Bené Fonteles – Aê

Mais um dos meus favoritos. Sempre presente na minhas ‘cantaroladas’. Bené Fonteles é uma figura muito especial, mas pouco conhecida do grande público. Um artista que está em todas, das artes visuais e performáticas, passando pela fotografia, vídeos e naturalmente a música. Sua trajetória artística começa no inicio dos anos 70, como agitador cultural. Sempre esteve envolvido em questões ambientais, na realidade sócio-cultural, ecológica e espiritual do povo brasileiro; motivo e inspiração de sua obra artística. Para se ter uma idéia da visão artística de Bené Fonteles, em 1987 ele lança com recital no SESC-Pompéia (SP) e show no Auditório do MASP, o disco “Silencioso” onde só existe a capa e cuja proposta é ouvir o silêncio.
Descobri este disco meio por acaso a uns 10 anos atrás numa banca de saldos de uma loja de discos populares. É por isso que prefiro comprar discos nesse tipo de loja e bancas de usados – sempre há pérolas por lá esquecidas e quase de graça.
O álbum “Aê” que estou postando aqui, foi lançado em 1992, em um show no vão livre do MASP com com a participação especial dos amigos, Egberto Gismonti, Tetê Espíndola, Duofel e Ney Matogrosso. Este disco é tudo de bom. Uma fusão de MPB com alguma coisa assim meio New Age. Tem que ouvir esse toque.

Amar (Bené Fonteles & Tetê Espíndola)
Onde navega o ser (Bené Fonteles & Nonato Luiz)
Só.li.dão (Bené Fonteles & Edu Helou)
Nômade Tarqui (Bené Fonteles)
Tudo um todo (Bené Fonteles)
Um novo dia (Bené Fonteles)
Azul (Bené Fonteles)
Sem olhar (Bené Fonteles)
Mergulhador (Bené Fonteles)
Aê (Bené Fonteles)

Deixe uma resposta