos da música internacional.Mas o órgão já começa aqui a pedir mais espaço e anuncia um novo som que iria muito além do ambiente de boate.

 

stoping’ at the savoy

carioca

se você soubesse

sedução

e daí

mon oncle

adios

saudade

gicolete

hino ao amor

tenderly 

se eu pudesse

.

.

.

Deixe uma resposta