Paraguassu – Canções De Amor (1970)

Olá! Ontem tivemos um dia cheio. Teve Baden Powell e antes que o dia findasse eu ainda postei um Orlando Silva, homenageando o artista na data de seu nascimento. Eu havia me esquecido… Como dizem, a pressa é a inimiga da perfeição e tanto ontem como hoje eu estou correndo contra o tempo. Perfeccionistas de plantão, queiram me perdoar! Fim de semana trabalhando, como diz a minha empregada, ninguém merece!

Para o nosso domingo ficar com um gostinho das antigas serestas, tenho aqui um artista pouco lembrado nos dias de hoje. Trago para vocês o cantor e compositor conhecido como o “Cantor das noites enluaradas”, o Paraguassu. Filho de imigrantes italianos, seu nome verdadeiro era Roque Ricciardi. Não sei ao certo se ele nasceu na Itália ou na capital paulista, mas no início de carreira era ironicamente chamado de “o italianinho do Brás”, embora só cantasse música brasileira. Por isso, resolveu mudar o nome artístico para Paraguassu, uma palavra essencialmente brasileira. Podemos encontrar seu nome escrito com cê cedilha, mas o certo (né não, Pasquale?) é com dois esses 🙂 Paraguassu foi um dos cantores/compositores mais populares do início do século passado. Compôs e gravou centenas de músicas, muitas bastante conhecidas e lembradas até os anos 60. Daí para frente seu nome caiu no esquecimento, como de certa forma vem acontecendo com a música de seresta. Tem gente que pensa que a música popular brasileira se resume ao samba e bossa nova. Gêneros como a valsa, a seresta, a toada e tantos outros precisam ser relembrados (isso para não falar dos regionais e folclóricos). Taí um desafio, gostaria de ver uma releitura moderna desses tipos de música. Acho que as novas gerações (na qual eu também me incluo, porque não) estão mais interessadas em gêneros que mexem mais com o corpo do que com espírito (o espírito da coisa).
“Canções de Amor” foi um álbum gravado no final dos anos 60 para o selo Premier da Fermata, onde o artista registrou alguns de seus maiores sucessos, acompanhado pelo Regional de Carlinhos Mafasoli. Confiram aí este toque, pois como este é difícil de achar.
canção de amor
luar do sertão
talento e formusura
ontem ao luar
u poeta du sertão
os teus olhos
reconciliação
mentirosa
perdão emília
amar em segredo

Deixe uma resposta