Topo Gigio (1969)

Olá, amigos cultos e ocultos! Prosseguindo a mostra de compactos do TM, apresentamos um personagem que marcou a infância de muita gente, inclusive a minha: Topo Gigio. O ingênuo ratinho fez o maior sucesso na TV brasileira, ao lado do comediante Agildo Ribeiro, em 1969. Ele participava do quadro final de 15 minutos do programa “Mister show”, na Globo, nas noites de sexta-feira, pedindo sempre ao Agildo “um beijinho de boa noite”. Foi criado pela italiana Maria Perego, ex-estudante de Letras em Milão e casada com um proprietário de teatro de fantoches. Como o casal não teve filhos, Maria se dedicou a aperfeiçoar os bonecos. Topo Gigio (“topo” é rato em italiano) nasceu em 1958. O segredo de sua animação foi mantido por muito tempo, mas hoje o truque chega a ser banal. Era colocado um fundo preto, arames quase invisíveis nos pés, nas mãos e nos olhos do bichinho. O aparato, manipulado por quatro pessoas também vestidas de preto, dava os movimentos. Sua voz era feita pelo italiano Peppino Mazzullo, que sempre viajou com o personagem, tratando de aprender a língua do país em que se apresentava. Depois que o tablóide “Pasquim” colocou em dúvida a masculinidade do ratinho, lançou-se no ano seguinte uma namorada para ele, chamada Rose, e a atriz Regina Duarte passou a participar do quadro também. O programa ficou no ar até 1971. Voltou, já sem a mesma força, em 1987, pela Rede Bandeirantes, hoje Band. No presente compacto duplo, Topo Gigio interpreta “Meu limão, meu limoeiro”, um pot-pourri de sucessos juninos, “A tramontana” e “Chove chuva”. É uma postagem do TM que, com certeza, vai fazer muita gente relembrar o Topo Gigio, com muita saudade. É ir ao GTM e conferir.
 
meu limão, meu limoeiro
cai cai balão
capelinha de melão
sonho de papel
a tramontana
chove chuva
 
 
*Texto de Samuel Machado Filho 

Comments

comments

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.