Booker Pittman – The Fabulous (1959)

Olá amigos cultos e ocultos! Acho que peguei uma gripe. Estou num desanimo total, até para a postagem do dia. Mesmo assim, com o resto de energia que tenho e para honrar a firma, vou aos trancos e barrancos publicando o nosso disco do dia.

Hoje eu trago o saxofonista americano Booker Pittman, um músico que passou boa parte de sua vida aqui no Brasil. Veio ao país nos anos 30, contratado para tocar no Cassino Atlântico, no Rio de Janeiro. Mudou para a Argentina nos anos 40. Retornou ao Brasil na década seguinte, indo morar no Paraná. Por um tempo ele esteve afastado da música, mas retomou as atividades, formando um grupo de jazz em São Paulo. Mudou-se finalmente para o Rio de Janeiro, onde passa a tocar em boates. Em 1959 grava então este lp para a Masterpiece/Musidisc, através de um selo especial, o Hi-Fi Jazz. No álbum vamos encontrar alguns clássicos do jazz e cancioneiro americano, numa interpretação das mais autênticas. Estou aqui agora, ouvindo pela terceira vez o álbum, não sei se mais pela preguiça de trocar o disco ou pelo encanto de ouvir este que foi um dos melhores sax sopranos americanos. Para aqueles que não sabem, Booker foi o pai (adotivo) da cantora Eliana Pittman (ele foi casado com a mãe da cantora). Temos, inclusive aqui no Toque Musical, um disco dela junto com o pai, gravado pelo selo Mocambo em 1962. Durante algum tempo eles atuaram juntos. Booker morreu em 1969, no Rio de Janeiro.
petite fleur
stereo blues
when the saints go marching in
honeysuckle rose
what is thing called love
lonesome road
aint misbehavin’
nobody know the troubles i’ve seen

Deixe uma resposta