Jaime Caetano Braun – O Payador (1983)

Olá, amigos cultos e ocultos! Continuando a nossa jornada pelos Pampas, vamos dessa vez com Jaime Caetano Braun. Se o Tio Bilia está para o gaúcho assim como Luiz Gonzaga para os nordestinos, Jaime Caetano seria algo parecido com a figura de Catulo da Paixão Cearense. Payador é aquele que cria rimas e versos improvisados como um repentista, acompanhado de um solo, normalmente de violão. É uma arte típica do Sul, não apenas no Brasil, mas também no Uruguai, Argentina, Paraguai e Chile. Jaime Caetano é talvez um dos nomes mais famosos nesse gênero. Sua poesia é a essência do gaúcho, dos pampas e de tudo relativo a essa terra e seu povo. No dia 30 de janeiro é comemorado o Dia do Payador (ou Pajador, como dizem alguns), data essa escolhida por ser também o dia de nascimento de Jaime Caetano Braun.
O álbum que eu trago para vocês foi lançado no início dos anos 80. Como diversos outros trabalhos musicais e fonográficos, “Payador” teve pouco destaque na época de seu lançamento, ficou mais limitado ao público regional. No disco encontramos também a presença de Lucio Yanel e Chaloy Jara, músicos nativistas que acompanham o poeta e interpretam algumas faixas instrumentais. Gurizada, confira aí, que eu de cá vou tomando um chimarrão.

payada
el beso aquel
payada das missões
la colonia
galpão nativo
el rancho de la cambicha
bochincho
duas cruzes
mercêditas

Deixe uma resposta